Translate

quinta-feira, 30 de outubro de 2008

SEXO, EXERCÍCIOS E CONVERSA ALIVIAM DORES MUSCULARES



Estudos mostram que gestos simples podem ser mais eficazes do que remédios...

VIOLÊNCIA ENTRE CASAIS JOVENS



Que motivos levam um homem a agredir a mulher que diz amar?

Clique no título acima e leia sobre a pesquisa realizada nos EUA sobre o assunto.

CERVEJA E CHOPE




Cervejarias são acionadas por danos causados à saúde!
As cervejarias Ambev, Schincariol e Femsa estão no alvo do Ministério Público Federal, em São José dos Campos, interior de São Paulo. Ele entrou com uma Ação Civil Pública contra as empresas em que pede R$ 2,75 bilhões pelo aumento dos danos causados à saúde pelo consumo de cerveja e chope.

Leia mais sobre o assunto clicando no título acima.

segunda-feira, 27 de outubro de 2008

HOMENAGEM AOS CÃES NO NEPAL



NOVA DÉLHI
Acontece nesta segunda-feira (27) no Nepal o Kukur Tihar, o dia dos cães, festa típica celebrada no final do outono (boreal), geralmente em coincidência com os dias do Diwali, a festa das luzes, que correspondem a uma espécie de Natal e Ano Novo para os hindus.
Leia mais clicando no título acima.

SINTOMAS DO ENFARTO FEMININO SÃO DIFERENTES DO MASCULINO



INDISPENSÁVEL PARA AS MULHERES, MESMO AS JOVENS.
IMPORTANTE TAMBÉM PARA OS HOMENS PODEREM AJUDAR.

Infarto feminino - informação médica
Ela comentou que não se sentia bem... Lhe doíam as costas.... Ia deitar-se um pouco até que passasse... Um tempo mais tarde seu esposo foi ver como ela estava e a encontrou sem respirar... Não a puderam reviver.

Eu sabia que os ataques cardíacos nas mulheres são diferentes, mas nunca imaginei nada como isto. Esta é a melhor descrição que li sobre esta terrível experiência...
Sabias que os ataques cardíacos nas mulheres raramente apresentam os mesmos sintomas 'dramáticos' que anunciam o infarto nos homens? Me refiro à dor intensa no peito, o suor frio e o desfalecimento (desmaio, perda de consciência) súbito que eles sofrem e que vemos representados em muitos filmes.

Para que saibam como é a versão feminina do infarto, uma mulher que experimentou um ataque cardíaco nos vai contar sua história:

'Eu tive um inesperado ataque do coração por volta de 22h30min, sem haver feito nenhum esforço físico exagerado nem haver sofrido algum trauma emocional que pudesse desencadeá-lo. Estava sentada, muito agasalhadinha, com meu gato nos joelhos. Lia uma revista muito interessante, com o meu pijama preferido e muito relaxada, enquanto pensava: 'Que lindo, isto é vida...!'

Um pouco mais tarde, senti uma horrível sensação de indigestão, como quando - estando com pressa - comemos um sanduíche, engolindo-o com um pouco de água e parece que temos uma bola que desce pelo esôfago, bem devagar, meio embuchando-nos.
É, então, que nos damos conta de que não deveríamos comer tão depressa e que deveríamos mastigar mais devagar e melhor, além disto, tomar um copo de água para ajudar ao processo digestivo.
Esta foi minha sensação inicial... O 'único problema' era que eu NÃO HAVIA comido NADA desde às 17h00min...
Depois, desapareceu esta sensação e senti como se alguém me apertara a coluna vertebral (pensando bem, agora acredito que eram os espasmos em minha aorta). Logo, a pressão começou a avançar para o meu externo (osso de onde nascem as costelas no peito). O processo continuou até que a pressão subiu à garganta e a sensação correu, então, até alcançar ambos os lados de meu queixo.
Ahá!! Nesse momento, soube realmente o que estava se passando comigo... Acredito que todos temos lidos ou escutado que a dor no queixo é sinal de um ataque do coração.
'Santo Deus, acredito que estou tendo um ataque cardíaco!' disse ao gato. Tirei os pés do pufe e tratei de ir até o telefone, mas caí no chão...
Então, disse: 'Isto é um ataque cardíaco e não deveria caminhar até o telefone nem a nenhum outro lugar, mas... se não digo a ninguém o que se está passando, ninguém poderá me ajudar.... E se demoro, talvez não possa mover-me depois.'

Me levantei me apoiando em uma cadeira e caminhei devagar até o telefone para chamar a emergência. Lhes disse que acreditava que estava tendo um ataque cardíaco e descrevi meus sintomas. Tratando de manter a calma, informei o que se passava comigo. Eles me disseram que viriam imediatamente e me aconselharam deitar-me perto da porta, depois de destrancá-la para que pudessem entrar e me localizar rapidamente.

Segui suas instruções, me deitei no chão e, quase imediatamente, perdi os sentidos. Não lembro quando, como entraram os médicos e nem quando me levaram de ambulância. Mas, vagamente, lembro de haver aberto os olhos ao chegar no hospital e ver que o cardiologista estava esperando pronto para levar-me à sala de cirurgia. O médico se aproximou e me fez algumas perguntas (creio que perguntou se havia tomado algum medicamento) mas não pude responder nem entender o que me dizia porque voltei a perder os sentidos. Acordei com o cardiologista - como descobri após algumas horas - havia introduzido um pequeno balão em minha artéria femoral para instalar dois 'stents' que mantivessem aberta minha artéria coronária do lado direito.

Sei que parece que tudo o que fiz antes de chamar a ambulância houvesse demorado uns 20 ou 30 minutos, mas na realidade apenas me custou 4 ou 5 minutos... E, graças a minhas explicações precisas, os médicos já estavam esperando prontos para atender-me adequadamente quando cheguei ao hospital.
Vocês se perguntam porque lhes conto tudo isto com tanto detalhe demorado... É simplesmente porque quero que todos saibam o que aprendi depois desta terrível experiência.

Passo, então, a resumir alguns pontos:

1. Tenham em conta que seus sintomas, provavelmente, não serão parecidos em nada aos que padecem os homens. Eu, por exemplo, senti a dor no externo e no queixo. Dizem que muitas mais mulheres que homens morrem em seu primeiro (e último) ataque cardíaco porque não identificam os sintomas e/ou os confundem com os de uma indigestão. Então, tomam um digestivo e logo vão para a cama esperando que o mal-estar desapareça durante a noite. Também, porque - por razões culturais - nós, as mulheres, estamos acostumadas a tolerar a dor e o desconforto mais que os homens. Queridas amigas: Talvez seus sintomas não sejam iguais ao meus, mas, por favor, não percam tempo. CHAMEM a AMBULÂNCIA, se sentem que seu corpo experimenta algo estranho. Cada um conhece o estado natural (normal) de seu corpo. Mais vale uma 'falsa emergência' do que não atrever-se a chamar e perder a vida...

2. Notem que disse 'chamem os Paramédicos/Ambulância'. AMIGAS, o tempo é importante, Além disto, não pensem dirigir nem deixem que seus esposos ou familiares as levem ao hospital. Além de que ninguém está em condições de dirigir sem que os nervos os atraiçoem, seus sintomas podem agravar-se no caminho do hospital e complicar as coisas. Tampouco é recomendável chamar O MÉDICO para que venha à sua casa. Além de perder minutos preciosos, poucos médicos levam em seu carro equipamento 'salva-vidas' necessário nestes casos; a ambulância, sim está totalmente equipada. Principalmente, tem oxigênio que precisarás de imediato.. Em todo caso, o hospital

3. Não acreditem que não possam sofrer um ataque cardíaco porque seu colesterol é normal ou 'nunca tiveram problemas cardíacos'... Se descobriu que o colesterol por si só (a menos que seja excessivo) raramente é a causa de um ataque cardíaco. Os ataques cardíacos são o resultado de um stress prolongado que faz que nosso sistema segregue toda classe de hormônios daninhos que inflamam as artérias e tecido cardíaco.Por outro lado, as mulheres que estão entrando na menopausa ou já a ultrapassaram, perdem a proteção que lhes brindava os estrogênios, pelo que correm igual risco de sofrer mais problemas cardíacos do que os homens.


Recebido por e-mail

LIBERDADE DE EXPRESSÃO OU VANDALISMO???



Com todo respeito à liberdade de expressão, mas pichar é muito mais um ato de vandalismo do que qualquer outra coisa.
Convenhamos existem maneiras muito mais criativas e interessantes de discutir a arte e seus limites do que rabiscar e sujar paredes!

Clique no título acima para visualizar a reportagem.

DICAS PARA UMA MAQUIAGEM BEM SIMPLES




Quer uma maquiagem simples para o dia a dia?
Clque no título acima e veja as dicas para um look bem natural e bonito.

domingo, 26 de outubro de 2008

SAIBA SE VOCÊ SOFRE DE ¨BURNOUT¨: A Síndrome do estresse profissional



Você sabe o que é a Síndrome de Burnout?

"Pesquisas indicam que um terço dos funcionários de uma empresa desenvolvem a síndrome. Entretanto, dependendo do perfil da empresa, o percentual é de 70%", afirma.

Os dados mostram o quanto a liderança da organização influencia. "Algumas profissões registram muitos casos do Burnout, como operador de telemarketing, médico, professor, policial, jornalista e bancário. A saúde dos funcionários está atrelada ao trabalho conduzido pelos líderes, principalmente na hora de cobrar resultados".

Os sintomas são gastrite, dor de cabeça, falta de ar, dores nas costas e/ou nas articulações, cansaço anormal, sonolência diurna, insônia e falta de concentração no trabalho.

Clique no título acima e faça o teste para saber se você sofre desse mal e - em caso afirmativo - o que fazer.

BELEZA DIMINUI SENSAÇÃO DE DOR



O nascimento da Vênus, tela do italiano Sandro Botticelli (1445-1510), um dos pintores com obras selecionadas para uso no estudo.




Gênios da arte e protagonistas do Renascimento italiano, Leonardo da Vinci (1452-1519) e Sandro Botticelli (1445-1510) estariam surpresos ao saber que suas famosas obras foram usadas em prol da ciência. Quadros desses e de outros artistas foram usados em um estudo italiano que mostrou que a contemplação de obras de arte consideradas belas é capaz de diminuir a sensação subjetiva de dor.

Clique no título acima e confira a pesquisa que afirma que a contemplação de obras de arte consideradas belas atenua percepção de estímulo doloroso.

Nossos governantes poderiam se espelhar nessa pesquisa e cuidar melhor de nossas cidades com suas ruas e calçadas esburacadas, praças abandonadas, sujeira para todo lado, falta de saneamento básico e tantas outras mazelas...

sábado, 25 de outubro de 2008

UM SHOW DE MULHER: ANGELINA JOLIE FALA SOBRE O PAPEL DE MÃE E ATRIZ




Clique no título acima e leia reportagem com Angelina Jolie onde ela comenta sobre sua vida familiar - casada com o ator Brad Pitt, mãe de 6 filhos - e sua carreira como atriz de sucesso.


quinta-feira, 23 de outubro de 2008

PSIQUIATRA RAUL GORAYEB ANALISA SEQUESTRO EM SANTO ANDRÉ




Que tipo de pressões e exigências estamos colocando sobre os ombros de nossos jovens?
Que tipo de sociedade e (des)valores estamos oferecendo a eles?
Clique no título acima e veja o vídeo com a entrevista.

PRAIA DO ROSA EM SC



Cliquem no título acima e conheçam as belezas imperdíveis da praia do Rosa em Santa Catarina.

O MELHOR AMIGO DO HOMEM...



Na Inglaterra cães com câmeras ajudam a polícia no combate ao crime.





E na Colombia cåes da raça Labrador participam de treinamento para detectar bombas.

quarta-feira, 22 de outubro de 2008

segunda-feira, 20 de outubro de 2008

JENIPABU






Deserto tropical com direito a passeios de bug e/ou em dromedários - o camelo de uma só corcunda.

Uma excelente dica para suas férias de verão...

Curta o passeio clicando acima no título.

SHOW DAS BALEIAS JUBARTE






Show das baleias jubarte através de fotos e vídeo no litoral da Bahia em Abrolhos.
Clique no título acima e veja o maravilhoso espetáculo marinho.

domingo, 19 de outubro de 2008

DO MUNDO VIRTUAL AO ESPIRITUAL


06.06.08 - MUNDO
Frei Betto *

Ao viajar pelo Oriente, mantive contatos com monges do Tibete, da Mongólia, do Japão e da China. Eram homens serenos, comedidos, recolhidos em paz em seus mantos cor de açafrão. Outro dia, eu observava o movimento do aeroporto de São Paulo: a sala de espera cheia de executivos com telefones celulares, preocupados, ansiosos, geralmente comendo mais do que deviam. Com certeza, já haviam tomado café da manhã em casa, mas como a companhia aérea oferecia um outro café, todos comiam vorazmente. Aquilo me fez refletir: "Qual dos dois modelos produz felicidade?"
Encontrei Daniela, 10 anos, no elevador, às nove da manhã, e perguntei: "Não foi à aula?" Ela respondeu: "Não, tenho aula à tarde". Comemorei: "Que bom, então de manhã você pode brincar, dormir até mais tarde". "Não", retrucou ela, "tenho tanta coisa de manhã..." "Que tanta coisa?", perguntei. "Aulas de inglês, de balé, de pintura, piscina", e começou a elencar seu programa de garota robotizada. Fiquei pensando: "Que pena, a Daniela não disse: "Tenho aula de meditação!"

Estamos construindo super-homens e super-mulheres, totalmente equipados, mas emocionalmente infantilizados. Por isso as empresas consideram agora que, mais importante que o QI, é a IE, a Inteligência Emocional. Não adianta ser um super-executivo se não se consegue se relacionar com as pessoas. Ora, como seria importante os currículos escolares incluírem aulas de meditação!
Uma progressista cidade do interior de São Paulo tinha, em 1960, seis livrarias e uma academia de ginástica; hoje, tem sessenta academias de ginástica e três livrarias! Não tenho nada contra malhar o corpo, mas me preocupo com a desproporção em relação à malhação do espírito. Acho ótimo, vamos todos morrer esbeltos: "Como estava o defunto?". "Olha, uma maravilha, não tinha uma celulite!" Mas como fica a questão da subjetividade? Da espiritualidade? Da ociosidade amorosa?

Outrora, falava-se em realidade: análise da realidade, inserir-se na realidade, conhecer a realidade. Hoje, a palavra é virtualidade. Tudo é virtual. Pode-se fazer sexo virtual pela internet: não se pega aids, não há envolvimento emocional, controla-se no mouse. Trancado em seu quarto, em Brasília, um homem pode ter uma amiga íntima em Tóquio, sem nenhuma preocupação de conhecer o seu vizinho de prédio ou de quadra! Tudo é virtual, entramos na virtualidade de todos os valores, não há compromisso com o real! É muito grave esse processo de abstração da linguagem, de sentimentos: somos místicos virtuais, religiosos virtuais, cidadãos virtuais. Enquanto isso, a realidade vai por outro lado, pois somos também eticamente virtuais…

A cultura começa onde a natureza termina. Cultura é o refinamento do espírito. Televisão, no Brasil - com raras e honrosas exceções -, é um problema: a cada semana que passa, temos a sensação de que ficamos um pouco menos cultos. A palavra hoje é ‘entretenimento’; domingo, então, é o dia nacional da imbecilização coletiva. Imbecil o apresentador, imbecil quem vai lá e se apresenta no palco, imbecil quem perde a tarde diante da tela. Como a publicidade não consegue vender felicidade, passa a ilusão de que felicidade é o resultado da soma de prazeres: "Se tomar este refrigerante, vestir este tênis, usar esta camisa, comprar este carro, você chega lá!" O problema é que, em geral, não se chega! Quem cede desenvolve de tal maneira o desejo, que acaba precisando de um analista. Ou de remédios. Quem resiste, aumenta a neurose.

Os psicanalistas tentam descobrir o que fazer com o desejo dos seus pacientes. Colocá-los onde? Eu, que não sou da área, posso me dar o direito de apresentar uma sugestão. Acho que só há uma saída: virar o desejo para dentro. Porque, para fora, ele não tem aonde ir! O grande desafio é virar o desejo para dentro, gostar de si mesmo, começar a ver o quanto é bom ser livre de todo esse condicionamento globalizante, neoliberal, consumista. Assim, pode-se viver melhor. Aliás, para uma boa saúde mental três requisitos são indispensáveis: amizades, auto-estima, ausência de estresse.

Há uma lógica religiosa no consumismo pós-moderno. Se alguém vai à Europa e visita uma pequena cidade onde há uma catedral, deve procurar saber a história daquela cidade - a catedral é o sinal de que ela tem história. Na Idade Média, as cidades adquiriam status construindo uma catedral; hoje, no Brasil, constrói-se um shopping center. É curioso: a maioria dos shopping centers tem linhas arquitetônicas de catedrais estilizadas; neles não se pode ir de qualquer maneira, é preciso vestir roupa de missa de domingos. E ali dentro sente-se uma sensação paradisíaca: não há mendigos, crianças de rua, sujeira pelas calçadas...

Entra-se naqueles claustros ao som do gregoriano pós-moderno, aquela musiquinha de esperar dentista. Observam-se os vários nichos, todas aquelas capelas com os veneráveis objetos de consumo, acolitados por belas sacerdotisas. Quem pode comprar à vista, sente-se no reino dos céus. Se deve passar cheque pré-datado, pagar a crédito, entrar no cheque especial, sente-se no purgatório. Mas se não pode comprar, certamente vai se sentir no inferno... Felizmente, terminam todos na eucaristia pós-moderna, irmanados na mesma mesa, com o mesmo suco e o mesmo hambúrguer do McDonald’s…

Costumo advertir os balconistas que me cercam à porta das lojas: "Estou apenas fazendo um passeio socrático." Diante de seus olhares espantados, explico: "Sócrates, filósofo grego, também gostava de descansar a cabeça percorrendo o centro comercial de Atenas. Quando vendedores como vocês o assediavam, ele respondia: "Estou apenas observando quanta coisa existe de que não preciso para ser feliz."

Autor, em parceria com Luis Fernando Veríssimo e outros, de "O desafio ético" (Garamond), entre outros livros. Escritor e assessor de movimentos sociais.

Recebido por e-mail

AS CONTRADIÇÕES DESTE MUNDO...


Clique no título acima e veja matéria sobre os milionários que gastam mais do que nunca em produtos de luxo em feira na Alemanha, enquanto em outras partes do mundo crianças, adultos e idosos passam fome...

sábado, 18 de outubro de 2008

CONHEÇAM A PITANGA...



Esta é a Pitanga, a mais nova ¨menina¨ da família!

Labradora, como Diana e Bartira, a Pitanga foi encontrada abandonada ou perdida (?) perto de casa no Jardim Chapadão.
Estava muito ferida, não se sabe se por atropelamento ou por queimaduras.
Tem a pelagem preta, sedosa e brilhante, olhos negros, é dócil, inteligente e muito, mas muito mesmo arteira.
Afinal ela ainda é uma criança, pois não deve ter mais do que 1 ano de idade, segundo previsão da Maira - a veterinária que a recolheu e que cuida das minhas ¨meninas¨.
Como Bartira e Diana estavam deprimidas com a morte da Mel, a nova amiguinha veio trazer energia e alegria para as duas.
E claro, para mim também, apesar da saudades que ainda sinto da Mel.
Pitanga nunca vai ocupar o lugar da Mel, pois ela veio para acrescentar, não para substituir.

Por enquanto levo-a passear e brincar na praça com as outras labradoras e os amiguinhos das redondezas como o Simba, Toddy, Hera, Ziggy, Luna, Pandora, Glorinha, Ayla, Said, Zeus e outros...
Na segunda feira ela começa treinamento educacional com o adestrador Eduardo para ficar um pouco mais comportada.
Pois, apesar de obdiente às minhas ordens e chamadas ela tem bagunçado bastante o meu quintal e jardim, no afã de conhecer tudo e descobrir novas atividades para descarregar sua pulsante energia de vida...
Com tudo isso, longa vida à Pitanga, pois ela já mora no meu coração!

Vera Chvatal

Fotos Vera Chvatal

ESTIMULE SEU CÉREBRO ATRAVÉS DA INTERNET


Busca na Internet estimula mais o cérebro do que livros
Mais uma pesquisa para alimentar a polêmica se a Web é como a TV e "deixa burro, muito burro demais", como diz a música, ou se ela exercita a inteligência.

Pesquisadores da UCLA (Universidade da Califórnia de Los Angeles) concluíram que fazer buscas na Internet pode estimular e ajudar a melhorar o funcionamento do cérebro mais do que ler um livro.

Eles notaram que buscar na web desperta centros no cérebro que controlam a tomada de decisões e o raciocínio complexo em adultos de meia-idade e idosos.

No entanto, o estudo conclui que essa maior atividade dos neurônios só acontece em pessoas que já estão familiarizadas com a experiência de Internet.

A pesquisa foi feita com a ajuda de 24 voluntários com idades entre 55 e 76 anos, sendo que metade tinha hábito de acessar a web. Eles leram livros e fizeram buscas a Internet sob monitoramento de máquinas de ressonância magnética.
Na imagem acima dá para ver a diferença entre o cérebro de quem já está acostumado a buscar na Internet e de quem é iniciante na atividade.

Cada pontinho vermelho é um voxel, que representa entre 2 a 4 milímetros cúbico de cérebro que é ativado pela atividade que está sendo analisada: no cérebro de usuários experientes, foram encontrados 21.782 voxel (direita) em comparação com os 8.646 voxels das mentes dos inexperientes (esquerda).

O estudo pode ser consultado no American Journal of Geriatric Psychiatry.

LINGÜISTA ANALISA MENSAGENS DEIXADAS POR JOVENS NO ORKUT


RAQUEL DO CARMO SANTOS



A lingüista Monica Vasconcellos Cruvinel analisou os rastros virtuais deixados nas páginas do Orkut – plataforma de relacionamentos da internet – por adolescentes que se suicidaram. No estudo desenvolvido no Instituto de Estudos da Linguagem (IEL), para obtenção do título de mestre, Mônica analisou 18 casos de adolescentes, na faixa etária entre 13 e 20 anos, que se suicidaram, e nas mensagens deixadas para os amigos, anunciaram o desejo de morrer. A se leção do material foi feita a partir das páginas das pessoas que, embora mortas, não tiveram seus perfis excluí dos do site pelo desconhecimento da senha de acesso por parte de amigos e familiares do usuário.
Monica acredita que o Orkut tem se constituído como um espaço de sociabilidade importante de produção e circulação dos discursos dos jovens e, muitas vezes, não tem merecido a atenção necessária por parte dos pro fissionais que trabalham com adolescentes. “No Orkut, os jovens interagem sem a mediação dos pais, professores, psicólogos, médicos etc.. Encontram liberdade para falar dos seus sentimentos e de suas necessidades. Por isso, defendo que devemos olhar para internet como um espaço de escuta. Apenas a criação de normas para regulamentar o site não vai evitar que os jovens encontrem outros espaços para anunciarem suas próprias mortes. É preciso navegar com eles”, avalia a lingüista que foi orientada pela professora Maria Bernadete Marques Abaurre, e co- orientada pelo professor Neury José Botega, da Faculdade de Ciências Médicas (FCM).
Os jovens analisados pertenciam à classe média e eram usuários assíduos da internet. Ela relata que alguns chegavam a passar em torno de 20 horas navegando. Nas mensagens sempre apareciam elementos e indícios que apontavam para solidão, impossibilidades de cumprir desafios, a falta de perspectiva para o futuro e situações amorosas complicadas. “Cada sujeito é singular, mas muitas vezes o motivo apontado era apenas justificativa superficial para o ato. Um exemplo foi um garoto de 13 anos que falava muito do sofrimento causado por uma separação iminente com a namorada e, por isso não queria mais viver. Quando investiguei o caso, percebi que, em algumas mensagens escritas por ele, existiam indícios de que ele era vítima de violência doméstica”.
Mais do que um problema apontado por especialistas como sendo de saúde pública, para Mônica o suicídio é também uma questão social. Ela afirma ser um fenômeno multideterminado e reconhece as complexidades do assunto. Alerta para o fato de que o suicídio de uma pessoa pode motivar o de outras, sendo assim “contagioso”. Desta forma, existem normas que regulamentam a divulgação dos casos de suicídio. No entanto,
Mônica argumenta que, na internet, os jovens e adolescentes estão encontrando um espaço para se expressarem e, por isso, defende que o assunto deveria ser mais discutido nas escolas e em outras instâncias da sociedade, pois o número de casos aumenta a cada ano, principalmente entre os jovens.
Entre os suicidas, Mônica encontrou um número expressivo de integrantes das tribos urbanas conhecidas como “góticos” e “emos”, sendo que muitos dos quais fazem apologia da morte. No trabalho de doutorado, ela pretende analisar o comportamento dessas tribos e identificar a relação de suicídio com as músicas ou práticas específicas que realizam.
Fonte: Jornal da Unicamp Nº 413, pg 8.

sexta-feira, 17 de outubro de 2008

O MELHOR AMIGO DO CÃO...


Dono salva seu cão da boca de tubarão...
Clique no título acima e leia sobre o salvamento do cãozinho que quase foi comido por um tubarão!

CRISE AMERICANA ESTRESSA MAIS AS MULHERES



A maior preocupação envolve os cuidados com a casa e filhos
Pesquisas apontam que os problemas econômicos enfrentados pelos EUA já refletem no inconsciente das pessoas, afetando as mulheres, principalmente. Leia a matéria completa clicando no título acima

QUER TER UM CANTINHO VERDE?


Tem pouco espaço e gostaria de ter um cantinho verde com plantas naturais?
Clique no título acima e veja as dicas para trazer um pouco da natureza para a sua varanda...

quinta-feira, 16 de outubro de 2008

QUEM DISSE QUE SER ADULTO É FÁCIL?



Arnaldo Jabor



Sempre acho que namoro, casamento, romance tem começo, meio e fim.
Como tudo na vida. Detesto quando escuto aquela conversa:
'Ah, terminei o namoro...'
'Nossa,quanto tempo?'
'Cinco anos...Mas não deu certo...acabou'
É não deu...'

Claro que deu! Deu certo durante cinco anos, só que acabou.
E o bom da vida, é que você pode ter vários amores.
Não acredito em pessoas que se complementam.
Acredito em pessoas que se somam.
Às vezes você não consegue nem dar cem por cento de você para você mesmo, como cobrar cem por cento do outro?
E não temos esta coisa completa.
Às vezes ele é fiel, mas não é bom de cama.
Às vezes ele é carinhoso, mas não é fiel.
Às vezes ele é atencioso, mas não é trabalhador.
Às vezes ela é malhada, mas não é sensível.
Tudo... nós não temos.

Perceba qual o aspecto que é mais importante e invista nele.
Pele é um bicho traiçoeiro.
Quando você tem pele com alguém, pode ser o 'papai - mamãe' mais básico que é uma delícia.
E as vezes você tem aquele sexo acrobata, mas que não te impressiona...
Acho que o beijo é importante... e se o beijo bate... se joga... senão bate... mais um Martini, por favor... e vá dar uma volta.
Se ele ou ela não te quer mais, não force a barra.
O outro tem o direito de não te querer.
Não lute, não ligue, não dê pití.
Se a pessoa tá com dúvida, problema dela, cabe a você esperar ou não.

Existe gente que precisa da ausência para querer a presença.
O ser humano não é absoluto. Ele titubeia, tem dúvidas e medos mas se a pessoa REALMENTE gostar, ela volta..
Nada de drama.
Que graça tem alguém do seu lado sob chantagem, gravidez, dinheiro, recessão de família?
O legal é alguém que está com você por você.
E vice versa.
Não fique com alguém por dó também.
Ou por medo da solidão.
Nascemos sós. Morremos sós.
Nosso pensamento é nosso, não é compartilhado.

E quando você acorda, a primeira impressão é sempre sua, seu olhar, seu pensamento.
Tem gente que pula de um romance para o outro.
Que medo é este de se ver só, na sua própria companhia?
Gostar dói.
Você muitas vezes vai ter raiva, ciúmes, ódio, frustração.
Faz parte. Você namora um outro ser, um outro mundo e um outro universo.
E nem sempre as coisas saem como você quer...
A pior coisa é gente que tem medo de se envolver.
Se alguém vier com este papo, corra, afinal, você não é terapeuta.
Se não quer se envolver, namore uma planta. É mais previsível.
Na vida e no amor, não temos garantias.
E nem todo sexo bom é para namorar.
Nem toda pessoa que te convida para sair é para casar.
Enfim... quem disse que ser adulto é fácil?

44% DAS CRIANÇAS TÊM COLESTEROL ELEVADO



JULLIANE SILVEIRA
da Folha de S.Paulo
MAURÍCIO SIMIONATO
da Agência Folha, em Campinas
Uma pesquisa da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) com 1.937 crianças e adolescentes entre dois e 19 anos atendidos no Hospital das Clínicas da universidade constatou que quase metade deles possui índices altos de colesterol e triglicérides.
Clique no título acima e leia matéria completa.

quarta-feira, 15 de outubro de 2008

TRILHAS DE SÃO PAULO










O projeto ¨Trilhas de São Paulo¨ reúne 40 roteiros ecoturísticos do Estado.

Clique no título acima para conhecer esses verdadeiros paraísos turísticos...

Mais informações em http://www.trilhasdesaopaulo.sp.gov.br/

segunda-feira, 13 de outubro de 2008

AMOR E SEXO: O DESEJO SUMIU?


Clique no título acima e leia artigo de Rosana F. para o Bolsa de Mulher, com as dicas para manter a chama acesa...

AMIGOS DA ROSE: ANIMAIS PARA ADOÇÃO




Olá gente


Recebí um mail da Rose Derrico, pedindo p/ divulgar seu site, divulgando os animais que ela tem p/ adoção.



São lindos! Se souberem de alguém que tenha disponibilidade ou queira adotar algum, por favor, encaminhem o link http://amigosdarose.multiply.com/photos.
Se quiser ver as fotos do bichinhos, clique no título acima!


Ah, ajudem a divulgar!!!

SEJA FELIZ... E PRONTO!


Arnaldo Jabour

A idiotice é vital para a felicidade. Gente chata essa que quer ser séria, profunda e visceral sempre.

A vida já é um caos, por que fazermos dela, ainda por cima, um tratado? Deixe a seriedade para as horas em que ela é inevitável: mortes, separações, dores e afins.

No dia-a-dia,seja idiota! Ria dos próprios defeitos. E de quem acha defeitos em você.

Milhares de casamentos acabaram-se não pela falta de amor, dinheiro, sexo, sincronia, mas pela ausência de idiotice. Trate seu amor como seu melhor amigo, e pronto.

Quem disse que é bom dividirmos a vida com alguém que tem conselho pra tudo, soluções sensatas, mas não consegue rir quando tropeça?

Alguém que sabe resolver uma crise familiar, mas não tem a menor idéia de como preencher as horas livres de um fim de semana?

É bem comum gente que fica perdida quando se acabam os problemas. E daí, o que elas farão se já não têm por que se desesperar?

Tudo que é mais difícil é mais gostoso, mas... A realidade já é dura; piora se for densa. Dura, densa, e bem ruim.
Brincar é legal. Entendeu?

Esqueça o que te falaram sobre ser adulto, tudo aquilo de não brincar com comida, não falar besteira, não ser imaturo, não chorar, não andar descalço, não tomar chuva. Pule corda! Adultos podem (e devem) contar piadas, passear no parque, rir alto e
lamber a tampa do iogurte.

Ser adulto não é perder os prazeres da vida - e esse é o único 'não' realmente aceitável. Teste a teoria.

Uma semaninha, para começar. Veja e sinta as coisas como se elas fossem o que realmente são: passageiras.
Acorde de manhã e decida entre duas coisas: ficar de mau humor e transmitir isso adiante ou sorrir...

Bom mesmo é ter problema na cabeça, sorriso na boca e paz no coração!
Aliás, entregue os problemas nas mãos de Deus, confie e espere só NELE e pra relaxar que tal um cafezinho gostoso agora?

'A vida é uma peça de teatro que não permite ensaios'. 'Por isso cante, chore, dance e viva intensamente antes que a cortina se feche'. Seja você mesmo sempre e VIVA A VIDA!!!!


mensagem recebida por e-mail; foto tirada por Lily Sverner no Centro Mandala

domingo, 12 de outubro de 2008

O LADO FEMININO DA GLOBALIZAÇÃO


Encontro debate o lado feminino da globalização
Apesar das dificuldades, sociedade contemporânea ganha contornos mais condizentes com universo das mulheres

12/10/2008 - 12h40 .

Janete Trevisani

Um público atento, formado por 480 pessoas, mais mulheres do que homens, participou do encontro da jornalista Mônica Waldvogel com o psicanalista Jorge Forbes no Café Filosófico da CPFL, em Campinas. Os dois falaram sobre o medo das mulheres. Na semana seguinte, quem fez palestra sobre anorexia, bulimia, angústia e depressão para encerrar o módulo A Globalização é Feminina? foi o psicanalista Ariel Bogochvol. “Por que as mulheres, no momento que têm a chance de reinar no espaço tão almejado por elas, estão adoecendo?”, questionou Forbes, o curador do módulo, que sacudiu as alas feminina e masculina, nas sextas-feiras de setembro, com dúvidas e certezas sobre a sociedade contemporânea.

Presidente do Instituto da Psicanálise Lacaniana e diretor do Projeto Análise, o psicanalista Jorge Forbes concluiu que o mar da globalização está muito mais para o peixe mulher do que para o peixe homem. Diante disso, elas deveriam estar nadando de braçadas, mas não estão. “Ao contrário do que aconteceu no século 20, a mulher moderna perdeu a possibilidade de se queixar. A mulher anterior dizia que não era feliz porque faltava a ela uma série de possibilidades que a sociedade não lhe dava. Era uma mulher que reclamava. Hoje, depois das conquistas, está muito mais na mão de cada uma se responsabilizar pelo exercício da sua felicidade, o que é uma tarefa bem mais difícil. É muito mais fácil ficar na posição de quem reclama; dizer ‘se não fosse você, eu seria mais feliz’.” Segundo ele, depois de tantas conquistas, vem uma tarefa ainda mais difícil para as mulheres: usufruir delas. “A maior diferença entre a mulher doséculo anterior e deste é que a primeira reivindicava seu lugar, enquanto a atual tem que conquistar esse lugar”, disse.

Por incrível que pareça, a jornalista Mônica Waldvogel tem medo de falar em público e, por isso, fez algumas exigências contratuais para comparecer ao encontro. Veio acompanhada de Jorge Forbes para sentir-se mais à vontade e só deu para perceber a sua “saia justa” diante da platéia numerosa pelo fato de ela ter admitido o seu temor. Discreta e elegante, vestida em tons de cinza, unhas vermelhas, anel grande na mão direta e brincos de argola, sentou-se ao lado do psicanalista, que mostrou-se atual também no quesito moda: usava calça xadrez, paletó e blusa pretos.

A apresentadora do programa Saia Justa, do GNT, e do Jornal das Dez, da Globo News, recebeu elogios de um homem da platéia que a achou mais bonita pessoalmente e iniciou o bate-papo falando de um medo que as mulheres não confessam: o medo das outras mulheres. “As mulheres são sabedoras dessa falta, desse buraco que temos. A pergunta que cada uma se faz é: ‘Como ela preencheu o buraco dela, o que ela tem que eu não tenho?’.” Os homens também têm medo das mulheres, como o próprio Forbes confirmou, ao exemplificar: “Medo de estranheza, de descontrole, de não saber por onde vai reagir. Medo de ser tonto.”

Na avaliação da jornalista, as grandes corporações exigem uma uniformização que não é própria das mulheres. Terninho preto, marinho ou bege, tudo igual. Em muitas empresas, as mulheres têm de agir como homens para serem aceitas. Com isso, perdem a identidade (e a feminilidade). As estatísticas mostram que as mulheres não só estudam mais como têm melhor performance que os homens nas áreas em que se debruçam. No entanto, em algum momento, elas desistem. Nos Estados Unidos e também na Europa (o Brasil segue na mesma toada), 45% das executivas abandonam seus cargos quando estão bem perto do auge. Muitas pedem para sair, são promovidas e dizem: “Não é isso o que eu quero para mim”.

“Os homens são parecidos, compartimentados. Os homens constroem uma sinfonia e a democracia, a corporação, o esquema digital, isso é próprio do homem. As mulheres contribuem na conexão humana”, observou Mônica Waldvogel. A apresentadora citou Simone de Beauvoir e Camille Paglia para relembrar um pouco o avanço das mulheres e concluir que ainda é difícil, na terceira geração do feminismo, definir a mulher. Ela gosta de jogar feito o homem? Não. Ela gosta da uniformização? Também não. Longe de ser uma disputa entre homens e mulheres, a palestra foi suave como a jornalista e aproximou os dois sexos com humor, estatísticas e dúvidas.

O Brasil é campeão de livros de auto-ajuda. “Lutamos para chegar até aqui e precisamos comprar a receita de como viver a vida, de como preencher o buraco de dúvidas e inseguranças...?”, questionou Mônica. “As mulheres não precisam de auto-ajuda, não é um bom caminho. Livro de auto-ajuda ajuda mesmo é o autor”, completou Forbes.

Correio Popular, 12 de outubro de 2008.

quinta-feira, 9 de outubro de 2008

ANTIDEPRESSIVOS NATURAIS


O cérebro pode produzir antidepressivos naturais quando corretamente estimulado, o que sugere que meditar ou ir a lugares especiais realmente funciona, segundo um estudo científico publicado na quarta-feira. Clique no título acima e veja o artigo completo.

ANIMAIS: ADOÇÃO E DOAÇÃO


Clique no título acima e veja as dicas com os cuidados necessários para adotar ou doar um animalzinho de estimação.

FAUNA AMEAÇADA EM SÃO PAULO/BRASIL


Clique no título acima e veja a lista atualizada da fauna de vertebrados ameaçados no Estado de São Paulo.

Veja também no link abaixo o livro que reúne informações e fotos sobre as 100 espécies da fauna brasileira ameaçadas de extincão.
http://bichos.uol.com.br/ultnot/ult295u2715.jhtm

SIMPLIFICAÇÃO DO DIVORCIO???


Haja criatividade!
Casal cambojano tenta evitar problemas com o processo de divórcio e decide cortar a casa na metade, em Prey Veng AFP
Se a moda pega...

segunda-feira, 6 de outubro de 2008

BOA SAÚDE BLOG



Clique no título acima para ler sobre pesquisas relacionadas ao bem estar e à saúde.

sexta-feira, 3 de outubro de 2008

POR QUE GRITAMOS?


Um dia, um pensador indiano fez a seguinte pergunta a seus discípulos :
'Por que as pessoas gritam quando estão aborrecidas ?' 'Gritamos porque perdemos a calma', disse um deles.
'Mas, por que gritar quando a outra pessoa está ao seu lado ?', questionou novamente o pensador.
'Bem, gritamos porque desejamos que a outra pessoa nos ouça', retrucou outro discípulo.

E o mestre volta a perguntar :
'Então não é possível falar-lhe em voz baixa ?'
Várias outras respostas surgiram, mas nenhuma convenceu o pensador.

Então ele esclareceu :
'Vocês sabem porque se grita com uma pessoa quando se está
aborrecido ? 'O fato é que, quando duas pessoas estão aborrecidas, seus corações se afastam muito.
Para cobrir esta distância precisam gritar para poderem escutar-se mutuamente.
Quanto mais aborrecidas estiverem, mais forte terão que gritar para ouvir um ao outro, através da grande distância.
Por outro lado, o que sucede quando duas pessoas estão enamoradas?
Elas não gritam. Falam suavemente. E por quê ?
Porque seus corações estão muito perto. A distância entre elas é pequena.
Às vezes estão tão próximos seus corações, que nem falam, somente sussurram.
E quando o amor é mais intenso, não necessitam sequer sussurrar, apenas se olham, e basta.
Seus corações se entendem.
É isso que acontece quando duas pessoas que se amam estão próximas.

Por fim, o pensador conclui, dizendo :

'Quando vocês discutirem, não deixem que seus corações se afastem, não digam palavras que os distanciem mais,
pois chegará um dia em que a distância será tanta que não mais encontrarão o caminho de volta'.


Mahatma Gandhi

Esta bela parábola do Mahatma Gandhi me foi enviada pela Sonia Rodrigues

quinta-feira, 2 de outubro de 2008

DESMATAMENTO NA AMAZONIA



A Comunidade Européia vai contribuir com cerca de 15 milhões de reais para ajudar no combate ao desmatamento na Amazonia.
Clique no título acima e leia matéria na íntegra.