Translate

sábado, 26 de fevereiro de 2011

NOTÍCIAS DA WSPA - SOCIEDADE MUNDIAL DE PROTEÇÃO ANIMAL

Fevereiro 2011                                                                             Ano 4 - Edição nº 13
  Bem-vindo ao boletim eletrônico da WSPA Brasil, este é um recurso para lhe manter atualizado
sobre nosso trabalho
a nível global.Para administrar sua assinatura,
clique no link "Gerencie suas assinaturas" que aparece no final do email.
Conheça nossas
notícias sobre bem-estar e proteção animal



Caro(a) Vera Lucia
Saiba mais sobre o balanço das ações para auxílio dos animais na Região Serrana
WSPA faz balanço das ações para auxílio dos animais na Região Serrana

Após um mês da tragédia que castigou a Região Serrana do Rio de Janeiro, a WSPA - Sociedade Mundial de Proteção Animal - em parceria com a UNIFESO e suas ONGs afiliadas (GAPA, SOS Animal, Animavida e COMBINA), continua as atividades em pleno vapor para ajudar aos animais nos municípios mais afetados.

Tanto as equipes da WSPA e UNIFESO quanto as ONGS afiliadas ainda têm encontrado áreas carentes isoladas que necessitam de ajuda para os animais. É cada vez maior o número de atendimentos veterinários, assim como a crescente distribuição de alimentos, além do acolhimento dos animais que têm ferimentos ou precisam de intervenções cirúrgicas.
Saiba mais sobre as principais ações já realizadas e os números da parceria entre a WSPA e a UNIFESO. >>


Veja mais informações sobre Leishmaniose Visceral Canina
WSPA lança campanha para prevenção a Leishmaniose Visceral Canina
A WSPA acaba de lançar uma campanha para prevenção da Leshmaniose Visceral Canina. A organização contará com o apoio de suas ONGs afiliadas para o esclarecimento de informações sobre a doença, ainda pouco conhecida, em diversos estados do país. Para isso, será feita a distribuição de folhetos, cartazes, cartilhas para veterinários e divulgação de conteúdo informativo no site da WSPA. A ideia é conscientizar a população sobre os riscos dessa grave doença que, nos últimos anos, vem ganhando espaço nos grandes centros urbanos e que tem os cães como principais hospedeiros. A Leishmaniose é transmitida pela picada de um inseto conhecido como mosquito-palha. Infectados, os cães podem ficar meses ou até anos sem apresentar nenhum sintoma aparente.
Saiba mais sobre a Leshmaniose Visceral Canina e conheça as medidas preventivas e recomendações em casos de suspeita da doença. >>



Leia mais sobre os próximos passos do Steps
Universidades Internacionais integram o planejamento de expansão do Programa Nacional de Abate Humanitário em 2011

Em 2011, o Steps - Programa Nacional de Abate Humanitário da WSPA – amplia a difusão das boas práticas no manejo pré-abate que minimizam o estresse e o sofrimento dos animais de produção. Entre os dias 1 a 3 de março, as equipes vão ministrar o curso Steps Docentes na Faculdade de Ciências Veterinárias da Universidade Austral do Chile, cidade Valdívia, e na Faculdade de Veterinária da Universidade da República do Uruguai (Montevidéu). No Brasil, os treinamentos destinados aos professores de Escolas Agrícolas e Faculdades de Medicina Veterinária, Zootecnia e Agronomia recomeçarão em abril. Leia mais sobre os próximos passos do Steps – Programa Nacional de Abate Humanitário neste ano de 2011. >>

Leia mais sobre a desistência do Japão à caça de baleias
Cercado por protestos de todos os lados, o Japão desiste da caça às baleias

Após intensas demonstrações de repúdio por parte de ativistas e grupos internacionais, o Japão suspendeu as atividades baleeiras no Santuário de Proteção do Oceano Antártico Sul em plena estação de caça. Um tumulto gerado pelos ativistas parece ter forçado os baleeiros japoneses a abandonarem a caça após terem exterminado, ao que tudo indica, apenas uma fração da quota de 935 baleias-minke, 50 baleias-fin e 50 baleias-jubarte programada para este ano. Os japoneses foram pressionados também pelo Grupo de Buenos Aires (BAG), formado por 9 nações latino-americanas, inclusive o Brasil. O grupo divulgou uma declaração pública exigindo que o Japão cessasse, de uma vez por todas, as ditas atividades de caça "científica" às baleias no Oceano Antártico Sul.
Saiba mais sobre a desistência do Japão à caça no site da WSPA Brasil >>

Acesse as últimas notícias da WSPA Brasil. >>

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

NÃO DESISTA NUNCA!


Se você não acreditar naquilo que você é capaz de fazer; quem vai acreditar? Dizer que existe uma idade certa, tempo certo, local certo, não existe. Somente quando você estiver convicto daquilo que deseja e esta convicção fizer parte integrante do processo. Mas quando ocorre este momento? 

Imagine uma ponte sobre um rio. Você está em uma margem e seu objetivo está na outra. Você pensa, raciocina, acredita que a sua realização está lá. Você atravessa a ponte, abraça o objetivo e não olha para traz. Estoura a sua ponte. Pode ser que tenha até dificuldades, mas se você realmente acredita que pode realizá-lo, não perca tempo: vá e faça.
 

Agora, se você simplesmente não quer ficar nesta margem e não tem um objetivo definido, no momento do estouro, você estará exatamente no meio da ponte. Já viu alguém no meio de uma ponte na hora da explosão... eu também não. Realmente não é simples.

Quando você visualizar o seu objetivo e criar a coragem suficiente em realizá-lo, tenha em mente que para a sua concretização, alguns detalhes deverão estar bem claros na cabeça ou seja, facilidades e dificuldades aparecerão, mas se realmente acredita que pode fazer, os incômodos desaparecerão. É só não se desesperar. Seja no mínimo um pouco paciente.
 

Pois é, as diferenças básicas entre os três momentos são:

ESTOURAR A PONTE ANTES DE ATRAVESSÁ-LA:

Você começou a sonhar... sonhar... sonhar! De repente, sentiu-se estimulado a querer ou gozar de algo melhor. Entretanto, dentro de sua avaliação, começa a perceber que fatores que fogem ao seu controle, não permitem que suas habilidades e competências o realize. Pergunto, vale a pena insistir? Para ficar mais tangível, imaginemos que uma pessoa sonhe viver ou visitar a lua, mas as perspectivas do agora não o permitem, adianta ficar sonhando ou traçando este objetivo? Para que você não fique no mundo da lua, meio maluquinho, estoure a sua ponte antes de atravessá-la, rompa com este objetivo e parta para outros sonhos! 

ESTOURAR A PONTE NO MOMENTO DE ATRAVESSÁ-LA:
Acredito que tenha ficado claro, mas cabe o reforço. O fato de você desejar não ficar numa situação desagradável é válido, entretanto você não saber o que é mais agradável, já não o é! Ou seja, a falta de perspectiva nem explorada em pensamento, não leva a lugar algum. Você tem a obrigação consciencional de criar alternativas melhores. Nos dias de hoje, não podemos nos dar ao luxo de sair sem destino. O nosso futuro não é responsabilidade de outrem, nós é que construímos o nosso futuro. Sem desculpas, pode começar...
 

ESTOURAR A PONTE DEPOIS DE ATRAVESSÁ-LA.
No início comentei sobre as pessoas que realizaram o sucesso e outras que não tiveram a mesma sorte. Em primeiro lugar, acredito que temos de definir o que é sucesso. Sou pelas coisas simples, sucesso é gostar do que faz e fazer o que gosta. Tentamos nos moldar em uma cultura de determinados valores, onde o sucesso é medido pela posse de coisas, mas é muito mesquinho você ter e não desfrutar daquilo que realmente deseja. As pessoas que realizaram a oportunidade de estourar as suas pontes de modo adequado e consistente, não só imaginaram, atravessaram e encontraram os objetivos do outro lado.  Os objetivos a serem perseguidos, foram construídos dentro de uma visão clara do que se queria alcançar, em tempo suficiente, de modo adequado, através de fatores pessoais ou impessoais, facilitadores ou não, enfim o grau de comprometimento utilizado para a sua concretização.

A visão sem ação, não passa de um sonho.
A ação sem visão é só um passatempo.
A visão com ação pode mudar o mundo.


Autoria de Martha Medeiros

Enviado por Yeda Sisti

CÃES TÊM EMPATIA PELAS EMOÇÕES HUMANAS


por Redação Galileu


Pesquisadoras do Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazr, em Portugal, constaram que os cachorros parecem sentir empatia pelas emoções humanas, tanto que os animais usados em terapias podem até adquirir as emoções de seus donos.
De acordo com o estudo, os animais não copiam simplesmente as emoções que estão ao seu redor. Cães podem ficar chateados como uma criança quando criados em um ambiente familiar com brigas. E podem pedir por ajuda no caso de emergências, o que sugere certo grau de percepção e empatia.
>> Cães podem ajudar criança a aprender
>> Cães que latem muito podem estar com depressão, diz estudo

Mas não é fácil enganar um cachorro. Em um experimento em que os donos dos animais fingiram um acidente ou um ataque cardíaco, os cães ficaram confusos e não prestaram socorro. Para as pesquisadoras, isso acontece porque o cão tem que sentir outros sinais, como cheiro e sons. Outro estudo mostrou que cachorros usados em terapias são afetados emocional e fisicamente por seu "trabalho", se beneficiando de massagens e outras práticas calmantes.
De acordo com as cientistas, os cães são afetados pelas emoções humanas por que são descendentes dos lobo, caninos sociais, cooperativos e que sentem empatia por outros lobos. A evolução e a domesticação teriam feito com que os cachorros conseguissem sincronizar suas emoções às humanas. Outro motivo seria a seleção artificial, que buscou animais cada vez mais inteligentes – e provavelmente capazes de “entender” melhor as pessoas.
Segundo o Discovery News, mais pesquisas devem ser realizadas para entender a origem do comportamento canino, as diferenças entre raças e a possibilidade de treinamento para essas habilidades emocionais.

Foto Vera / Labradora Diana

Enviado por José Carlos

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

PROTEÇÃO ESPIRITUAL

     

PROTEÇÃO ESPIRITUAL
PARA QUE TE CUIDEM!

^j^           ^j^          ^j^           ^j^             ^j^             ^j^          ^j^

MIGUEL   JOFIEL    HAMUEL    GABRIEL       RAFAEL       URIEL      SADKIEL
 


DEUS NUNCA TE MANDARÁ MAIS DO QUE POSSA MANEJAR!
ESTOU TE MANDANDO SETE ARCANJOS.
MANDE- OS A TODAS AS PESSOAS QUE VOCE GOSTA.
E RECEBERÁS ALGO QUE ESTAVA ESPERANDO DURANTE MUITO TEMPO.
TENHA MUITA FÉ!

Recebi essa mensagem da Fátima e confesso que fiquei feliz em recebê-la, pois chegou em uma hora em que estava estressadíssima tendo que lidar sozinha com reformas, pedreiros, calheiros, pintores, etc.  Todos querendo cobrar muito pelo serviço, na maioria das vezes, mal feito ou mal caprichado.

Meu amigo Egberto confidenciou-me que quando tem que lidar com esses profissionais sente-se muito mal, com uma sensação de que está sendo ludibriado, devido ao fato de não entender desse ofício. Pois era assim mesmo que eu estava me sentindo. Apesar desse não ser meu metier, o bom senso me dizia que as coisas não estavam tão certas, havia erros de cálculo, falta de prumo, etc. E isso me estressava demais!

Lendo essa pequena oração de proteção espiritual resolvi não me incomodar mais tanto e deixar a coisa rolar. Afinal a gente vai e a casa fica... Espero que ela possa fazê-los sentirem-se protegidos e abençoados também. 

Essa imagem de um anjo protegendo duas crianças, também recebida por e-mail, me fez recordar de minhas aulas de catecismo na infância. Era uma imagem muito comum na época. Assim sendo, que os anjos, arcanjos, serafins e querubins nos protejam hoje e sempre! Amém!



INSTITUIÇÃO DE CIÊNCIA DISCRIMINA MULHER

Paula Giolito/Folhapress
[Image]


Ana Paula Chiaradia, coordenadora de matemática da Unesp, na sua sala de trabalho

 SABINE RIGHETTI
DE SÃO PAULO

Quem conhece a história de Lawrence Summers, ex-reitor de Harvard, pode concordar com um estudo recente que afirma: o preconceito contra mulheres na ciência é, sobretudo, institucional.
Summers ficou conhecido em 2008 por afirmar que as mulheres teriam menos aptidão para as ciências. A frase causou comoção e manifestações de cientistas. Três anos depois, o debate está longe de ser esgotado.

Stephen Ceci e Wendy Williams, da Universidade Cornell, EUA, debruçaram-se sobre 20 anos de dados sobre candidatura a vagas de trabalho, financiamento de pesquisa e publicação de artigos científicos nos EUA. Eles viram que a quantidade de mulheres na ciência aumentou desde a década de 1970. Mas elas ainda não chegam ao topo por causa da chamada "discriminação institucional". Por exemplo, as mulheres recebem menos recursos para fazer pesquisa e têm menos oportunidades de trabalho em ciências -especialmente nos cargos de chefia. O trabalho está publicado na revista científica PNAS ("Proceedings of the National Academy of Sciences").

Os autores verificaram também que em algumas áreas, como na matemática, as cientistas revelam que se sentem tão isoladas e insatisfeitas no meio "masculino", que desistem da carreira.
Para a socióloga da Unicamp Maria Conceição da Costa, que estuda gênero e ciência, a pesquisa dos EUA faz bastante sentido. "As mulheres não conseguem alcançar os mesmos patamares porque a maior parte dos comitês de julgamento de bolsas é formado por homens, assim como os líderes de pesquisa e chefes de departamento", diz.

Em outras palavras: homens tendem a escolher homens para cargos de chefia. Uma das exceções é a professora Ana Paula Marins Chiaradia, coordenadora de matemática da Unesp (Universidade Estadual Paulista) de Guaratinguetá. "Nunca me senti isolada ou insatisfeita, nem percebi qualquer tipo de discriminação por ser mulher", conta. A matemática, no entanto, revela que teve dificuldades para conciliar a maternidade com a profissão porque os órgãos de fomento não estão "preparados" para lidar com cientistas mamães. "A maternidade atrapalhou a minha produção científica e senti incompreensão por parte dos órgãos que me avaliam", contou Chiaradia. "É difícil voltar a trabalhar depois de uma licença maternidade. A cabeça está no filho e não na pesquisa", diz.

Apesar de conquistas recentes no Brasil, como licença maternidade para bolsistas de mestrado e doutorado (concedida ano passado), as mamães pesquisadoras saem perdendo nas avaliações de produtividade.  


Enviado pelo Egberto Turato         

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

PIZZAS VEGETARIANAS PARA AJUDAR O GAAR CAMPINAS - GRUPO DE APOIO AOS ANIMAIS DE RUA

http://3.bp.blogspot.com/-sNb3LcqG5aE/TWGCdWoe3CI/AAAAAAAAH4U/qg51ADwYqU4/s1600/%253D%253FISO-8859-1%253FQ%253FPIZZAS_VEGETARIANAS_PARA_AJUDAR_O_GAAR_%253D2D_at%253DE9_28%253D2E02%253D2E11_com%253F%253D%2509%253D%253FISO-8859-1%253FQ%253F_desconto%253D2Ejpg%253F%253D-721807

APROVEITEM OS PREÇOS PROMOCIONAIS, DEGUSTEM DELICIOSAS PIZZAS VEGETARIANAS E AJUDEM NA CASTRAÇÃO DE ANIMAIS RECOLHIDOS
NAS RUAS!
ENCOMENDAS PELO FONE: 19-32714779  OU E-MAIL: ocampos_ro@yahoo.com.br

VIOLÊNCIA DOMÉSTICA NO BRASIL


Pesquisa diz que 5 mulheres apanham 
a cada 2 minutos

Pesquisa feita pela Fundação Perseu Abramo em parceria com o Sesc projeta uma chocante estatística: a cada dois minutos, cinco mulheres são agredidas violentamente no Brasil. E já foi pior: há 10 anos, eram oito as mulheres espancadas no mesmo intervalo.

Realizada em 25 Estados, a pesquisa Mulheres brasileiras e gênero nos espaços público e privado ouviu em agosto do ano passado 2.365 mulheres e 1.181 homens com mais de 15 anos. Aborda diversos temas e complementa estudo similar de 2001. Mas a parte que salta aos olhos é, novamente, a da violência doméstica.

"Os dados mostram que a violência contra a mulher não é um problema privado, de casal. É social e exige políticas públicas", diz Gustavo Venturi, professor da Universidade de São Paulo (USP) e supervisor da pesquisa. Para chegar à estimativa de mais de duas mulheres agredidas por minuto, os pesquisadores partiram da amostra para fazer uma projeção nacional. Concluíram que 7,2 milhões de mulheres com mais de 15 anos já sofreram agressões - 1,3 milhão nos 12 meses que antecederam a pesquisa.

A pequena diminuição do número de mulheres agredidas entre 2001 e 2010 pode ser atribuída, em parte, à Lei Maria da Penha. "A lei é uma expressão da crescente consciência do problema da violência contra as mulheres", afirma Venturi. Entre os pesquisados, 85% conhecem a lei e 80% aprovam a nova legislação. Mesmo entre os 11% que a criticam, a principal ressalva é ao fato de que a lei é insuficiente. 

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

domingo, 20 de fevereiro de 2011

CONVÍVIO COM ANIMAIS DE ESTIMAÇÃO MELHORA SISTEMA IMUNOLÓGICO DE ADULTOS E CRIANÇAS, E REDUZ OS NÍVEIS DE ESTRESSE



  • Ter um animal de estimação é uma alegria dentro de casa. Mas será que eles foram trazidos ao mundo para nos dar somente felicidade e nos fazer companhia? 

    Pesquisas realizadas pelo Departamento de Psicologia Experimental da Universidade de São Paulo, USP, e encomendadas pela Comissão de Animais de Companhia, Comac, reuniram uma série de estudos nacionais e internacionais que confirmam que o convívio com os animais de estimação traz benefícios à saúde. 

    Entre algumas das observações foi destacada a melhora da imunidade de crianças e adultos, redução dos níveis de estresse e da incidência de doenças comuns, como dor de cabeça ou resfriado.

    Quanto ao reforço da defesa do organismo, de acordo com o levantamento, os benefícios independem da idade. Os pesquisadores da USP citam um trabalho que identificou vários benefícios aos bebês que convivem com cães, já que certas proteínas que desempenham um importante papel na regulação do sistema imunológico e das alergias aumentam significativamente em bebês de um ano de idade quando expostos precocemente a um cão.

    Mas, de acordo com a pesquisa do Radar Pet, idealizada pela Comac, ainda há resistência dos casais que possuem filhos pequenos em adquirirem um animal de estimação: 44% das residências que têm pelo menos um pet são de casais com filhos jovens ou adolescentes; este número cai para 16% quando se trata de casais com filhos pequenos com idade até 09 anos.

    Um gesto simples pode trazer importantes efeitos ao sistema imunológico de pessoas de qualquer idade. Acariciar um cão pode elevar os níveis de imunoglobulina A, um anticorpo presente nas mucosas que evita a proliferação viral ou bacteriana, sendo importante na prevenção de várias patologias.


    Agora, quanto aos benefícios ao coração, outros estudos identificados pelos pesquisadores da USP também avaliaram as taxas de sobrevivência, no ano posterior a um infarto agudo do miocárdio, em donos de cães, gatos, outros animais de estimação e em pessoas que não possuíam bichos. Segundo os pesquisadores, depois de determinado período, verificou-se que a posse de um cão contribuiu significativamente para a sobrevivência dos pacientes, pelo menos no ano seguinte ao incidente.

    Já no controle da hipertensão arterial, os estudos apontam benefícios também neste sentido. Profissionais que viviam em condições de estresse e faziam controle da doença com medicação, foram divididos em dois grupos, os que possuíam um cão ou gato e os que não possuíam animais. Seis meses depois do início do monitoramento, um dos trabalhos constatou que as taxas de pressão diminuíram para ambos os grupos. Entretanto, nas situações geradoras de estresse a resposta foi melhor para os donos de cães. Esta situação mostrou a diminuição dos níveis de estresse, obtidos com o contato com os pets.

    Então, para você que tem um cão ou um gato, aproveite todos os benefícios que eles trazem. Para você que não tem, talvez fosse esse o empurrãozinho que precisavam para adquirir um animal de estimação.
    Thaís Pires - JFNOTICIAS.com

    Enviado pelo André Zanarella da Clínica Veterinária Neco-Inu/Jacareí

RUBÁIYÁT DE OMAR KHÁYYÁM




146
" Lâmpadas que se apagam,
esperanças que se acendem: 
Aurora. *
Lâmpadas que se acendem,
esperanças que se apagam:
Noite. "
152
"A aurora encheu de rosas a taça do Céu.
No ar de cristal ecoa o último canto do rouxinol.
*O perfume do vinho é mais suave... Ó delícia!...
*E dizer-se que em momentos tais
há insensatos que sonham com a glória
e cuidam de honrarias!
*Tua cabeleira, ó minha bem-amada,
é macia como a seda. "

93
" Quando eu não viver mais, não haverá mais rosas,
nem ciprestes, nem lábios vermelhos, nem vinhos perfumados.
*Não haverá mais auroras, nem crepúsulos,
nem alegrias, nem penas.
*O universo não existirá mais,
pois tudo existe em função do meu pensamento. "


Revendo meus livros antigos descobri esta 11a. edição dos poemas de Omar Kháyyám, publicada em 1955 pela Livraria José Olympio, com posfácio de Alceu Amoroso Lima (Tristão de Athayde).  Desde que o ganhei de presente de aniversário, ainda menina, de um amigo libanêz do meu pai, apaixonei-me pela obra desse poeta persa, nascido no ano de 1040 da era cristã e que foi também matemático e astrônomo.  Rubáiyát é o plural da palavra persa Rubai e quer dizer quartetos.

Obra primorosa traduzida por Octavio Tarquinio de Souza, agrega ainda uma carta escrita por Athayde ao tradutor onde reflete sobre o pensamento do poeta persa: "Omar não fez mais do que repetir a filosofia do Eclesiastes. E repetindo-o deliciosamente, com toda a doçura, a beleza, a sutileza de um poeta eterno, ele não fez mais também do que falar a uma face eterna do homem." 

Um homem, um poeta, um cientista, um pensador...  E neste domingo de sol, final do horário de verão, acompanhada de meus livros e parafraseando o poeta, penso que: "No turbilhão da vida só são felizes aqueles que, presumindo saber tudo, não buscam instruir-se..."* 

Minha amiga Yeda vai entender porque digo isso. Quando jovens passeávamos na praça perto de casa com nossas cachorras filosofando sobre a vida, sobre nossos sonhos, nossos desejos. Sabíamos que quanto mais líamos e estudávamos maior a consciência da nossa ignorância em relação a tantas coisas e isso nos angustiava. Lembro-me da Yeda ter dito que invejava as pessoas que pouco questionavam, pouco buscavam, achando que já sabiam tudo que precisavam e eram felizes. Milênios atrás um poeta angustiava-se também. A poesia é a linguagem da alma eterna...

Vera Chvatal

Foto Vera / feita ao amanhecer a bordo de um balão da Göreme Ballons na Cappadocia em 2009

HERÓI DOS AMIGOS PELUDOS DE QUATRO PATAS...



O frentista Rosinaldo de Souza, 30 anos, arriscou sua própria vida para salvar na tarde deste sábado uma cadela que fugiu do Pet Shop América, na Avenida das Américas, no Rio de Janeiro. Rosinaldo pulou no canal de Marampendi, na Barra da Tijuca, para salvar a cachorra.

UOL notícias

O QUE É VIVER BEM?

 
Um repórter perguntou à poetiza Cora Coralina: O que é viver bem? Ela lhe disse com muita sabedoria: 
 
“Eu não tenho medo dos anos e não penso em velhice. E digo prá você, não pense. Nunca diga estou envelhecendo, estou ficando velha. Eu não digo. Eu não digo estou velha, e não digo que estou ouvindo pouco. É claro que quando preciso de ajuda, eu digo que preciso.

Procuro sempre ler e estar atualizada com os fatos e isso me ajuda a vencer as dificuldades da vida. O melhor roteiro é ler e praticar o que lê. O bom é produzir sempre e não dormir de dia. Também não diga prá você que está ficando esquecida, porque assim você fica mais.

Nunca digo que estou doente, digo sempre: estou ótima. Eu não digo nunca que estou cansada. Nada de palavra negativa. Quanto mais você diz estar ficando cansada e esquecida, mais esquecida fica. Você vai se convencendo daquilo e convence os outros. Então silêncio!

Sei que tenho muitos anos. Sei que venho do século passado, e que trago comigo todas as idades, mas não sei se sou velha não. Você acha que eu sou? Posso dizer que eu sou a terra e nada mais quero ser. Filha dessa abençoada terra de Goiás.

Convoco os velhos como eu, ou mais velhos que eu, para exercerem seus direitos. Sei que alguém vai ter que me enterrar, mas eu não vou fazer isso comigo.

Tenho consciência de ser autêntica e procuro superar todos os dias minha própria personalidade, despedaçando dentro de mim tudo que é velho e morto, pois lutar é a palavra vibrante que levanta os fracos e determina os fortes. O importante é semear, produzir milhões de sorrisos de solidariedade e amizade.

Procuro semear otimismo e plantar sementes de paz e justiça. Digo o que penso, com esperança. Penso no que faço, com fé. Faço o que devo fazer, com amor. Eu me esforço para ser cada dia melhor, pois bondade também se aprende".

Foto Vera/ Mesquita Santa Sophia, Istambul 2009 (parede em que os peregrinos, e/ou turistas, em um ritual que se repete há séculos, fazem um círculo com o dedo pedindo para retornar...)

sábado, 19 de fevereiro de 2011

REFLEXÕES DA GIGI


 ” De tanto ver triunfar as nulidades 
e agigantar-se o poder nas mãos dos maus, 
o homem chegará a rir-se da honra 
e sentirá vergonha de ser honesto! ”

Rui Barbosa

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

PENSAMENTO DO MÊS: FEVEREIRO/2011


Às vezes é preciso dar uma parada pra não perder o foco.

"Crie filhos em vez de herdeiros."

"Dinheiro só chama dinheiro, não chama para um cineminha, nem para tomar um sorvete."

"Não deixe que o trabalho sobre sua mesa tampe a vista da janela."

"Não é justo fazer declarações anuais ao Fisco e nenhuma para quem você ama."

"Para cada almoço de negócios, faça um jantar à luz de velas."

"Por que as semanas demoram tanto e os anos passam tão rapidinho?"

"Quantas reuniões foram mesmo esta semana? Reúna os amigos."

"Trabalhe, trabalhe, trabalhe. Mas não se esqueça, vírgulas significam pausas..."

"... e quem sabe assim você seja promovido a melhor (amigo / pai / mãe / filho / filha / namorada / namorado / marido / esposa / irmão / irmã.. etc.) do mundo!"

"Você pode dar uma festa sem dinheiro.  Mas não sem amigos."

Autor desconhecido / enviado pelo Ricardo Baldo
FOTO VERA 

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

REFLEXÕES DA GIGI

"Uma parte de mim é todo mundo, outra parte é ninguém. 
Fundo sem fundo. 
Uma parte de mim é multidão, outra parte, estranheza e solidão. 
Uma parte de mim pesa, pondera, outra parte delira. 
Uma parte de mim almoça e janta, outra parte se espanta. 
Uma parte de mim é permanente, outra parte se sabe de repente. 
Uma parte de mim é só vertigem, outra parte é linguagem. 
Traduzir uma parte noutra parte que é uma questão de vida ou morte. 
Será Arte?" 
(Ferreira Gullar)

sábado, 12 de fevereiro de 2011

GELATINA AO CREME COM MORANGOS


  •  
  • 2 caixas de gelatina sabor morango
  • 1 lata de leite condensado
  • 1 lata de creme de leite
  • 1 e 1/2 latas de leite (use a medida do leite condensado)
  • 2 colheres (sopa) de maizena
  • 1 caixa de morangos cortados ao meio (limpos e sem folhas)
  •  
  • Modo de Preparo
  1. Dissolva a gelatina conforme as instruções da embalagem
  2. Reserve
  3. Em uma panela coloque o leite condensado, o creme de leite e metade do leite
  4. Mexa sem parar em fogo brando
  5. Misture a maizena no restante do leite e acrescente ao creme
  6. Mexa até ficar um creme consistente
  7. Deixe esfriar
  8. Em um refratário de vidro, espalhe o creme e coloque os morangos cortados ao meio, por cima
  9. Com uma colher coloque a gelatina por cima dos morangos
  10. Leve para gelar por aproximadamente 3 horas


Fonte UOL (Tudo Gostoso)

SÍMBOLO DO MUNDO DIGITAL








Não se sabe ao certo a origem do símbolo arroba, mas imagina-se que tenha surgido ainda na Antiguidade, entre as civilizações gregas e romanas para abreviar a expressão de equivalência entre o peso de mercadorias. 

Com o passar do tempo, o arroba tornou-se uma unidade de medida, geralmente utilizada no comércio de animais ou grãos: 1@ = 14,688 kg.

A utilização do símbolo na informática só se deu em 1971, quando o programador Ray Tomilson o utilizou pela primeira vez por pura simpatia e comodidade.  Ray necessitava de um símbolo compatível com a maioria dos sistemas em rede e que fosse diferente o bastante para não ser confundido com os caracteres dos nomes das pessoas. 

A moda pegou e não se manda um e-mail (ou tuíte) sem digitá-lo Getty Images

FONTE: UOL TECNOLOGIA

sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

SUCHÁS: UMA MANEIRA REFRESCANTE DE CUIDAR DA SAÚDE



O que são os suchás? O nome já diz tudo - são uma mistura de sucos de frutas e hortaliças, com a infusão ou decocção de plantas medicinais. Sua principal função é ajudar no processo de desintoxicação do organismo, fornecer nutrientes e substâncias importantes para a saúde e ... refrescar!

Essa combinação de chás com sucos é uma alternativa deliciosa e refrescante contra o efeito acumulativo de toxinas no organismo, geralmente causado pela má nutrição, problemas intestinais, metabólicos e outros – que a longo prazo podem provocar alterações hormonais, ganho de peso, envelhecimento precoce e até propensão para doenças graves. Fáceis de fazer, os suchás podem fazer parte de sua dieta diária, especialmente nos dias quentes!  

Anote algumas receitas e nossa sugestões:
Dicas:
1. Para preparar as infusões, coloque 1 xícara (chá) de água no fogo e assim que ferver , desligue o fogo. Coloque 1 colher (sobremesa) da erva ou 1 sachê, tampe, deixe em infusão por 5 minutos e coe.
2. Você tambem pode utilizar as versões solúveis para preparar o chá com mais praticidade.

Suchá para aumentar a resistência orgânica:
Maçã e anis estrelado
1 xícara (chá) de infusão de anis estrelado; 1 maçã pequena sem casca e sem sementes; gelo à gosto. Bater tudo no liquidificador, colocar o gelo só depois de bater.

Suchás para desintoxicar e desinchar:
Abacaxi e cavalinha
1 xícara (chá) de infusão de cavalinha in natura ou sachê; 1 rodela bem fina de abacaxi; 4 folhinhas de hortelã;  1 colher (chá) de mel (opcional); gelo à gosto. Bater tudo no liquidificador, colocar o gelo só depois de bater.

Sete sangrias e kiwi
1 xícara (chá) de infusão de sete sangrias; suco de 1 laranja pêra; 1 kiwi pequeno sem casca picado; 1 colher (chá) de mel (opcional); gelo à gosto. Bater tudo no liquidificador, colocar o gelo só depois de bater.

Suchás para queimar gorduras e limpar o organismo:
Hibisco e couve
1 xícara (chá) de infusão de cálices secos de hibisco in natura ou sachê; 1 folha pequena de couve bem lavada e sem o talo, suco de 1 laranja pêra; 1 colher (chá) de mel (opcional);  gelo à gosto. Bater tudo no liquidificador, colocar o gelo só depois de bater.

Chá de Oliveira com gengibre e maçã
1 xícara (chá) de infusão de chá de oliveira in natura ou sachê; 1 maçã pequena com casca e sem sementes; 1 fatia fininha de gengibre sem casca; 1 colher (chá) de mel (opcional); gelo à gosto. Bater tudo no liquidificador, colocar o gelo só depois de bater.

Para desinchar e diminuir a ansiedade
Amora com melissa e maracujá
1 xícara (chá) de infusão de melissa in natura ou sachê; 1 xícara (chá) de infusão de amora in natura ou sachê; p
olpa de 1 maracujá passada na peneira para retirar as sementes; 1 pêra sem casca e sementes; 1 colher (chá) de mel; gelo à gosto. Bater tudo no liquidificador, colocar o gelo só depois de bater.
Fale com a Loja do Jardim:
atendimento@jardimdeflores.com.br
Tele-atendimento: 11 2365.6551 - 2365.6552
 

Enviado pelo JCarlos

"TODOS OS REIS ESTÃO NÚS"

 (Contardo Calligaris)

Que Deus nos guarde de todos os que não enxergam sua própria nudez,  sejam eles reis ou não.

JÁ ESTÁ em cartaz (pré-estreia) "O Discurso do Rei", de Tom Hooper. O filme foi indicado ao Oscar em doze categorias; a atuação de Colin Firth (o rei) é tão inesquecível quanto a de Geoffrey Rush (o terapeuta).

Resumo. Quando George 5º morreu, o filho primogênito lhe sucedeu (com o nome de Eduardo 8º), mas por um breve período: logo ele abdicou, por querer uma vida diferente daquela que o ofício de rei lhe proporcionaria. Com isso, o cadete, duque de York, tornou-se rei -inesperadamente e num momento decisivo: era a véspera da Segunda Guerra Mundial.

O duque de York (e futuro George 6º) era tímido, temperamental e, sobretudo, gago - isso numa época em que, graças ao rádio, a oratória dos ditadores incendiava as praças do mundo: na hora do perigo, para que serve um rei se ele não consegue ser a voz que fala para o povo e por ele?

O filme, imperdível, conta a história (verídica) da relação entre o rei e seu terapeuta, Lionel Logue, um fonoaudiólogo australiano pouco ortodoxo. Eis algumas reflexões saindo do cinema.

1) Qualquer terapia começa com uma dificuldade prática: uma impotência, a
  necessidade de um conselho, uma estranha tensão nos ombros, uma gagueira. A relação terapêutica se constrói a partir dessa dificuldade: o terapeuta é quem saberá nos livrar do transtorno, seja ele fonoaudiólogo, terapeuta corporal, eutonista, psi (de qualquer orientação) etc.

Quer queira quer não, a ação do terapeuta é dupla: relaxaremos o ombro, exercitaremos a dicção ou endireitaremos o pensamento do paciente, mas, de uma maneira ou de outra, acabaremos mexendo nas fontes de um mal-estar mais geral que talvez se manifeste no transtorno.

2) Há, às vezes (mais vezes do que parece), escondidas no nosso âmago, ambições envergonhadas ou vergonhosas, que não confessamos nem a nós mesmos. Quando sua realização se aproxima, só podemos inventar jeitos de fracassar, porque, no caso, não nos autorizamos a querer o que desejamos. Obviamente, detestamos a voz do terapeuta que se aventura a nos dizer o que
queremos mas não nos permitimos. Essa voz atrevida é a única aliada de desejos que são nossos, mas que encontram um adversário até em nós mesmos.

3) No trabalho psicoterapêutico, o segredo de polichinelo é que, por mais que suspendamos diplomas em nossas salas de espera, somos todos leigos e aventureiros. Não sei se existem cursos ou estágios que ensinem a ouvir o que Logue ouve e entende do desejo escondido do duque de York. Certamente não há formações que ensinem a coragem maluca do terapeuta do rei, seu esforço para se colocar, sem medo, ao serviço do que o duque e futuro rei não quer saber sobre si mesmo.

4) Pensando bem, Logue (como Freud) tinha, sim, uma formação que o  qualificava como conhecedor da alma humana e especialmente da dos  reis: a leitura de Shakespeare.

5) Quase sempre, chega o dia em que um paciente descobre que seu terapeuta sabe muito menos do que ele (o paciente) imaginava. O paciente pode até pensar que o terapeuta, atrás de seu bricabraque de saberes práticos, é um impostor. É ótimo que isso aconteça, pois, geralmente, é sinal de que o paciente descobriu que ele também é um impostor. No caso, o terapeuta não é
qualificado para ser terapeuta, exatamente como o rei não é qualificado para ser rei. (Parêntese: em geral, é assim que nasce uma amizade: os dois se tornam amigos por aceitarem estar ambos nus, como o rei da fábula - mesmo que seja só por um instante.)

Não há como ser terapeuta ou rei sem alguma impostura. Todos carregamos máscaras. Avançamos mascarados, enfeitados por mentiras que nos embelezam. Até aqui, tudo bem: essa impostura é uma condição trivial e necessária da vida social. Os melhores conhecem sua impostura e sabem que não estão à altura de sua máscara.

Os piores se identificam com sua máscara. Acreditar nas máscaras que vestimos é um delírio que nos torna perigosos. Não há diferença entre o rei que acreditasse ser rei, o terapeuta que acreditasse ser terapeuta e o anjo exterminador que saisse atirando e matando, perfeitamente convencido de ser uma figura do apocalipse. Os três teriam isto em comum: acreditariam ser a
máscara que eles vestem. Enfim, que Deus nos guarde de todos os que não enxergam sua própria nudez.

Fonte: Folha de S. Paulo

Data: 02 de fevereiro de 2011
Link: http://www1.folha.uol.com.br/fsp/ilustrad/fq0302201122.htm

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

AVISO PARA QUEM VISITAR A MINHA CASA...


 01 - Seja sempre bem-vindo (a).
 
02 - Lembre-se de que os meus cachorros vivem aqui. Você não. 

 03  - Se você não quer pêlos de cachorros em suas roupas, fique em pé, longe do sofá. 
 
04 - Sim, o cachorros têm hábitos desagradáveis. Eu também, assim como você. E daí?! 


05 - Claro que eles cheiram a cachorros. Já percebeu como nós, humanos, cheiramos ao final de um dia de trabalho? Coloque-se no lugar de alguém que tem um olfato 400 vezes mais sensível que o seu e sempre o receberá com explosões de carinho no retorno ao lar. 

06 - É da natureza deles tentarem cheirar você. Por favor, sinta-se à vontade para cheirá-los também.


07 - Se existisse algum risco dos cachorros mordê-lo (la), eu não os deixaria se aproximarem de você. Porém, não posso impedi-los de responder a agressões, as quais podem ocorrer até em pensamento, seja para com eles, seja para comigo a quem devotam fidelidade. Os cachorros percebem, tenha certeza.

 08 - Você já tentou beijar alguém e recebeu em troca um empurrão? Se um dos cachorros tentar lambê-lo é porque aprova sua presença e quer demonstrar isso carinhosamente a você; e lembre-se que cachorros não mentem nem fingem.


 09 - Aqui cachorros recebem os devidos cuidados veterinários, alimentação sadia e cuidados higiênicos. Sua companhia é altamente recomendada pelos médicos, e a maioria das doenças que contraímos ao longo da vida com certeza são transmitidas por outros humanos.
  

10 - Há diversas situações nas quais cachorros são preferíveis a pessoas. Afinal de contas, sempre podemos confiar inteiramente em sua fidelidade e sinceridade.

 
11 - Para alguns eles são simples cachorros. Para mim são filhos adotivos que andam de 4 e não falam tão claramente. Eu não tenho problema em nenhum desses pontos. E você?


12  - Volte sempre que quiser, pois será bem-vindo (a). Até pelos cachorros. Eles são mais sensíveis que nós, bastando se aproximar para distinguir com clareza os verdadeiros amigos de pessoas falsas.


(Autor desconhecido)

Concordo em gênero, número e grau!  rsrsrsrsrsrsrsrsssssssss

Fotos Vera

domingo, 6 de fevereiro de 2011

A MAIOR ORQUÍDEA DO PAÍS



Orquídea rara, de 3 metros, atrai turistas, em Brasília. 
Ela já é considerada a maior do Brasil.

UOL Notícias

OBRAS DE ARTE AMEAÇADAS NO EGITO

A poucos metros da praça Tahrir --onde manifestantes pró e contra o governo do Egito trocam tiros, pedradas e bombas incendiárias-- obras de arte de mais de 5.000 anos, sensíveis a fumaça e a mudanças de temperatura, correm risco de degradação. 
 
Elas estão no Museu Egípcio, que foi construído em 1902 e reúne o maior acervo de obras do Egito antigo --cerca de 120 mil. O local já foi alvo de saqueadores no início dos conflitos e teve seu jardim atingido em atos de vandalismo. A rede de TV Al Jazeera entrou no museu e mostrou vitrines e estatuetas em pedaços e múmias destruídas. 

Segundo o ministro egípcio para Antiguidades, Zahi Hawass, cerca de 70 peças sofreram avarias e terão de ser restauradas. Entre elas estão duas esculturas do faraó Tutancâmon, que reinou por volta de 1330 a.C. 


Editoria de Arte/ Folhapress
Ele rejeita, porém, comparações com a destruição do patrimônio histórico no Iraque e no Afeganistão. Para Denis Molino, professor de história da arte e assistente da curadoria do MASP (Museu de Arte de São Paulo), o prejuízo causado por uma eventual invasão do museu seria inestimável. 

"Apesar de grande parte da coleção de arte egípcia ter sido roubada por europeus nos séculos 18 e 19, o museu reúne tesouros de Tutancâmon e artefatos datados de 3.000 a.C.", disse. No acervo estão a múmia e a máscara mortuária de Tutancâmon, além de dez múmias de faraós, como a de Ramsés 2º. Segundo Molina, outra peça importante é a Paleta de Narmer, hieróglifo datado de 3.200 a.C. "São inscrições pré-dinásticas sobre a união das terras [do norte e do sul] que deu ao Egito uma unidade política e econômica". 

Segundo ele, as obras mais frágeis são aquelas elaboradas em madeira e com pigmentos. Em hipótese de invasão, mesmo que não fossem destruídas ou roubadas, elas se degradariam, pois o museu deixaria de ter temperatura e umidade controladas. O acervo também é sensível à fumaça trazida de incêndios na praça. A Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura) fez um apelo para que o país proteja suas obras. 

"O valor de 120 mil peças no Museu Egípcio do Cairo é inestimável, não só em termos científicos ou financeiros, mas porque eles representam a identidade cultural do povo egípcio", afirmou Irina Bokova, diretora-geral da Unesco. 

Com agências de notícias 

Enquanto se destroi esse inestimável patrimônio da humanidade, o que fazem os grandes líderes para por um fim nisso? É tão difícil assim tirar um ditador do poder?