Translate

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

domingo, 28 de novembro de 2010

AS 10 ESTRATÉGIAS DE MANIPULAÇÃO MIDIÁTICA


Noam Chomsky *

O linguista Noam Chomsky elaborou a lista das "10 Estratégias de Manipulação"através da mídia.

1. A estratégia da distração. O elemento primordial do controle social é a estratégia da distração, que consiste em desviar a atenção do público dos problemas importantes e das mudanças decididas pelas elites políticas e econômicas, mediante a técnica do dilúvio ou inundação de contínuas distrações e de informações insignificantes. A estratégia da distração é igualmente indispensável para impedir que o público se interesse pelos conhecimentos essenciais, na área da ciência, da economia, da psicologia, da neurobiologia e da cibernética. "Manter a atenção do público distraída, longe dos verdadeiros problemas sociais, cativada por temas sem importância real. Manter o público ocupado, ocupado, ocupado; sem nenhum tempo para pensar; de volta à granja com outros animais (citação do texto "Armas silenciosas para guerras tranquilas").

2. Criar problemas e depois oferecer soluções. Esse método também é denominado "problema-ração-solução". Cria-se um problema, uma "situação" prevista para causar certa reação no público a fim de que este seja o mandante das medidas que desejam sejam aceitas. Por exemplo: deixar que se desenvolva ou intensifique a violência urbana, ou organizar atentados sangrentos, a fim de que o público seja o demandante de leis de segurança e políticas em prejuízo da liberdade. Ou também: criar uma crise econômica para forçar a aceitação, como um mal menor, do retrocesso dos direitos sociais e o desmantelamento dos serviços públicos.

3. A estratégia da gradualidade. Para fazer com que uma medida inaceitável passe a ser aceita basta aplicá-la gradualmente, a conta-gotas, por anos consecutivos. Dessa maneira, condições socioeconômicas radicalmente novas (neoliberalismo) foram impostas durante as décadas de 1980 e 1990. Estado mínimo, privatizações, precariedade, flexibilidade, desemprego em massa, salários que já não asseguram ingressos decentes, tantas mudanças que teriam provocado uma revolução se tivessem sido aplicadas de uma só vez.

4. A estratégia de diferir. Outra maneira de forçar a aceitação de uma decisão impopular é a de apresentá-la como "dolorosa e desnecessária", obtendo a aceitação pública, no momento, para uma aplicação futura. É mais fácil aceitar um sacrifício futuro do que um sacrificio imediato. Primeiro, porque o esforço não é empregado imediatamente. Logo, porque o público, a massa tem sempre a tendência a esperar ingenuamente que "tudo irá melhorar amanhã" e que o sacrifício exigido poderá ser evitado. Isso dá mais tempo ao público para acostumar-se à ideia de mudança e de aceitá-la com resignação quando chegar o momento.

5. Dirigir-se ao público como se fossem menores de idade. A maior parte da publicidade dirigida ao grande público utiliza discursos, argumentos, personagens e entonação particularmente infantis, muitas vezes próximos à debilidade mental, como se o espectador fosse uma pessoa menor de idade ou portador de distúrbios mentais. Quanto mais tentam enganar o espectador, mais tendem a adotar um tom infantilizante. Por quê? "Quando alguém se dirige a uma pessoa como se ela tivesse 12 anos ou menos, em razão da sugestionabilidade, então, provavelmente, ela terá uma resposta ou reação também desprovida de um sentido crítico (ver "Armas silenciosas para guerras tranquilas")".

6. Utilizar o aspecto emocional mais do que a reflexão. Fazer uso do aspecto emocional é uma técnica clássica para causar um curto circuito na análise racional e, finalmente, ao sentido crítico dos indivíduos. Por outro lado, a utilização do registro emocional permite abrir a porta de acesso ao inconsciente para implantar ou enxertar ideias, desejos, medos e temores, compulsões ou induzir comportamentos.

7. Manter o público na ignorância e na mediocridade. Fazer com que o público seja incapaz de compreender as tecnologias e os métodos utilizados para seu controle e sua escravidão. "A qualidade da educação dada às classes sociais menos favorecidas deve ser a mais pobre e medíocre possível, de forma que a distância da ignorância que se planeja entre as classes menos favorecidas e as classes mais favorecidas seja e permaneça impossível de alcançar (ver "Armas silenciosas para guerras tranquilas").

8. Estimular o público a ser complacente com a mediocridade. Levar o público a crer que é moda o fato de ser estúpido, vulgar e inculto.

9. Reforçar a autoculpabilidade. Fazer as pessoas acreditarem que são culpadas por sua própria desgraça, devido à pouca inteligência, por falta de capacidade ou de esforços. Assim, em vez de rebelar-se contra o sistema econômico, o indivíduo se autodesvalida e se culpa, o que gera um estado depressivo, cujo um dos efeitos é a inibição de sua ação. E sem ação, não há revolução!

10. Conhecer os indivíduos melhor do que eles mesmos se conhecem. No transcurso dos últimos 50 anos, os avanços acelerados da ciência gerou uma brecha crescente entre os conhecimentos do público e os possuídos e utilizados pelas elites dominantes. Graças à biologia, à neurobiologia e à psicologia aplicada, o "sistema" tem disfrutado de um conhecimento avançado do ser humano, tanto no aspecto físico quanto no psicológico. O sistema conseguiu conhecer melhor o indivíduo comum do que ele a si mesmo. Isso significa que, na maioria dos casos, o sistema exerce um controle maior e um grande poder sobre os indivíduos, maior do que o dos indivíduos sobre si mesmos.

* Linguista, filósofo e ativista político estadunidense. Professor de Linguística no Instituto de Tecnologia de Massachusetts.

O TRÁFICO NO BRASIL...


SEM COMENTÁRIOS!

sábado, 27 de novembro de 2010

GATINHO TENTA REANIMAR AMIGO...



Neste emocionante vídeo um gatinho tenta sôfrega e incansavelmente reanimar outro gatinho desarcordado ou morto. Uma clara demonstração de apêgo, carinho e sofrimento com a separação e com a morte pelo qual passam todas as criaturas vivas.

Há 20 dias atrás tive que mandar sacrificar uma de minhas Labradoras que estava com câncer terminal. Fiquei com duas de suas filhas, que estão com 9 anos de idade. Desde que Diana (a mãe) se foi, logo pela manhã quando acordam elas uivam dolorosamente, sem parar, por vários minutos, até que eu saia para fora e vá conversar com elas, acarinhá-las. E esse ritual de uivos tem acontecido outras vezes no decorrer do dia, em uma demonstração inequívoca de sofrimento e dor com a perda da mãe.

Natureza e emoção caminham juntas! Todos temos que lidar com nossas dores...

Vera Chvatal


CAMPANHA PUBLICITÁRIA DO CITYBANK ESPALHADA PELA CIDADE DE SP ATRAVÉS DE OUTDOORS


 

"Crie filhos em vez de herdeiros."
 
"Dinheiro só chama dinheiro, não chama para um cineminha, nem para tomar um sorvete."
 
"Não deixe que o trabalho sobre sua mesa tampe a vista da janela."
 
"Não é justo fazer declarações anuais ao Fisco e nenhuma para quem você ama."
 
"Para cada almoço de negócios, faça um jantar à luz de velas."
 
"Por que as semanas demoram tanto e os anos passam tão rapidinho?"
 
"Quantas reuniões foram mesmo esta semana? Reúna os amigos."
 
"Trabalhe, trabalhe, trabalhe. Mas não se esqueça, vírgulas significam pausas..."
 
"...e quem sabe assim você seja promovido a melhor (amigo / pai / mãe / filho / filha / namorada / namorado / marido / esposa / irmão / irmã.. etc.) do mundo!"
 
"Você pode dar uma festa sem dinheiro. Mas não sem amigos."
 
E para terminar:
"Não eduque seu filho para ser rico, eduque-o para ser feliz. Assim, ele saberá o valor das coisas e não o seu preço."
 

 

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

GIGI E O PENSAMENTO DE HOJE

 
'Nem a juventude sabe o que pode, 
nem a velhice pode o que sabe.'
                                        José Saramago

sábado, 20 de novembro de 2010

ESSA MODA PODERIA PEGAR AQUI...


 Essa medida interessante faria sucesso por aqui... Pichações não faltam!

A socialite Paris Hilton começou a prestar serviço comunitário ao qual foi condenada em um processo por posse de cocaína. Usando sapatos de saltos altos, Hilton pintou paredes pichadas em Hollywood.

Hilton, 29, escolheu cumprir a sentença em um grupo chamado Hollywood Beautification Team.
Ela foi condenada a 200 horas de serviço comunitário após ser presa em Las Vegas com uma pequena quantidade de cocaína em sua bolsa. No processo, ela se declarou culpada e pagou multa no valor de US$ 2 mil

BEBÊS JULGAM INTENÇÕES BOAS E MÁS!

recados para orkut

Por Por Sindya N. Bhanoo

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

VIVER A VIDA!

MAX GEHRINGER

 Há determinadas mensagens que, de tão interessante, não precisam nem
 sequer de comentários. Como esta que recebi recentemente. 


"Li em uma revista um artigo no qual jovens executivos davam receitas simples e práticas para qualquer um ficar rico. Aprendi, por exemplo, que se tivesse simplesmente deixado de tomar um cafezinho por dia, nos últimos quarenta anos, teria economizado 30 mil reais. Se tivesse deixado de comer uma pizza por mês, 12 mil reais. E assim por diante.
 Impressionado, peguei um papel e comecei a fazer contas. Para minha surpresa, descobri que hoje poderia estar milionário. Bastaria não ter tomado as caipirinhas que tomei, não ter feito muitas viagens que fiz, não ter comprado algumas das roupas caras que comprei. Principalmente, não ter desperdiçado meu dinheiro em itens supérfluos e descartáveis. Ao concluir os cálculos, percebi que hoje poderia ter quase 500 mil reais na minha conta bancária. É claro que não tenho este dinheiro. Mas, se tivesse, sabe o que este dinheiro me permitiria fazer?
 Viajar, comprar roupas caras, me esbaldar em itens supérfluos e descartáveis, comer todas as pizzas que quisesse e tomar cafezinhos à vontade. Por isso, me sinto muito feliz em ser pobre. Gastei meu dinheiro por prazer e com prazer. E recomendo aos jovens e brilhantes executivos que façam a mesma coisa que fiz. Caso contrário, chegarão aos 61 anos com uma montanha de dinheiro, mas sem ter vivido a vida."
 
 "Não eduque seu filho para ser rico, eduque-o para ser feliz. Assim
 ele saberá o VALOR das coisas e não o seu PREÇO"
  

Que tal um cafezinho? 
Foto Vera/Ilhas Gregas 2009

terça-feira, 16 de novembro de 2010

BAZAR DE NATAL DA AAAC - ASSOCIAÇÃO DOS AMIGOS DOS ANIMAIS DE CAMPINAS


OI PESSOAL!

ESPERO QUE ESTEJAM TODOS BEM.
ESTAREMOS REALIZANDO LOGO NO INÍCIO DE DEZEMBRO O ÚLTIMO BAZAR DO ANO PARA MANUTENÇÃO DOS ABRIGOS DA ASSOCIAÇÃO AMIGOS DOS ANIMAIS DE CAMPINAS - WWW.AAAC.ORG.BR


COMO SABEM, TUDO QUE VENDEMOS VEM DE DOAÇÕES RECEBIDAS. ENTÃO QUE TAL UNIR O ÚTIL AO AGRADÁVEL? 


ANTECIPEM SUAS ARRUMAÇÕES DE FIM DE ANO.
MUITOS OBJETOS E ROUPAS QUE VOCES NÃO USAM MAIS, PODEM SER MUITO BEM VINDOS AO BAZAR, AINDA TEMOS 15 DIAS ATÉ LÁ.


FAÇAM  UM ESFORÇO GARANTO QUE O PAPAI NOEL VAI RECONHECER. REPASSEM AOS SEUS CONTATOS SEM MODERAÇÃO.


UM GRANDE ABRAÇO
OBRIGADO! JOAOROXO

MODA ECOLÓGICA

 
EcoModa é apresentada em Firenze, Itália
 
Neide Schulte relata a apresentação do programa "EcoModa", que tem como uma das características o NÃO USO de produtos obtidos com a exploração de animais (lã, seda, etc.)
 
No Programa de Extensão EcoModa são desenvolvidas atividades com alunos, professores e pessoas da comunidade com o objetivo de disseminar o desenvolvimento sócio-ambiental sustentável. A partir de cursos, oficinas, palestras, exposições e desfiles são criados e apresentados diversos produtos desenvolvidos a partir de reuso, reciclagem e uso de materiais orgânicos. É uma proposta para uma moda que une estética e ética. Fonte: http://www.ceart.udesc.br/
 
 

 
Em Firenze, Itália, no Palazzo Medici, apresentei no dia 12 de novembro o Programa de Extensão EcoModa UDESC.
A coleção “PRIMAVERA SILENCIOSA” homenageia a bióloga Rachel Carson, considerada pelo jornal britânico The Guardian, em 2006, como a pessoa que mais contribuiu para a defesa do meio ambiente natural em todos os tempos.
Com sua obra “PRIMAVERA SILENCIOSA”, publicada em 1962, Carson inicia uma verdadeira revolução em defesa do meio ambiente natural, desencadeando investigações sobre os danos dos inseticidas e outros produtos químicos à saúde humana e para as demais formas de vida. Contudo, a indústria química multimilionária gastou milhares de dólares para difamar sua pesquisa e seu caráter. Por ser cientista, sem doutorado, mulher, amante de pássaros e coelhos, ter gatos, ser solteira aos 54 anos, foi considerada uma histérica cuja visão alarmista do futuro podia ser ignorada ou, caso necessário, silenciada.
Rachel, ao mesmo tempo, lutava contra um inimigo mais poderoso do que a indignação das corporações: um câncer no seio que evoluiu rapidamente para uma metástase. Ela nos deixou o alerta de que “a humanidade parece estar se envolvendo cada vez mais em experiências de destruição de si própria e de seu mundo”.
 

A coleção “PRIMAVERA SILENCIOSA” foi desenvolvida como uma proposta para se repensar o sistema da moda diante da emergência por um modo de vida ambientalmente mais sustentável. Para tanto, foram pesquisados materiais com menor impacto ambiental, como os tecidos orgânicos, reciclados e reaproveitados. Também foram utilizados produtos da cultura local como as rendas de bilro e os acessórios feitos por artesãos. Além disso, buscou-se trabalhar com uma estética menos efêmera, mais atemporal, para que as roupas sejam usadas por mais tempo, não sujeitas à moda passageira.
O Ipê, uma árvore da mata atlântica brasileira, que floresce durante os meses de agosto e setembro, geralmente com a planta totalmente despida da folhagem cujos frutos amadurecem a partir de setembro a meados de outubro, é o tema escolhido para criação da coleção “PRIMAVERA SILENCIOSA”.
Os estágios de transformação do Ipê durante o ano: no inverno, folhas e galhos secos, parecendo estar sem vida, então renasce na primavera com suas flores brancas, amarelas, rosas e roxas, e no verão, o verde exuberante das folhas e o marrom do troco harmoniza o calor entre o céu e a terra, inspiraram a estrutura da coleção “PRIMAVERA SILENCIOSA” que apresenta peças com formas básicas, baseadas na alfaiataria. Uma roupa feita para sair da passarela e ser usada por uma mulher consciente com o mundo que a cerca, que se veste bem e prima pela qualidade.
O trabalho também contou com a participação das professoras Luciana D. Lopes, Aparecida Mª Battisti e Carolina Carioni, das alunas Janaína Figueiredo, Janaína Ramos, Leah Varella, Salete Boschi e, demais professores e alunos do curso de Moda e Design que contribuíram para a realização desse trabalho, que também será apresentado em outros eventos na Colômbia e no Peru em dezembro desse ano, e no Brasil num evento em São Paulo que será promovido em conjunto com a agência ANDA em 2011.
 

Neide Köhler Schulte
neideschulte@gmail.com

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Na Paulista, com uma lâmpada fluorescente

Na Paulista, com uma lâmpada fluorescente

O QUE ESTÁ ACONTECENDO COM NOSSOS JOVENS?


O que está acontecendo com nossos jovens? Recebi a carta abaixo, escrita por um professor universitário escandalizado e preocupado com as atitudes dos estudantes universitários durante os jogos que acontecem todo ano em São Carlos. 

Com o intuíto (?) de promover momentos de congraçamento social, competição sadia e respeito ao próximo tornaram-se momentos de libertinagem, vandalismo e violência!!!



CARTA ABERTA À POPULAÇÃO DE SÃO CARLOS

CIVILIZAÇÃO E BARBÁRIE – CONSIDERAÇÕES SOBRE O TUSCA

Nos início da década de 1980, minha esposa, nossos dois filhos e eu viemos para São Carlos. Em princípio, nossa intenção era passar aqui apenas uns dois ou três anos, prazo necessário para que eu fizesse o mestrado. Em pouco tempo, no entanto, fomos sendo conquistados pelas virtudes da cidade e, principalmente, pela gentileza, hospitalidade e solidariedade de seu povo trabalhador.

Mais ou menos na mesma época em que aqui chegamos, as associações atléticas dos alunos da UFSCar e da EESC-USP criaram o TUSCA – Taça Universitária de São Carlos, competição esportiva "com finalidade de estimular a prática saudável do esporte, bem como a integração entre os participantes" (Wikipedia).

Pelo que me lembro, inicialmente o evento era bastante simpático e com características semelhantes às de inúmeras outras competições do mesmo gênero. Com o passar do tempo, foi ganhando evidência e, ultimamente, a cada ano congrega em torno de 30000 estudantes, vindos de diversos municípios paulistas. Nos últimos anos, entretanto, o comportamento de alguns participantes vem fugindo radicalmente dos limites estabelecidos pelas normas da civilidade e apavorando a população.

Em minha condição de professor universitário, sou testemunha de que a imensa maioria de nossos estudantes é constituída por jovens educados e dedicados ao estudo. Mas, em um agrupamento de 30000 pessoas, basta uma minoria de 10% para formar um bando de 3000 vândalos e aterrorizar a cidade.

Durante o TUSCA de 2008, minha esposa, preocupada com as cenas chocantes que via e com os relatos que ouvia, enviou mensagem aos vereadores municipais e ao vice-prefeito, sugerindo que alguma providência fosse tomada pelas autoridades locais, no sentido de preservar a tranqüilidade dos munícipes. Somente o vice-prefeito respondeu, alegando que nada poderia ser feito ...

Agora, novembro de 2010, voltamos a assistir a reprise do mesmo "filme de terror". Moro na Cidade Jardim, bairro habitacional, tradicionalmente tranqüilo e popular, mas que nos últimos dias transformou-se em palco de cenas inacreditáveis. Uma vizinha teve o seu portão arrebentado por chutes de um grupo embriagado que percorreu nossa rua aos berros. Outra vizinha, ficou transtornada ao ver um estudante se despindo no meio da rua. A proprietária da padaria da esquina relatou que uma jovem lhe comprou uma garrafa de cachaça, que abriu ali mesmo e cujo conteúdo começou a beber em grandes goles e diretamente no gargalo. O dono de uma lanchonete próxima, escandalizado, me contou que uma moça acabara de urinar na calçada em frente. Mas a tragédia maior ainda estava por acontecer, pois um jovem de 24 anos viria a morrer, ao cair no córrego que atravessa a cidade.

Não existe civilização sem o estabelecimento de normas de comportamento social e o respeito às mesmas. O estágio anterior à civilização é denominado barbárie e caracterizado pela completa ausência de normas de conduta, vigorando apenas a "lei da selva", como ocorria quando a humanidade ainda vivia em cavernas.

A palavra "cidade" tem a mesma origem dos termos "civilização" e "civilidade", que também significa "respeito pelas normas de convívio entre os membros duma sociedade". A expressão latina para "cidade" é "urbe", de onde originam "urbano" e "urbanidade", que, no dicionário Aurélio, é definida como: "delicadeza requintada, observação das boas maneiras no relacionamento com os outros, acompanhadas geralmente de finura e elegância na linguagem, distinção no porte, nas atitudes".

Portanto, caso as autoridades públicas não venham a tomar alguma providência, os lamentáveis episódios aqui mencionados ameaçam subtrair à nossa querida São Carlos a condição de cidade.

São Carlos, SP, em 13 de novembro de 2010.
Maurício Roriz
e-mail:
m.roriz@terra.com.br

domingo, 14 de novembro de 2010

DIABETES: DIA MUNDIAL


Neste domingo (14), pelo menos 80 prédios e monumentos do país serão iluminados com a cor azul para marcar o Dia Mundial e Nacional do Diabetes. Cartões postais como o Pão de Açúcar e o Cristo Redentor, no Rio de Janeiro, estão entre eles.

Clique no título acima e leia reportagem completa sobre o assunto.

BRINQUEDO DE MENINA


Nikelen Witter *

Acesse:  http://t.co/5p1MbJ3
 
#sul21

O título aqui poderia ser também a já famosa frase: “sim, nós podemos”. Não a dita pelo presidente norte-americano Barack Obama. Mas a dita pela presidente eleita do Brasil, Dilma Rousseff, a uma menina de 9 anos que lhe perguntou se mulher podia ser presidente da República. Ah, sim menina, nós podemos. Eu mesma lhe diria mais. Diria para que incluísse isso em suas brincadeiras. Uma hora você finge ser professora, noutra médica, veterinária ou advogada. Se quiser ser juíza, delegada ou polícia também pode. É claro que terá vezes em que você irá querer ser princesa ou uma bruxa muito inteligente, mas, acredite, nada no mundo pode impedir você de querer ser presidente da República.

Pode soar estranho que uma menina, em pleno século XXI, apresente uma dúvida assim. Mas, a verdade, é que esse estranhamento está longe de poder ser generalizado. Basta pensarmos na quantidade de manifestações machistas durante essa campanha presidencial e teremos um quadro do quanto as possibilidades ainda se apresentam restritas para o próprio entendimento das meninas. E, acredite, não estou falando apenas sobre aquelas que vivem nas periferias, nos bolsões de miséria, nas que catam comida e recicláveis nos lixos ou caminham quilômetros para poderem abastecer de água suas casas. 

Estou me referindo às garotinhas de classe média e alta, que estudam em boas escolas (públicas ou particulares), que têm acesso a livros e que escolhem seus brinquedos pelos comerciais que veem na TV.
É justamente nestes espaços de consumo que, ao que parece, uma ativa parte da nossa cultura têm trabalhado para que nossas meninas continuem expostas ao machismo atávico que grassa pelo Brasil. Os limites aos sonhos das garotas entram nas nossas casas mesmo que a gente não queira. Eles estão lá, o tempo todo, dizendo o que é aceitável para uma menina e negando, ao mesmo tempo, que os sonhos delas sejam sem fronteiras.

Estou exagerando? Tem certeza? Você tem prestado atenção nos filmes publicitários veiculados na TV (inclusive nos canais infantis pagos)? Será que ninguém percebe o absurdo de um brinquedo ser uma pia de lavar louças cor-de-rosa que se anuncia: “igualzinha a da mamãe, só que mais divertida”! Qual palavra desta frase não lhe parece ofensiva? A mim todas. E adicione aí o fato de que o comercial não tem meninos. Sim, porque no mundo encantado e cor-de-rosa os meninos sabem que seu lugar não é lavando a louça, mas lavando carro no lava-jato que é igual ao que o papai usa.

Como, pergunto, nossas meninas não vão crescer duvidando que uma mulher possa ser presidente? É difícil achar que uma coisa assim é possível quando, para os “reclames”, veiculados junto com seu desenho favorito, as únicas perspectivas para uma mulher parecem ser uma pia cheia de louça e criar bebês que comem, arrotam, ficam doentes, fazem xixi e cocô? Sim, estas são bonecas que, na maior, parte do tempo são oferecidas a elas. As bonecas que “imitam” a realidade. E você, mamãe, deve comprá-las para que sua filhinha “aprenda brincando”. Afinal, o que seria mais importante para uma futura jovem mulher do que aprender a ser uma boa dona-de-casa, que sabe o melhor sobre alimentação, puericultura e higiene?

Ora, a maternidade é uma coisa maravilhosa, e ser dona ou dono de casa é uma necessidade que não tira nenhuma dignidade de quem faz somente isso. Não haveria problema com os comerciais se eles fossem apenas um ou dois e se o texto fosse menos limitante das capacidades femininas e masculinas. Mas a questão é que as crianças são bombardeadas com brinquedos e textos publicitários cuja intenção parece ser “aliciá-los” (a palavra é forte, mas é essa mesma) para ocuparem os papéis tradicionais da família burguesa ocidental. 

O fato de não haver grandes manifestações contrárias a este tipo de comercial é preocupante. Já pensaram que pode ser porque, no fundo, as os textos estão é fazendo eco às coisas que não questionamos por parecerem “naturais”? Meninas brincam de cozinhar, lavar louça e cuidar de bebês. Meninos lavam carros, jogam futebol e vídeo-games. Os brinquedos continuam a ser elaborados e vendidos de forma sexista, é assim que nós os compramos, e é assim nossos filhos os absorvem.
Imagino que se alguém se colocar contra isso, vão dizer que a pessoa está clamando pela censura ou sendo preconceituosa com bonecas-bebês e brinquedos que imitam utilidades domésticas. Por isso quero deixar bem claro que não acho que as bonecas em si estão erradas. O que me incomoda é o texto com o qual elas são apresentadas e o subtexto que, ao invés de incitar as meninas a desejarem o mundo, sugere que o paraíso está em ter uma cozinha super equipada.

Por outro lado, não estou fazendo um tipo de apologia que diz que o mundo seria melhor com mais mulheres no comando. Não considero que as mulheres que exercem cargos públicos (ou que venham a desejar isso) façam, por serem mulheres, governos melhores que os dos homens. A quase ex-governadora do Rio Grande do Sul é um exemplo de que um governo ruim e autoritário pode vir de qualquer lado.

Minha oposição é contra tudo o que se organiza de forma a limitar os sonhos e os horizontes das crianças. Um fogãozinho pode ter meninos figurando no comercial (muitos meninos se interessam por cozinhar). E também a pia poderia ser vendida para eles, pois é igual a que todo mundo tem em casa. Em outras palavras: a pia não é da mamãe. Se as coisas continuarem nesse caminho, logo teremos organizar defesas para a Barbie. Afinal, os machistas de plantão ainda não se deram conta de que ela, embora fútil, sempre foi uma profissional. Ela namorou o Ken por 40 anos antes de eles terminarem o relacionamento. E agora, dizem que ela foi vista saindo com Max Steel. Garanto que logo vai aparecer alguém falando que ele é jovem demais para ela e que, aos cinquenta, ela deveria era aprender a fazer geléia.
* Professora e historiadora


sábado, 13 de novembro de 2010

GIGI E O PENSAMENTO DE HOJE


A vida é muito curta para acordar com arrependimentos.
Ame as pessoas que te tratam bem.
Ame, também, àqueles que não, só porque você pode.
Acredite que tudo acontece por uma razão.
Se tiver uma segunda chance, agarre com as duas mãos.
Se isso mudar sua vida, deixe acontecer.
Beije devagar.
Perdoe rápido.
Deus nunca disse que a vida seria fácil.
Ele simplesmente prometeu que valeria a pena.

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

CAIPIROSKA DE MORANGO COM PIMENTA DEDO-DE-MOÇA


 Como gosto de tomar caipirinhas
jogando conversa fora com meus amigos, 
repasso essa receita que achei muito saborosa.


Experimentem!
Vocês vão gostar.












Caipiroska de morango já faz sucesso na forma tradicional, com morango e açúcar, mas quando os bartenders resolvem inovar, ela pode ficar sensacional. Com pimenta e aroma de baunilha, o sabor do morango se destaca. Corte pimenta dedo de moça em fatias finas e reserve. Macere de 6 a 7 morangos maduros com uma colher e meia de açúcar e coloque uma dose de vodka sabor baunilha. Acrescente muito gelo, misture e depois acrescente a pimenta. 

A receita é do barman do restaurante Floriano, de São Paulo.

terça-feira, 9 de novembro de 2010

DESENVOLVIMENTO E ÓDIO

FOLHA DE S.PAULO  Opinião
São Paulo, sábado, 06 de novembro de 2010
Desenvolvimento e ódio


FERNANDO RODRIGUES

BRASÍLIA - A eleição de Dilma Rousseff, primeira mulher e também filha de um imigrante, para o Palácio do Planalto coincidiu com um movimento de forte caráter preconceituoso contra nordestinos. No dia seguinte à vitória da petista, a rede social Twitter foi invadida por comentários do tipo "mate um nordestino", "seca eterna pra vocês" ou "Dilma presidente parabéns povo burro".

Houve reação imediata nos meios de comunicação do Nordeste. O jornal "Correio" da Bahia publicou em sua primeira página a foto da quem teria iniciado a onda com o título "A paulista". Era um alerta: a inimiga de São Paulo. Esse choque de culturas é inevitável em um país tão desigual como o Brasil. Era menos visível há pouco tempo por causa do subdesenvolvimento secular.

A afluência das classes emergentes escancarou as diferenças. Basta viajar de avião. Sempre haverá alguém usando o transporte pela primeira vez. Madames empertigadas e alguns engravatados exalam incompreensão quando um passageiro mais humilde não localiza seu assento e atrasa a acomodação de todos após o embarque.

Shopping centers com alguma estação de metrô por perto passaram a ter um público diversificado entre todos os estratos sociais. Conviver com as diferenças e aceitar a diversidade é uma obrigação cívica. Sociedades como a brasileira, ao contrário da lenda, são atrasadas e pouco propensas à tolerância. O desenvolvimento do país explicita esse traço.

Não é por acaso a xenofobia palpável em São Paulo nos comentários sobre coreanos, bolivianos e outros imigrantes dedicados ao comércio ou a trabalhos braçais. A cidade, em certos círculos, virou um poço de intransigência. O estranhamento piorará com a ascensão de milhões à classe média. Eis aí um desafio complexo. Mais difícil do que extirpar a pobreza extrema, como prometeu Dilma.

fernando.rodrigues@grupofolha.com.br

O PAPA E O ABORTO



DEBATE ABERTO

Leonardo Boff

É importante que na intervenção do Papa na política interna do Brasil acerca do tema do aborto, tenhamos presente este fato para não sermos vítimas de hipocrisia: nos catolicíssimos países como Portugal, Espanha, Bélgica, e na Itália dos Papas já se fez a descriminalização do aborto (Cada um pode entrar no Google e constatar isso). Todos os apelos dos Papas em contra, não modificou a opinião da população quando se fez um plebiscito. Ela viu bem: não se trata apenas do aspecto moral, a ser sempre considerado (somos contra o aborto), mas deve-se atender também a seu aspecto de saúde pública.

No Brasil a cada dois dias morre uma mulher por abortos mal feitos, como foi publicado recentemente em O Globo na primeira página. Diante de tal fato devemos chamar a polícia ou chamar médico? O espírito humanitário e a compaixão nos obriga a chamar o médico até para não sermos acusados de crime de omissão de socorro.

Curiosamente, a descriminalização do aborto nestes países fez com que o número de abortos diminuísse consideravelmente. O organismo da ONU que cuida das populações demonstrou há anos que, quando as mulheres são educadas e conscientizadas, elas regulam a maternidade e o número de abortos cai enormente. Portanto, o dever do Estado e da sociedade é educar e conscientizar e não simplesmente condenar as mulheres que, sob pressões de toda ordem, praticam o aborto. É impiedade impor sofrimento a quem já sofre.

Vale lembrar que o cânon 1398 condena com a excomunhão automática quem pratica o aborto e cria as condições para que seja feito. Ora, foi sob FHC e sendo ministro da Saúde, José Serra, que foi introduzido o aborto na legislação, nas duas condições previstas em lei: em caso de estupro ou de risco de morte da mãe. Se alguém é fundamentalista e aplica este cânon, tanto Serra quanto Fernando Henrique estariam excomungados. E Serra nem poderia ter comungado em Aparecida como ostensivamente o fez. Mas pessoalmente não o faria por achar esse cânon excessivamente rigoroso.

Mas Dom José Sobrinho, arcebispo do Recife o fez. Canonista e extremamente conservador, há dois anos atrás, quando se tratou de praticar aborto numa menina de 9 anos, engravidada pelo pai e que de forma nenhuma poderia dar a luz ao feto, por não ter os órgãos todos preparados, apelou para este canon 1398 e excomungou os medicos e todos os que participaram do ato. O Brasil ficou escandalizado por tanta insensibilidade e desumanidade. O Vaticano num artigo do Osservatore Romano criticou a atitude nada pastoral deste Arcebispo.

É bom que mantenhamos o espírito crítico face a esta inoportuna intervenção do Papa na política brasileira. Mas o povo mais consciente tem, neste momento, dificuldade em aceitar a autoridade moral de um Papa que durante anos ocultou o crime de pedofilia entre padres e bispos.

Como cristãos escutaremos a voz do Papa, mas neste caso, em que uma eleição está em jogo, devemos recordar que o Estado brasileiro é laico e pluralista. Tanto o Vaticano e o Governo devem respeitar os termos do tratado que foi firmado recentemente onde se respeitam as autonomias e se enfatiza a não intervenção na política interna do pais, seja na do Vaticano seja na do Brasil.

Um abraço bem fraterno.

Leonardo Boff é teólogo e escritor.

AJUDEM OS PASSARINHOS...


EMBRULHE OS CHICLETES ANTES DE JOGAR FORA: 

Atraídos pelo cheiro adocicado e pelo sabor de fruta, 
os passarinhos comem restos de chicletes deixados, 
irresponsavelmente, em qualquer lugar. 
Ao sentirem o chiclete grudando em seu biquinho, 
tentam, desesperados, retirá-lo com os pés... 
E aí, acontece o pior: acabam sufocados.
Por favor, embrulhe o chiclete num pedaço de papel 
e jogue-o no lixo.

Além disso, você contribui com a NATUREZA!!!

Enviado pela amiga Ana Vitória

500 ANOS ESTA NOITE / PEDRO TIERRA


 De onde vem essa mulher
que bate à nossa porta 500 anos depois?
Reconheço esse rosto estampado
em pano e bandeiras e lhes digo:
vem da madrugada que acendemos
no coração da noite.
 
De onde vem essa mulher
que bate às portas do país dos patriarcas
em nome dos que estavam famintos
e agora têm pão e trabalho?
Reconheço esse rosto e lhes digo:
vem dos rios subterrâneos da esperança,
que fecundaram o trigo e fermentaram o pão.
 
De onde vem essa mulher
que apedrejam, mas não se detém,
protegida pelas mãos aflitas dos pobres
 que invadiram os espaços de mando?
Reconheço esse rosto e lhes digo:
 vem do lado esquerdo do peito.
 
Por minha boca de clamores e silêncios
ecoe a voz da geração insubmissa
para contar sob sol da praça
aos que nasceram e aos que nascerão
de onde vem essa mulher.
 
Que rosto tem, que sonhos traz?
 Não me falte agora a palavra que retive
ou que iludiu a fúria dos carrascos
 durante o tempo sombrio
 que nos coube combater.
 Filha do espanto e da indignação,
filha da liberdade e da coragem,
 recortado o rosto e o riso como centelha:
metal e flor, madeira e memória.
 
No continente de esporas de prata e rebenque,
 o sonho dissolve a treva espessa,
recolhe os cambaus, a brutalidade, o pelourinho,
afasta a força que sufoca e silencia
séculos de alcova, estupro e tirania
 e lança luz sobre o rosto dessa mulher
que bate às portas do nosso coração.
 
As mãos do metalúrgico,
as mãos da multidão inumerável
moldaram na doçura do barro
e no metal oculto dos sonhos
a vontade e a têmpera
para disputar o país.

Dilma se aparta da luz
que esculpiu seu rosto
ante os olhos da multidão
para disputar o país,
para governar o país.
 

Brasília, 31 de outubro de 2010


Recebido da amiga Sonia Rezende

domingo, 7 de novembro de 2010

COMPORTAMENTO ÉTICO

Seu comportamento é ético? 
A ética é importante fator de sucesso pessoal.
Ninguém é mais ou menos ético, ou se é ou não se é... 
Vivemos em um um mundo onde o levar vantagens a qualquer preço ainda é praticado por muitos.
Clique no título acima para assistir um vídeo que nos faz pensar sobre a nossa ética. 

'BURN OUT"

03/11/2010 - 08h30

Transtorno psíquico "burn out" ataca desiludidos com o próprio trabalho

GUILHERME GENESTRETI
DE SÃO PAULO

Perfeccionismo é fator de risco para esta doença insidiosa, que ataca a motivação de gente que rala, sem distinção de cargos hierárquicos.
O "burn out", termo que em inglês designa a combustão completa, está incluído no rol dos transtornos mentais relacionados ao trabalho. Foi a terceira maior causa de afastamento de profissionais em 2009, segundo dados da Previdência Social.
A síndrome é bem mais que "mero" estado de estresse, não pode ser confundida.
Esse transtorno psíquico mescla esgotamento e desilusão. Pode ser desencadeado por uma exposição contínua a situações estressantes no trabalho, explica a psicóloga Ana Maria Rossi, presidente no Brasil da Isma (International Stress Management Association), entidade que pesquisa o "burn out".

Clique no título acima e leia repostagem completa

Cão cego usa mesmo sistema que morcegos para sobreviver



Cão cego usa mesmo sistema que morcegos para sobreviver

Clique e leia a notícia enviada pela amiga Yeda Sisti

sábado, 6 de novembro de 2010

DESIDERATA - RUBEM ALVES


Vá calmamente, entre o barulho e a pressa, e lembre-se da paz que somente existe no silêncio.
Na medida do possível, e sem se atraiçoar, tenha boas relações com todas as pessoas.
Diga a sua verdade quieta e claramente. Ouça os outros, mesmo os obtusos e ignorantes. Eles também têm uma estória a contar.
Evite as pessoas ruidosas e agressivas. Elas são tormentos para o espírito.
Se você se comparar aos outros você se tornará era vaidoso, ora amargo, pois há sempre pessoas que lhe são inferiores ou superiores.
Goze tanto as suas realizações quanto os seus sonhos. Mantenha-se interessado naquilo que você faz, por humilde que seja. Aquilo que você  faz é algo que você  realmente possui, num tempo em que tudo muda sem parar.
Pratique a prudência nos seus assuntos comerciais, pois o mundo está cheio de trapaças. Mas não deixe que isto o faça cego para as virtudes que existem. Muitas pessoas se esforçam por ideais altos. Por toda parte a vida está cheia de heroísmo.
Seja você mesmo. Não finja afeição. E nem seja cínico acerca do amor. a despeito da aridez e do desencanto, ele renasce tão teimosamente quanto a tiririca.
Aceite com elegância o conselho dos anos, deixando graciosamente para trás os prazeres da juventude. Crie força de espírito para proteger-se na desgraça repentina. Não se aflija, porém, com coisas imaginadas. Muitos temores nascem do cansaço e da solidão.
Tenha uma disciplina saudável, mas seja gentil para consigo mesmo. Você é um filho do universo, tanto quanto as árvores e as estrelas. Você tem o direito de estar aqui. E, quer você saiba disto ou não, o fato é que o universo caminha como deve. Por isto, esteja em paz com Deus, não importa como você pensa que ele é.
A despeito da barulhenta confusão da vida, mantenha-se em paz com a sua alma.
Com todos os seus enganos, labutas e sonhos não realizados, este continua a ser um belo mundo. Cuide-se. Esforce-se por ser feliz...



Foto Vera/Istambul 2009

SUCO VERDE


O suco verde também é conhecido como 
SUCO DA LUZ DO SOL
ou 
LEITE DA TERRA



Pepino: quantidade depende do tamanho e do tipo: pode ser um japonês inteiro, ou meio caipira... Uma quantidade tal que libere água o suficiente para o suco. 
Maçã: uma. Se possível, inclua as sementes (veja se elas não estão “bichadas” ou com fungos). 
Gengibre: para temperar. Opcional. Pode também temperar com hortelã. 
Inhame: sem casca (óbvio), quantidade depende do tamanho. Opcional. 
Beterraba: deixa o suco mais doce. Opcional 
Gergelim: uma colher de sopa. Deixe as sementes de molho na noite anterior. 
Linhaça: uma colher de sopa (ou mais). Deixe as sementes de molho na noite anterior. 

Verdes: são o elemento mais importante do suco. O principal objetivo disso tudo é aumentar nossa ingestão diária de clorofila, juntamente com as vitaminas, aminoácidos e minerais das folhas verde escuras. Escolha pelo menos 3 variedades. Nós sempre usamos couve e salsinha. Outras folhas que usamos: espinafre, agrião (vá com calma, o sabor é muito forte), repolho verde (não é tão escuro assim, mas é muito saudável), escarola, folhas de cenoura, folhas de beterraba (têm 600x mais nutrientes que a raiz), mostarda... Enfim, o que tiver! É uma boa retirar os talos mais grossos (por ex., o talo central da folha da couve) porque eles contêm uma substância que é de difícil digestão. 
Cenoura: será o seu biossocador! 

Modo de preparar:

Depois que já estiver tudo lavado e higienizado, corte o pepino, a maçã, o inhame / beterraba e o gengibre em pedaços grandes.  Escorra e enxágue as sementes.  Coloque no copo do liquidificador o pepino primeiro, depois a maçã e todos os outros ingredientes não folhosos. Ligue o liquidificador no mínimo (= 1ª marcha → tração). A lâmina vai rodar em falso mas, com seu maravilhoso biossocador (a cenoura), vá “pilando” os ingredientes para forçar seu contato com a lâmina. À medida que o pepino e a maçã forem liberando o líquido, vai se formando um creme. 

Quando a lâmina já estiver girando sozinha, sem precisar da sua ajuda, comece a acrescentar as folhas, gradualmente. Depois que já estiver tudo liquidificado, aumente por alguns instantes a velocidade ao máximo.  Coe no coador de voil (ordenhe o leite da terra!) 
Agradeça e delicie-se! 

Enviado pela Cleuza Giacon

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

ADEUS À DIANA, MINHA LABRADORA PRETA...

Hoje estou muito triste, mas ao mesmo tempo aliviada! Diana se foi aos 12 anos de idade. Suavemente, com a cabeça em meus braços ela deu seu último suspiro de vida. O câncer - um liposarcoma - estava devorando-a sem piedade. Ela morreu como sempre viveu, docemente, cheia de amor e carinho para dar.


Na clínica veterinária onde ficou internada os últimos 10 dias, ela conquistou a todos com sua docilidade e alegria. Aproximava-se com o rabo abanando e levantava a patinha pedindo que a acarinhassem. Ela gostava muito disso e, sem pudor, pedia a todos que se aproximassem dela que ficassem acarinhando-a, enquanto ela se jogava no chão toda feliz.

Em uma viagem que fiz a Portugal comprei uma mãozinha de madeira com um cabo comprido, perfeita para massagear a Diana. Esperta como era, quando entrava na sala de casa ia direto em direção onde estava dependurada a mãozinha e cheirando-a e ganindo baixinho, esperava que eu pegasse o apetrecho e começasse a fazer carinho em sua barriga.

Vou sentir muita saudades dessa companheirona. Quando eu dava aula à noite na faculdade de Psicologia em São João da Boa Vista e não tinha companhia na viagem, levava-a junto comigo de carro. 
Diana sentava-se toda feliz no banco de trás e era uma companhia agradável, silenciosa, mas presente. Íamos e voltávamos ouvindo música durante a viagem e ela, apesar de às vezes deitar-se confortavelmente no banco de trás do carro, não pregava o olho. Sabia que eu precisava da sua fiel companhia, acordada. 



Diana teve uma morte digna, em meus braços. Se foi suavemente, sentindo todo meu carinho e amor por ela... sem dor e sem sofrimento desnecessário! Boa viagem Diana, agora você vai fazer companhia e receber carinho dos anjos, arcanjos e serafins. Vai brincar e correr nas nuvens pela eternidade afora... Adeus!

Vera Chvatal





O RODEIO DOS IMBECIS...

Universitários que “montam” à força em colegas gordas, numa competição para ver “qual peão” fica mais tempo sobre as meninas, são o retrato cru de uma sociedade doente e sem noção. O “rodeio das gordas” aconteceu em outubro em jogos oficiais de uma universidade importante, a Unesp, em São Paulo – não em algum rincão remoto. Não envolveu capiau nem analfabeto. Foi a elite brasileira, a que chega à universidade. Estamos no século XXI e assistimos perplexos à globalização da ignorância moral.

Mais de 50 rapazes, da Universidade Estadual Paulista, organizaram o ataque às gordas num evento esportivo e cultural com 15 mil universitários. Uma comunidade no Orkut definiu as regras: “Todo peão deve permanecer oito segundos segurando a gorda”; “gordas bandidas são mais valiosas”; “o corpo da gorda tem de ser grande, bem grande”. Os estudantes se aproximavam das meninas como se fossem paquerá-las. Aproveitavam para agarrá-las e montar nelas, e as que mais lutavam contra a agressão eram apelidadas de “gordas bandidas”. Uma referência ao touro Bandido, personagem da novela América. “A cada coice tomado, o peão guerreiro ganha 1 ponto”, anunciava o site de relacionamento.

A repercussão assustou os universitários. Roberto Negrini, um dos organizadores do torneio e filho de advogada, chamou tudo de “brincadeira”, mas pediu desculpas à diretoria da Unesp e se disse arrependido. Tentou convencer a todos de que “não houve preconceito”. Sites e blogs foram invadidos por comentários indignados. Mas havia muitos homens aplaudindo “a criatividade” dos estudantes. O internauta Arnaldo César Almeida, de São Paulo, propôs transformar a competição num “esporte olímpico”. Outro, que se identificou como Alexandre, escreveu: “Me divirto vendo esses kibes (sic) humanos dando coice! Vou até instalar uma baleia mecânica para treinar”.

Quem são os pais e as mães desses rapazes? A maior responsabilidade é da família. O que fez ou onde estava quem deveria tê-los educado com valores mínimos de cortesia e respeito ao próximo? Jovens adultos que agem assim foram, de alguma maneira, ignorados por seus pais ou receberam péssimos exemplos em casa e na comunidade onde cresceram.

O “rodeio das gordas”, promovido nos jogos da Unesp, é o retrato de uma sociedade doente. Não foi uma semana edificante. Meninas adolescentes, numa escola paulista em Mogi das Cruzes, trocaram socos. A mais agredida, de 14 anos, disse: “Alguns têm dó, mas outros ficam rindo porque eu apanhei”. Em Brasília, uma estudante usou a lâmina do apontador para navalhar o rosto e o pescoço da colega. No Rio de Janeiro, uma professora foi presa por manter relações sexuais com uma aluna de 13 anos. A loura da Uniban, Geisy Arruda, posou pelada, sem o microvestido rosa-choque, mostrando que tudo acaba na busca de fama e uns trocados.

Está na hora de adultos pensarem com cautela se querem colocar um filho no mundo. Se querem cuidar de verdade dessa criança. Ouvir, conversar, beijar, brincar, educar, punir, amparar, dedicar um tempo real para acompanhar seu crescimento, suas dúvidas e inquietações. Descaso, assédio moral e físico contra crianças, brigas entre pai e mãe, separações litigiosas podem levar a tragédias como a que matou a menina Joanna. Submetida a maus-tratos e negligência, Joanna talvez tenha simplesmente desistido de continuar no inferno em que se transformara sua vida aos 5 anos de idade.

Não sou moralista. Mas a sociedade mergulhou numa disputa de baixarias. As competições escancaradas na TV aberta, sob a chancela de “entretenimento”, estimulam a humilhação pública e a indignidade humana. Comer pizza de vermes e minhocas vivas, deixar ratos e cobras passear pelo corpo de uma moça de biquíni, resistir a vômitos, como prova de determinação e bravura – isso é exatamente o quê? Expor pessoas ao ridículo, enaltecer o lixo, a escória, em canais abertos a crianças e adolescentes... não seria inaceitável numa sociedade civilizada? Diante de alguns programas televisivos, o “rodeio das gordas” pode parecer brincadeira. Mas não é.

MANDE SEU RECADO PARA A DILMA...



Clique no título acima e escreva seu recado para a Dilma!

terça-feira, 2 de novembro de 2010

DILMA ROUSSEFF JUNTA-SE ÀS 17 MULHERES LÍDERES EM SEUS PAÍSES



Angela Merkel
chanceler alemã desde 2005
Cristina Kirchner
presidente argentina desde 2007
Dalia Grybauskaitè
presidente da Lituânia desde 2009
Doris Leuthard
presidente da Suíça desde 2010
Ellen Johnson Sirleaf
presidente da Libéria desde 2006
Iveta Radicová
premiê da Eslováquia desde 2010
Jadranka Kosor
premiê da Croácia desde 2009
Johanna Sigurdardottir
premiê da Islândia desde 2009
Julia Gillard
premiê da Austrália desde 2010
Kamla Persad-Bissessar
premiê de Trinidad e Tobago desde 2010
Laura Chinchilla
presidente da Costa Rica desde 2010
Mari Kiviniemi
premiê da Finlândia desde 2010
Mary McAleese
presidente da Irlanda reeleita em 2004
Pratibha Devisingh Patil
presidente da Índia desde 2007
Roza Otunbayeva
presidente interina do Quirguistão desde 2010
Sheikh Hasina
premiê de Bangladesh pela 2ª vez, desde 2009
Tarja Halonen
presidente da Finlândia desde 2000
 
 

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

A IMPORTÂNCIA SIMBÓLICA DA ELEIÇÃO PRESIDENCIAL DE UMA MULHER

HOMENAGEM À PRIMEIRA MULHER ELEITA PRESIDENTE DO BRASIL


Eleita primeira mulher para governar o país, ouça na íntegra o discurso de Dilma Rousseff nossa Presidenta. Parabéns aos brasileiros e brasileiras que tornaram esse sonho uma realidade. Que a sensibilidade e o cuidado - características do feminino - ajudem-na a fazer do Brasil um país mais humano, justo e igualitário.



DILMA É PRESIDENTE OU PRESIDENTA?


01/11/2010 - 12h06

Thaís Nicoleti: Dilma é presidente ou presidenta?

DE SÃO PAULO
A eleição pela primeira vez e uma mulher para ocupar o principal cargo político do país, o da presidência da República, traz a questão de gênero também para o campo da nossa língua.

Clique no título acima e ouça a palavra de quem entende do assunto.