Translate

domingo, 30 de maio de 2010

HINO NACIONAL CANTADO POR MARTINHO DA VILA



Em alguns momentos sustentado pelo gostoso ritmo do samba, a gravação mantém a letra e a melodia, com regência do maestro Leonardo Bruno. As cenas mostram o lado bonito e rico do Brasil, motivo para fortalecer nosso patriotismo. A gravação foi feita em DVD, tratando-se de um projeto da Secretaria do Estado do Rio para ser distribuído a todas as escolas do estado e dos municípios cariocas.

ESTRELINHA...


Hoje está fazendo um ano que a Estrelinha veio morar aqui em casa! 
Trazendo alegria com sua agitação infantil
de cadelinha nova e cheia de energia,
ela preenche os espaços da casa e as horas de descanso e laser caseiros.
Só quem ama animais e curte sua doce e amiga companhia
pode ter uma idéia do bem que isso faz!
Longa vida à Estrelinha...



quarta-feira, 26 de maio de 2010

PARA REFLETIR HOJE...


A vida é maravilhosa, mas temos que abrir os olhos 
para enxergar toda a beleza e glória da natureza à nossa volta. 
Dê graças por tudo!
Temos que nos concentrar em ver o lado bom da vida, 
não dando margem a pensamentos egoístas, 
mesquinhos, negativos e destrutivos para não fortalecer o mal.
Comece este dia com a finalidade de criar
um mundo melhor à sua volta...


Foto: Sonia Jaboti

segunda-feira, 24 de maio de 2010

TORNEIRA PINGANDO?



"Marido de aluguel" ensina a acabar com o vazamento em torneira pingando! Veja no vídeo!

domingo, 23 de maio de 2010

BOLO DE LARANJA COM COBERTURA DE CHOCOLATE


Ingredientes
2 laranjas descascadas sem a parte branca e sem sementes picadas
Suco de 1 laranja
2 ovos inteiros
1 xícara (chá) de óleo
3 xícaras (chá) de farinha de trigo
2 e 1/2 xícaras (chá) de açúcar
1 colher (sopa) de fermento em pó
Margarina e farinha de trigo para untar

Cobertura:
200g de chocolate ao leite
1 lata de creme de leite com soro
1 colher (sopa) de manteiga

Modo de Preparo
Em um liquidificador bata a laranja, o suco, os ovos, o óleo e reserve. Em um recipiente, coloque a farinha, o açúcar, o fermento, junte o creme de laranja reservado e misture tudo até obter uma massa homogênea. Unte e enfarinhe uma fôrma de buraco no meio, despeje a mistura e leve ao forno médio, preaquecido por 40 minutos. Para a cobertura, derreta o chocolate em banho-maria, coloque o creme de leite, mexa bem e junte a manteiga, sem parar de mexer, até ficar homogêneo. Espalhe a cobertura sobre o bolo e deixe esfriar para servir.

Colaboradores
Culinarista: Rafael Cunha   
Foto: Alexandre Medeiros/Rosa Kloser/Áurea Soares

O SEXO FRÁGIL


Folha Ilustrada -  23 maio 2010
 

DRAUZIO VARELLA


FICO ADMIRADO com a onipotência masculina. Quando pequenos nos ensinaram que homem não chora, que Deus nos criou corajosos com a finalidade de protegermos as mulheres, coitadas, seres frágeis prestes a esvair-se em lágrimas à menor comoção. Como sobreviveriam elas não fosse a nossa existência?

Por acreditar cegamente nesses ensinamentos, assumimos o papel de legítimos representantes do sexo forte, mesmo que as evidências nos desmintam desde a mais tenra infância. Não é exagero, leitor. As meninas começam a falar muito antes. Aos dois anos já constroem sentenças com sujeito, verbo e predicado, enquanto nessa idade mal conseguimos balbuciar meia dúzia de palavras que só a mamãe compreende. Você dirá que somos mais ágeis e mais orientados espacialmente. E daí? Qual a vantagem de virar cambalhota e plantar bananeira? 

O desenvolvimento intelectual delas é tão mais precoce que alguns neuropediatras consideram injusto colocar meninos e meninas de sete anos na mesma sala de aula: deveríamos ficar um ano para trás. Na puberdade, elas viram mocinhas de formas e gestos graciosos. Nós nos transformamos em quimeras desengonçadas, metade criança, metade homem com penugem no bigode, espinhas em vez de barba, voz em falsete e loucura por futebol. Não é a toa que as adolescentes suspiram pelos rapazes mais velhos e nem se dignam a olhar para nossa cara quando nos derretemos diante delas.

No casamento, somos feitos de gato e sapato. Podemos estar cobertos de razão, gritar, espernear e esbravejar -no fim a vontade delas prevalecerá. É guerra perdida. São donas de uma arma irresistível: a tenacidade para repetir cem vezes a mesma ladainha. Com o passar dos anos, aprendemos a fazer logo o que elas querem; sai mais em conta. Nós nos cansamos e desistimos de reivindicar um direito, elas jamais. Faça um teste. Combine com um amigo um jantar com as mulheres sem falar com elas. A chance de dar certo é zero. Agora inverta, as duas mulheres marcam uma noite para o tal jantar sem avisá-los. Você chega em casa louco para vestir o bermudão e ver seu time na TV. Qual a probabilidade de a televisão passar a noite desligada?

Você dirá que pelo menos somos mais saudáveis, enquanto elas vivem cheias de achaques. De fato, nas mulheres a cabeça dói, o útero incomoda e o intestino não funciona, mas as desvantagens acabam aí.
Durante o desenvolvimento embrionário, para construirmos ossos mais robustos e músculos mais potentes, desviamos parte da energia que seria utilizada para fortalecer o sistema imunológico. Por essa razão, em todas as sociedades o homem está mais sujeito a processos infecciosos graves. 

No Brasil, arcamos com mais de 60% da mortalidade geral. A cada três pessoas que perdem a vida, duas são do sexo masculino. Os ataques cardíacos vêm em primeiro lugar. Começamos a correr risco a partir dos 45 anos; as mulheres, só ao atingir a menopausa. Depois vêm os derrames cerebrais, seguidos pelos homicídios. Essa distribuição se repete em todas as regiões do país.

Fumamos e bebemos muito mais. Perto de 90% dos óbitos por acidentes de trânsito, quedas e afogamentos causados pelo abuso de álcool ocorrem entre nós. Somos mais sedentários e desleixados com a saúde. Tratamos o corpo a pontapé e fugimos dos exames preventivos como o diabo da cruz. Ir ao médico? Só quando chegarmos às últimas ou se for para ficarmos livres da insistência das mulheres que nos cercam.

Em condições sociais comparáveis, mulheres vivem mais do que homens em todos os países do mundo. No Brasil, nossas vidas duram, em média, 7,6 anos menos. A longevidade feminina é visível: compare o número de viúvas com o de viúvos que você conhece. Ao perder a companheira, o homem de idade fica desamparado. Se não casar imediatamente e não tiver filhas ou irmãs por perto, estará perdido, é incapaz de pregar um botão ou de fritar um ovo. Na situação contrária, a mulher poderá sofrer, sentir falta, mas cuidará da rotina doméstica sem dificuldade.

Morreremos mais cedo e deixaremos nossas economias. Livres da repressão machista e do trabalho que lhes dávamos, elas terão 7,6 anos para fazer excursões turísticas e lotar vans para ir a shoppings e teatros, animadas e conversadeiras. Para muitas, não será fácil esconder o ar de felicidade plena.

sexta-feira, 21 de maio de 2010

BOAS NOTÍCIAS PARA OS CIBERATIVISTAS...


Após dois meses de campanha e intensa participação de vocês, ciberativistas, a Nestlé decidiu alterar sua política de compras e parar de financiar o desmatamento das florestas tropicais da Indonésia.

A empresa se comprometeu a identificar e excluir de sua lista de fornecedores companhias que possuam ou gerenciem plantações ou fazendas de alto risco ligadas ao desmatamento. Nesse grupo entraria, por exemplo, a Sinar Mas, a maior produtora de óleo de dendê e de papel e celulose da Indonésia, caso não siga a nova política da Nestlé, e intermediadoras como a Cargill, que compram da Sinar Mas.

O Greenpeace acompanhará esse compromisso para que ele não fique só no papel. E, se preciso, acionaremos a participação dos ciberativistas. Fique atento.

Trazemos outra boa notícia. A Floresta Boreal, no Canadá, maior e mais antiga da América do Norte, detém um dos maiores estoques de carbono do planeta e corria o risco de desaparecer por ações de desmatamento irresponsável.

Porém, pela necessidade de se disciplinar o mercado, nove organizações, incluindo o Greenpeace, e a Associação de Produtos da Floresta (APF), relacionada à fabricação de derivados de madeira estabeleceram um acordo histórico. Nele, a APF se compromete com uma moratória de três anos no corte de floresta pública e com padrões de manejo ambiental.


O que isso significa? Significa que, por três anos, 72 milhões de hectares estarão protegidos, sendo 40% disso Floresta Boreal. Significa também que planos de longo prazo serão implementados para recuperar a floresta e proteger espécies ameaçadas.

Enquanto isso, na Amazônia, mesmo após várias iniciativas que reforçam essa tendência regulatória, como a proibição de corte do mogno e moratória da soja, a bancada ruralista segue na contramão do que o mercado demanda e a sociedade exige.  Os deputados investem contra a legislação ambiental brasileira e tentam aprovar alterações que permitiriam ampliar o desmatamento em nossas florestas.
Proteja a Amazônia, participe da ciberação “Aldo Rebelo, deixe as florestas em paz”.   

Abraços,

Rafael Cruz
Coordenador de campanha
Greenpeace

USO TERAPÊUTICO DA SALSA



A salsa é uma das ervas com propriedades terapêuticas menos reconhecidas.  Ela contém mais vitamina  C do que qualquer outro vegetal da nossa culinária (166mg por 100g). Isso é três vezes mais que a laranja.

A salsa contém também ferro  (5.5mg /100g), manganésio (2.7mg / 100g), cálcio (245mg / 100g) e potássio (1mg / 100g) .

De acordo com o Padre Kniepp, essa planta é um poderoso diurético, curando a retenção de água no organismo, sendo  recomendada para pedra nos rins, reumatismo e cólica menstrual. Sua alta concentração de vitamina C ajuda na absorção de ferro. O suco de salsa, sendo uma bebida natural,  pode ser tomado misturado com outros sucos, 3 vezes ao dia.

As folhas podem ser mantidas no congelador, e seu uso é recomendo na culinária diária, pois além de saudáveis, dão ótimo sabor a qualquer receita. 

USO TERAPÊUTICO: a salsa é um remédio natural e é recomendada para a limpeza diária dos rins. Os anos passam e nossos rins vão filtrando o sangue para remover o sal e outros intoxicantes que entram no organismo. Com o tempo o sal acvumula-se nos rins e precisamos fazer uma limpeza.

Para tanto, pegue um maço de salsa e lave bem. Corte bem picadinho e ponha em uma vasilha com água limpa. Ferva por 10 minutos e deixe esfriar. Coe, ponha em uma jarra com tampa e guarde na geladeira.  

Beba um copo todos os dias e você vai perceber que o sal e outros venenos acumulados nos rins saem na urina. Você vai notar a diferença! Há muitos anos a salsa é reconhecida como o melhor tratamento de limpeza dos rins.

Enviado pela amiga Sonia Jaboti
Foto Vera: Bazar das Especiarias em Istambul, Set. 2009

terça-feira, 18 de maio de 2010

METÁFORAS DA PSICOPATOLOGIA DAS DEMÊNCIAS...


Jornal Correio Popular, Campinas, 28 de março de 2010

POR ONDE VAGARÁ O SEU EU?
 
Rubem Alves


O seu rosto permanece impassível. Nenhum sinal, seja de alegria, seja de tristeza. Parece que tudo lhe é indiferente. Seu corpo magro permanece consciente do mundo ao seu redor. Sei disso porque ele passa pelas portas sem esbarrar, não tropeça e sobe degraus sem hesitar.

Quando o percebi pela primeira vez não sabia do círculo de solidão em que se encontrava. Puxei conversa. Inutilmente. Ele me olhou com a mesma indiferença, disse algo que não entendi, e continuou a fazer o que estava fazendo em silêncio, como se eu não estivesse mais ao seu lado. Uma frase começou a me martelar a cabeça. Mas eu não sabia nem de onde viera e nem quem a escrevera.  Até que a memória a identificou.  “Restava-me a impressão de que ela não estava onde nós a víamos. Por onde andaria a verdadeira Cecília?” Foi escrito pelo Drummond, numa apresentação da Cecília Meireles. Isso acontece freqüentemente com os poetas e artistas. Eles se ausentam e entram em êxtase, ficam fora do lugar onde aparentam estar, distraídos. Mas basta que pronunciemos o seu nome para que eles acordem  do seu êxtase e voltem ao mundo em que estamos.

Sentia coisa parecida ao olhar para ele: dava-me a impressão de que não estava onde eu o via. Mas não se tratava de êxtase poético porque, por mais que o seu nome fosse pronunciado, ele não acordaria. Seu êxtase era sem volta.
Por onde andaria?  Ele era uma presença habitada por uma ausência, uma casa sem morador. Mas onde estaria o morador? O que acontecera com ele?  

É verdade que ele tem consciência das coisas materiais do mundo que o cerca. Ele conhece a casa. Mas nada sabe do que está acontecendo dentro dela. O humano lhe foi roubado. Nem mesmo sabe o que está fazendo dentro daquela piscina de hidroginástica, mexendo braços e pernas, indo de um lado para outro.  De repente ele sai da água porque precisa tomar um avião. Por que mecanismos aquele avião terá entrado na sua vida mental naquele momento?
Lembrei-me do meu pai. Não foi Alzheimer. Parece que foi um AVC. Traduzido em linguagem simples um AVC quer dizer: houve um curto circuito no cérebro de modo que todos os arquivos saíram dos seus lugares. O que existe lá dentro é caos. Tolo daquele que tentar por os arquivos em ordem. Isso não é possível.

Aquela velhinha muito amada viu-se repentinamente num mundo maravilhoso em que ela era dona de inumeráveis castelos espalhados por todo o mundo. Cada visitante recebia um castelo de presente. O meu está na Escócia. Engajavamo-nos então numa alegre conversa sobre os jardins do castelo que ela me dera... E  ela ficava feliz.  A felicidade dela era verdadeira, real, e o seu riso revelava o que ia dentro da sua alma.  Creio que não existe diferença entre a alegria sobre um objeto que não existe, virtual, e a alegria por um objeto que existe, real. Você me responderá: a diferença está em que um objeto é real e o outro é virtual. Sim, certo. Mas eu não estou me referindo aos objetos, razão da alegria. Estou me referindo à alegria mesma, como experiência existencial. Acho que não há diferença.

Voltando ao meu pai. O seu AVC não o transportou para um mundo encantado de castelos. Transportou-o para um mundo escuro e sinistro.  Ele se encontrava no quarto, olhos imensamente abertos, mexendo no guarda-roupas. ( Ele também conhecia os objetos materiais do seu mundo: o guarda-roupas, as camas, o fogão, a janela. Sabia os seus nomes e por eles transitava sem problemas ). Perguntei-lhe: “O que é que o senhor está procurando, papai?” “Estou procurando o meu terno preto”, ele respondeu. “Mas para que o senhor quer um terno preto?”  Ele me respondeu: “Você não está ouvindo o repicar fúnebre dos sinos?” Mas não havia nenhum sino tocando e nem ele tinha um terno preto. Parafraseando a Cecília: “O corpo naquele quarto. A alma em distantes terras...”  Eu falava a partir do mundo de cá, do qual ele se ausentara. Ele falava a partir do mundo de lá, em que eu não podia entrar. 

O que é digo quando digo “eu”? O “eu” não é o conjunto das minhas experiências. Eu poderia ter tido experiências de vida completamente diferentes das que tive. Como, por exemplo, se eu tivesse sido um agricultor, um marceneiro ou um criminoso. Agricultor, marceneiro ou criminoso, não importa: em qualquer uma dessas situações eu diria “eu”. O “eu” não é o conjunto das minhas experiências. Já tive as idéias mais malucas, idéias que hoje me envergonham. Mas, quando eu tinha tais idéias, eu dizia “eu”, que é o mesmo “eu” que eu digo agora quando zombo delas. Eliminadas todas as minhas experiências e idéias, o que sobra? Sobra o “eu”, uma entidade sem conteúdo, completamente vazia de quaisquer idéias, que mora em mim. O que é que esse vazio chamado “eu” faz? Sua função é a de bibliotecário da grande biblioteca que sou eu. Ele não é um livro. Não tem conhecimento algum. Mas tem o poder e missão de colocar os livros em ordem.

Imaginemos agora que haja um terremoto. A biblioteca é arrasada. Todos os livros são tirados dos seus lugares. O que sobra? Sobram os livros em desordem. E o “eu” bibliotecário, onde foi parar? Não sei. Só sei uma coisa: ele não é mais o senhor da biblioteca. Parece que emigrou para um outro lugar. O corpo é uma biblioteca arrasada sem bibliotecário. Será que aquele corpo pode falar a palavra “eu”? Existirá um “eu”? Onde? Casa sem morador?
Olho para ele e me pergunto: “Por onde vagará o seu eu?” Não sei. Só sinto uma imensa tristeza diante daquela biblioteca arruinada.

 

segunda-feira, 17 de maio de 2010

MUDANÇA...

 
Mude,
mas comece devagar,
porque a direção é mais importante
que a velocidade.
Sente-se em outra cadeira,
no outro lado da mesa.
Mais tarde, mude de mesa.
Quando sair,
procure andar pelo outro lado da rua.
Depois, mude de caminho,
ande por outras ruas,
calmamente,
observando com atenção
os lugares por onde você passa.
Tome outros ônibus.
Mude por uns tempos o estilo das roupas.
Dê os teus sapatos velhos.
Procure andar descalço alguns dias.
Tire uma tarde inteira
para passear livremente na praia, ou no parque,
e ouvir o canto dos passarinhos.
Veja o mundo de outras perspectivas.
Abra e feche as gavetas
e portas com a mão esquerda.
Durma no outro lado da cama...
depois, procure dormir em outras camas.
Assista a outros programas de tv,
compre outros jornais...
leia outros livros,
Viva outros romances.
Não faça do hábito um estilo de vida.
Ame a novidade.
Durma mais tarde.
Durma mais cedo.
Aprenda uma palavra nova por dia 
numa outra língua.
Corrija a postura.
Coma um pouco menos,
escolha comidas diferentes,
novos temperos, novas cores, novas delícias.
Tente o novo todo dia, o novo lado,
o novo método, o novo sabor,
o novo jeito, o novo prazer,
o novo amor, a nova vida.
Tente.
Busque novos amigos.
Tente novos amores.
Faça novas relações.
Almoce em outros locais,
vá a outros restaurantes,
tome outro tipo de bebida
compre pão em outra padaria.
Almoce mais cedo,
jante mais tarde ou vice-versa.
Escolha outro mercado...
outra marca de sabonete, outro creme dental...
tome banho em novos horários.
Use canetas de outras cores.
Vá passear em outros lugares.
Ame muito, cada vez mais, de modos diferentes.
Troque de bolsa, de carteira, de malas,
troque de carro, compre novos óculos,
escreva outras poesias.
Jogue os velhos relógios,
quebre delicadamente esses horrorosos despertadores.
Abra conta em outro banco.
Vá a outros cinemas, outros cabeleireiros,
outros teatros, visite novos museus.
Mude.
Lembre-se de que a Vida é uma só.
E pense seriamente em arrumar um outro emprego,
uma nova ocupação, um trabalho mais light,
mais prazeroso, mais digno, mais humano.
Se você não encontrar razões para ser livre,
invente-as. Seja criativo.
E aproveite para fazer uma viagem despretensiosa,
longa, se possível sem destino.
Experimente coisas novas.
Troque novamente.
Mude, de novo.
Experimente outra vez.
Você certamente conhecerá coisas melhores
e coisas piores do que as já conhecidas,
mas não é isso o que importa.
O mais importante é a mudança,
o movimento, o dinamismo, a energia.
Só o que está morto não muda !
Repito por pura alegria de viver:
a salvação é pelo risco, sem o qual 
a vida não vale a pena!!!

Clarice Lispcctor

sexta-feira, 14 de maio de 2010

EARTH SONG BY MICHAEL JACKSON



 Esse contundente e inesquecível vídeo está aí para nos lembrar sempre e sempre o que estamos fazendo com nosso Planeta Terra...

Enviado pelo Ney Rocha

O PROJETO FICHA LIMPA PASSOU...

Caros amigos,

A Câmara dos Deputados aprovou a Ficha Limpa! Esta é uma vitória incrível para nós e todos os brasileiros. Obrigado a todos que ajudaram a fazer este grande dia se materializar!

Quando a Ficha Limpa foi apresentada, muitos acreditavam que ela nunca iria passar. Até o presidente da Câmara, Michel Temer, disse diversas vezes que não acreditava que existia apoio político o suficiente para aprovar o projeto de lei.

No entanto, eles não esperavam a maior campanha online na história do Brasil. Com milhões de assinaturas, milhares de mensagens enviadas e de ligações feitas - nós tornamos o impossível possível, tomando controle de nossa democracia. Nós trouxemos de volta o poder político para as mãos da população.

E só estamos começando. Meio milhão de brasileiros estão recebendo este alerta. Juntos podemos nos tornar uma grande força para gerar mudanças políticas e sociais em nosso país e no mundo. Cole em seu navegador o link abaixo para participar de um chat ao vivo e parabenizar outros membros desta comunidade incrível, além de compartilhar idéias do que devemos fazer no futuro:

http://www.avaaz.org/po/vitoria_ficha_limpa/?vl

A Ficha Limpa ainda não é lei. Ela ainda precisa passar pelo senado e depois receber a sanção presidencial- talvez vamos precisar agir novamente nas próximas semanas, mantendo a pressão para garantir que a Ficha Limpa não seja enfraquecida ou mudada.

Mais de 550.000 pessoas se mobilizaram através da Avaaz. Nós nos tornamos a maior rede virtual de engajamento político na história do Brasil, e parte do maior movimento global online do mundo.

Nós vimos que trabalhando junto nosso poder é fenomenal - juntos nós podemos começar a construir o Brasil, e o mundo, com que sonhamos. COLE EM SEU NAVEGADOR ESSE LINK para se juntar ao chat ao vivo e conhecer essa comunidade incrível, que fez o Ficha Limpa acontecer:

http://www.avaaz.org/po/vitoria_ficha_limpa/?vl

Com um profundo agradecimentos e grande entusiasmo com o que podemos conquistar,

Graziela, Ricken, Alice, Pascal, Luis, Iain, Milena e toda a equipe Avaaz

quinta-feira, 13 de maio de 2010

PAZ PERFEITA


Uma bela história para falar de paz, aquela paz verdadeira que nasce dentro do coração e projeta-se para fora. Recebi por e-mail e cuti muito. Espero que gostem também!

Havia um rei que ofereceu um grande prêmio ao artista que fosse capaz de captar numa pintura a Paz perfeita. Foram muitos os artistas que tentaram. O rei observou e admirou todas as pinturas, mas houve apenas duas de que ele realmente gostou e teve de escolher entre ambas.

A primeira era um lago muito tranqüilo. Este lago era um espelho perfeito, onde se refletiam umas plácidas montanhas que o rodeavam. Sobre elas encontrava-se um céu muito azul com tênues nuvens brancas. Todos os que olharam para esta pintura pensaram que ela refletia a paz perfeita.

A segunda pintura também tinha montanhas. Mas estas eram escabrosas e estavam despidas de vegetação. Sobre elas havia um céu tempestuoso, do qual se precipitava um forte aguaceiro com faíscas e trovões. Montanha abaixo parecia retumbar uma espumosa torrente de água. 

Tudo isto se revelava nada pacífico. Mas, quando o rei observou mais atentamente, reparou que atrás da cascata havia um arbusto crescendo de uma fenda na rocha. Neste arbusto encontrava-se um ninho. Ali, no meio do ruído da violenta camada de água, estava um passarinho placidamente sentado no seu ninho... Paz perfeita!

O rei escolheu a segunda e explicou: "Paz não significa estar num lugar sem ruídos, sem problemas, sem trabalho árduo ou sem dor." "Paz significa que, apesar de se estar no meio de tudo isso, permanecemos calmos no nosso coração."

CINDERELA PARA TEMPOS MODERNOS

Rubem Alves

Era uma vez um casal que era feliz sem ser rico. O pai era professor, gostava de brincar com as crianças e achava que ler era a coisa mais divertida do mundo. A mãe era artista e tocava flauta doce. Moravam numa casa modesta, com um jardim na frente e um pomar nos fundos. Tinham uma filha chamada Bruna. Bruna desde pequena dormia ouvindo sua mãe tocar flauta e seu pai contar estórias. Cresceu, assim, amando música e leitura, coisas que trazem alegria e tornam bonita a alma.
Ao lado de sua casa vivia um casal que era rico e infeliz. A mãe se chamava Monique. Era muito bonita e adorava aparecer nas colunas sociais. A beleza requer cuidados constantes. Monique, assim, gastava seu tempo e seu dinheiro com cabeleireiros, manicures, clínicas de estética, spas, regimes, operações plásticas, lojas, perfumes e jóias. Suas duas filhas se chamavam Michelle e Brigitte, nomes franceses que, para ela, eram o máximo de elegância. Monique fora uma educadora bem-sucedida, tanto assim que suas filhas em tudo se pareciam com ela. Gostavam de tudo que sua mãe gostava e gastavam tanto quanto sua mãe gastava. Com vidas assim socialmente intensas, não lhes sobrava tempo para coisas de somenos importância que nada acrescentavam à sua beleza, tais como poesia e música. O pai era um homem solitário deixado num canto, pois não conseguia conversar nem com sua mulher, nem com suas filhas. Refugiou-se numa edícula que fez construir no fundo do quintal. Ali se trancava e se dedicava à leitura e à música. O livro de que mais gostava era A morte de Quincas Berro D'água, de Jorge Amado, porque julgava que ele e Quincas Berro D'água estavam ligados por um destino comum.
Aconteceu, entretanto, que a mãe de Bruna morreu. Não houve sepultamento porque ela pediu para ser cremada e suas cinzas foram soltas ao vento sobre o mar.
Na mesma ocasião, o marido de Monique resolveu seguir o exemplo de Quincas Berro D'água. No dia da sua aposentadoria, que ele mantivera em segredo, voltou para casa do trabalho, foi para seu quarto, pegou uma mala e nela colocou suas roupas. Encaminhou-se, então, sorratei-ramente para a porta da saída, no que foi visto por sua mulher e suas filhas. Elas começaram a esbravejar todas ao mesmo tempo, pedindo explicações para aquele ato insólito: “Como se atreve a sair assim, sem permissão, carregando uma mala?”. Ele as olhou em silêncio, lembrou-se de Quincas Berro D'água, ficou vermelho e soltou um urro que foi ouvido em todo o quarteirão: “Jararacas!”. Com essa palavra serpentina, saiu de casa e nunca mais foi visto.
Monique não sentiu a menor falta do marido. Sentiu mesmo um certo alívio. Mas mulher sem marido fica sempre numa situação embaraçosa em festas e jantares. Sem o marido, era como se ela estivesse sem um sapato. Não ia socialmente bem. Por isso, ela ficou logo de tocaia, à espera do momento oportuno para lançar seu charme sobre o pai de Bruna, vizinho viúvo disponível. Ele seria o sapato que lhe faltava. E o impossível aconteceu. Roído pela tristeza, enfraquecido nos miolos, ele se apaixonou pela megera. Isso não é de estranhar porque, assim como os homens mais saudáveis podem, repentinamente, ficar gravemente doentes, os homens mais sábios podem, repentinamente, ter um surto de loucura. Contrariando os conselhos de Bruna, que percebia o que estava acontecendo, seu pai se casou com Monique, em cuja casa foram morar, porque era muito maior.
Mas a felicidade durou pouco. Porque a felicidade depende da capacidade das pessoas de conversar longamente, mansamente, numa boa. Conversa é como frescobol, bola pra lá, bola pra cá. Bruna e seu pai jogavam com livros, poesia, música, pintura, jardinagem. Mas Monique, Michelle e Brigitte só sabiam jogar com festas, vestidos e colunas sociais.
Bruna, então, era deixada nos cantos, sozinha. Passou a ser motivo de zombaria. Até que se cansou e tomou a decisão de se refugiar na edícula do fundo do quintal, onde se dedicava a ler e a tocar flauta doce, de um jeito parecido ao da Gata Borralheira, que se refugiara na cozinha, longe da madrasta e de suas filhas malvadas.
Vivia naquela cidade um empresário muito rico. Era viúvo e tinha um só filho, que nascera cego. Seu pai, entristecido, deu-lhe um nome lindo, tirado de um antiqüíssimo mito grego. Era o nome de um sábio que era cego: Tirésias. Tirésias era um lindo jovem, corpo harmonioso, inteligente, culto e destinado a herdar a fortuna do pai. Seu pai se angustiava pensando que, com sua morte, o filho ficaria sozinho. Cego, ele precisava arranjar uma esposa que cuidasse dele. Com o que Tirésias concordava: “É certo, meu pai. Mas eu só me casarei com uma mulher com quem terei prazer em conversar até o fim dos meus dias, uma mulher que seja sensível e culta...”.
Onde descobrir tal esposa para seu filho? Ele teve, então, uma idéia: um baile! Tirésias dançava maravilhosamente! Flutuava no escuro! Dançando, tendo uma moça em seus braços, eles conversariam... E, quem sabe, assim, ele descobriria a mulher com quem teria prazer em conversar pelo resto de sua vida!
Dito  e feito. Anunciou-se o baile. Todas as jovens e suas mães se agitaram. As mães sonham sempre com um genro rico... Michelle e Brigitte fizeram vestidos novos, foram ao cabeleireiro, à manicure, escolheram jóias e perfumes. Quando viram Bruna, caíram na risada. Bruna usava um velho vestido que sua mãe lhe fizera. E ela mesma penteara seus cabelos. “Você não tem vergonha? Está parecendo uma mendiga. Todos vão rir de você!” Bruna não disse nada. Não tinha nada para dizer.
O salão de bailes estava cheio de moças lindas e chiques. A orquestra começou a tocar. As mães, esperançosas, traziam suas filhas até Tirésias. Ele as tomava delicadamente, começava a dançar e lhes fazia uma única pergunta: “Fale-me sobre as coisas de que você mais gosta!”.
As jovens, que só conheciam o mundo da visão, falavam de vestidos, viagens, festas, televisão... Tirésias pensava: “Não, não terei prazer em conversar com essa moça até o fim de minha vida...”. Pedia licença, parava de dançar e começava a dançar com outra jovem. E a mesma coisa se repetia. Tirésias já havia perdido as esperanças, quando chegou a vez de Bruna. “Fale-me sobre as coisas de que você mais gosta”, ele lhe disse. E ela começou a falar sobre livros, sobre poesia, sobre música... Tirésias ficou encantado. Não queria parar de dançar. Bruna ficou em silêncio. Tirésias então lhe disse: “Quando te vi amei-te já muito antes...”. Esse é um verso de Fernando Pessoa, a mais linda declaração de amor jamais escrita! Bruna não deixou que ele terminasse. Completou o segundo verso: “Tornei a encontrar-te quando te achei...”. O rosto de Tirésias se encheu de felicidade. Abriu-se num sorriso. Ah! Aquela moça conhecia o seu mundo! Com ela, ele poderia conversar pelo resto de sua vida!
Michelle e Brigitte, que observavam de longe, perceberam o que estava acontecendo e decidiram interferir. O relógio da igreja batia as 12 badaladas: meia-noite! As duas correram para Bruna e lhe contaram uma mentira: “Seu pai telefonou. Acabou de chegar de viagem. Está com dores no peito. Pode ser um infarto. Pediu que você vá para levá-lo ao hospital...”. Bruna não hesitou. Saiu correndo, deixando Tirésias com os braços vazios...
O rosto de Tirésias se cobriu de tristeza. Havia deixado escapar o amor que sempre procurara. Nem mesmo seu nome ele sabia. Como encontrá-la? Parou de dançar e saiu do salão. E com isso a festa acabou.
Na cama, sem dormir, ele pensava: “O que fazer para encontrá-la?”. Até que uma maravilhosa idéia lhe ocorreu. Convidou todas as moças a que viessem conhecer o seu jardim. Foi um alvoroço geral! Quem sabe uma delas seria escolhida!
Tirésias as recebia, uma a uma, assentado num banco do jardim. Os jasmins estavam floridos. O perfume era delicioso! Quando elas se assentavam, ele dizia uma única frase. E ficava em silêncio. As moças se sentiam perdidas, sem saber o que dizer. Começavam a tagarelar, dizendo tolices. Ele, então, delicadamente as despedia e pedia que uma outra entrasse. E a mesma coisa acontecia.
Até que chegou a vez de Bruna. Tirésias não a reconheceu. Não podia ver seu rosto. Disse, então, a mesma frase que dissera para todas: “Quando te vi, amei-te já muito antes...”. E Bruna completou: “Tornei a encontrar-te quando te achei...”.
Não precisaram dizer palavra alguma. Abraçaram-se, rindo de felicidade. A busca chegara ao fim.
O casamento foi marcado e todas as moças, suas mães e seus pais foram convidados.
A festa foi maravilhosa, com música, danças, fontes luminosas, sinos, fogos de artifício, e coisas deliciosas de beber e comer.
E todas as jovens receberam, como recordação, um presente de Tirésias: um livro, embrulhado e amarrado com uma fita amarela: Obra poética, de Fernando Pessoa, com uma dedicatória que dizia assim: “Esperamos, Bruna e eu, que você aprenda a gostar de poesia. Pois é da poesia que nasce o amor”.
Quanto a Tirésias e Bruna, viveram felizes muitos anos, até a velhice, conversando sempre alegremente sobre as coisas que tornam bela a vida... E mesmo depois de esgotados os fogos efêmeros do amor jovem, eles continuaram a se amar aquecidos pela chama suave da ternura, até o fim.
 

A DISCIPLINA DO AMOR...


 Lygia Fagundes Telles 

Foi na França, durante a segunda grande guerra: um jovem tinha um cachorro que todos os dias, pontualmente, ia esperá-lo voltar do trabalho. Postava-se na esquina, um pouco antes das seis da tarde. Assim que via o dono, ia correndo ao seu encontro e na maior alegria, acompanhava-o com seu passinho saltitante de volta a casa. A vila inteira já conhecia o cachorro e as pessoas que passavam faziam-lhe festinhas e ele correspondia, chegava a correr todo animado atrás dos mais íntimos. Para logo voltar atento ao seu posto e ali ficar sentado até o momento em que seu dono apontava lá longe. Mas eu avisei que o tempo era de guerra, o jovem foi convocado. Pensa que o cachorro deixou de esperá-lo? Continuou a ir diariamente até a esquina, fixo o olhar ansioso naquele único ponto, a orelha em pé, atenta ao menor ruído que pudesse indicar a presença do dono bem-amado. Assim que anoitecia, ele voltava para casa e levava sua vida normal de cachorro até chegar o dia seguinte. Então, disciplinadamente, como se tivesse um relógio preso á pata, voltava ao seu posto de espera. O jovem morreu num bombardeio, mas no pequeno coração do cachorro não morreu a esperança. Quiseram prendê-lo, distraí-lo. Tudo em vão. Quando ia chegando àquela hora ele disparava para o compromisso assumido, todos os dias. Todos os dias. Com o passar dos anos (a memória dos homens!) as pessoas foram se esquecendo do jovem soldado que não voltou. Casou-se a noiva com um primo. Os familiares voltaram-se para outros familiares. Os amigos, para outros amigos. Só o cachorro já velhíssimo (era jovem quando o jovem partiu) continuou a esperá-lo na sua esquina. As pessoas estranhavam, mas quem esse cachorro está esperando?... Uma tarde (era inverno) ele lá ficou, o focinho voltado para aquela direção.


terça-feira, 11 de maio de 2010

COISAS DA VIDA SÓ PARA OS MAIS IMPORTANTES...


Já escondi um amor com medo de perdê - lo, Já perdi um amor por escondê - lo...   Já segurei nas mãos de alguém por estar com medo,   Já tive tanto medo, ao ponto de nem sentir minhas mãos.
Já expulsei pessoas que amava de minha vida,   Já me arrependi por isso...   Já passei noites chorando até pegar no sono,   Já fui dormir tão feliz,   Ao ponto de nem conseguir fechar os olhos...


Já acreditei em amores perfeitos,   Já descobri que eles não existem...   Já amei pessoas que me decepcionaram,   Já decepcionei pessoas que me amaram...
Já passei horas na frente do espelho   Tentando descobrir quem sou,   Já tive tanta certeza de mim,   Ao ponto de querer sumir...


Já menti e me arrependi depois,   Já falei a verdade   E também me arrependi...   Já fingi não dar importância a pessoas que amava,   Para mais tarde chorar quieto em meu canto...
Já sorri chorando lágrimas de tristeza,   Já chorei de tanto rir...   Já acreditei em pessoas que não valiam a pena,   Já deixei de acreditar nas que realmente valiam...   Já tive crises de riso quando não podia...


Muitas vezes deixei de falar o que penso para agradar uns,   Outras vezes falei o que não pensava para magoar outros...   Já fingi ser o que não sou para agradar uns,   Já fingi ser o que não sou para desagradar outros... 
Já senti muita falta de alguém,   Mas nunca lhe disse...   Já gritei quando deveria calar,   Já calei quando deveria gritar...


Já contei piadas e mais piadas sem graça,   Apenas para ver um amigo mais feliz...   Já inventei histórias de final feliz   Para dar esperança a quem precisava...   Já sonhei demais,   Ao ponto de confundir com a realidade...
Já tive medo do escuro,   Hoje no escuro "me acho, me agacho, fico ali"...   Já caí inúmeras vezes   Achando que não iria me reerguer,   Já me reergui inúmeras vezes   Achando que não cairia mais...


Já liguei para quem não queria   Apenas para não ligar para quem realmente queria...   Já corri atrás de um carro,   Por ele levar alguém que eu amava embora.
Já chamei pela mãe no meio da noite   Fugindo de um pesadelo,   Mas ela não apareceu   E foi um pesadelo maior ainda...   Já chamei pessoas próximas de "amigo"   E descobri que não eram;   Algumas pessoas nunca precisei chamar de nada   E sempre foram e serão especiais para mim...


Não me dêem formulas certas,   Porque eu não espero acertar sempre...   Não me mostre o que esperam de mim,   Porque vou seguir meu coração!...   Não me façam ser o que eu não sou,   Não me convidem a ser igual,   Porque sinceramente sou diferente !...


Não sei amar pela metade,   Não sei viver de mentiras,   Não sei voar com os pés no chão...   Sou sempre eu mesma,   Mas com certeza não serei a mesma para sempre...
Com o tempo aprendi que o que importa não é o que você tem na vida, mas QUEM você tem na vida... E que bons amigos são a família que nos permitiram escolher.... Gosto de cada um de vocês de um jeito especial e único.... Beijos....


Enviado pelo amigo Ney Rocha

sábado, 8 de maio de 2010

COMEMORAÇÃO DE ANIVERSÁRIOS




Em uma belíssima noite de abril/outonal com lua cheia e céu estrelado, comemorei meu aniversário juntamente com as amigas aniversariantes Fátima e Silvia, a convite da Sílvia, na chácara do Cássio em Guará/Barão Geraldo. 




  

Com a presença dos queridos Miraldo, Telma, Olga, Gisele, Egberto, Fábio, Silvia, Hugo, Fátima, Carla, João e outros mais... foi uma comemoração perfeita!








Degustamos deliciosos vinhos e maravilhosas "empanadas" argentinas, entre outros petiscos gostosos, e o papo agradável correu solto e descontraído...












As fotos feitas pelo Egberto mostram os momentos de amizade, alegria e descontração! 

Agradeço os momentos felizes!


CAFÉ COLONIAL EM PROL DA AAAC

PARTICIPEM DO DELICIOSO CAFÉ COLONIAL PARA AJUDAR A AAAC A MANTER OS ANIMAIS ABANDONADOS DE CAMPINAS! 
COMPRE O CONVITE, COMPAREÇA E DIVIRTA-SE PRATICANDO UMA BOA AÇÃO!

FICHA LIMPA

Caros amigos,

Envie uma mensagem para os deputados contra a Ficha Limpa! Faltam poucos dias para a votação e eles estão tentando enfraquecer a lei: 

A Ficha Limpa está prestes a ser votada e a nossa espetacular entrega da petição no Congresso Nacional ganhou a mídia nacional. Mas ainda não ganhamos!

Ainda faltam 9 emendas (destaques) para ainda serem votadas que prejudicam o texto da Ficha Limpa. 43 deputados apoiaram as emendas em uma tentativa clara de enfraquecer a lei. Nós mostramos que a opinião pública é forte demais para eles irem explicitamente contra a Ficha Limpa, então está é a sua última tentativa desesperada de disfigurara o projeto.

Nós chegamos até aqui, agora só precisamos nos unir e pressionar para que a Ficha Limpa não seja alterada. Nós temos poucos dias até a votação final. Clique aqui para ver os políticos que estão tentando enfraquecer a lei e use a nossa ferramenta para enviar uma mensagem para eles. Vamos expor eles para que desistam de tentar alterar a Ficha Limpa:

http://www.avaaz.org/po/emails_deputados/?vl

A entrega da petição ganhou noticiários e jornais na semana passada e ela foi citada repetidamente nos discursos na sessão parlamentar. Nós mostramos para os nossos deputados que somos uma força que não pode ser ignorada. Após a sessão, um deputado disse: “É importante manter a pressão. Vários deputados estão reclamando de todos os emails e telefonemas que vocês estão fazendo”.

Nós estamos às vesperas de uma nova era na política brasileira, mas precisamos continuar unidos até a votação final para garantir que nenhuma das emendas perigosas passem. Clique aqui para enviar uma mensagem para os deputados que estão tentando alterar a lei, pedindo para eles não aprovarem os destaques na tentativa de enfraquecer a Ficha Limpa:

http://www.avaaz.org/po/emails_deputados/?vl

Com esperança,

Graziela, Alice, Ricken, Pascal, Luis, Iain, Paul, Benjamin e toda a equipe Avaaz

Veja as notícias sobre o ato semana passada:

Jornal Nacional:
http://g1.globo.com/videos/jornal-nacional/v/projeto-ficha-limpa-pode-nao-valer-para-eleicoes-desse-ano/1257774/

Manifestantes lavam a rampa do Congresso em defesa do Ficha Limpa:
http://g1.globo.com/politica/noticia/2010/05/manifestantes-lavam-rampa-do-congresso-em-defesa-do-ficha-limpa.html

Manifestantes lavam rampa do Congresso e pedem faxina na política:
http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia182/2010/05/04/politica,i=190485/MANIFESTANTES+LAVAM+RAMPA+DO+CONGRESSO+E+PEDEM+FAXINA+NA+POLITICA.shtml

sexta-feira, 7 de maio de 2010

PASSEIO SOCRÁTICO



Por Frei Beto

publicado em 20/9/2008.

Ao viajar pelo Oriente, mantive contatos com monges do Tibete, da Mongólia, do Japão e da China. Eram homens serenos, comedidos, recolhidos em paz em seus mantos cor de açafrão.

Outro dia, eu observava o movimento do aeroporto de São Paulo: a sala de espera cheia de executivos com telefones celulares, preocupados, ansiosos, geralmente comendo mais do que deviam. Com certeza, já haviam tomado café da manhã em casa, mas como a companhia aérea oferecia um outro café, todos comiam vorazmente. Aquilo me fez refletir:
- "Qual dos dois modelos produz felicidade?"
Encontrei Daniela, 10 anos, no elevador, às nove da manhã, e perguntei:
- "Não foi à aula?"
Ela respondeu: - "Não, tenho aula à tarde". Comemorei:

- "Que bom, então de manhã você pode brincar, dormir até mais tarde".
- "Não", retrucou ela, "tenho tanta coisa de manhã..."
- "Que tanta coisa?", perguntei.
- "Aulas de inglês, de balé, de pintura, piscina", e começou a elencar seu programa de garota robotizada.

Fiquei pensando: - "Que pena, a Daniela não disse: "Tenho aula de meditação!"
Estamos construindo super-homens e supermulheres, totalmente equipados, mas emocionalmente infantilizados. Por isso as empresas consideram agora que, mais importante que o QI, é a IE, a Inteligência Emocional. Não adianta ser um superexecutivo se não se consegue se relacionar com as pessoas. Ora, como seria importante os currículos escolares incluírem aulas de meditação!

Uma progressista cidade do interior de São Paulo tinha, em 1960, seis livrarias e uma academia de ginástica; hoje, tem sessenta academias de ginástica e três livrarias! - Não tenho nada contra malhar o corpo, mas me preocupo com a desproporção em relação à malhação do espírito. Acho ótimo, vamos todos morrer esbeltos: "Como estava o defunto?". "Olha, uma maravilha, não tinha uma celulite!" Mas como fica a questão da subjetividade? Da espiritualidade? Da ociosidade amorosa?

Outrora, falava-se em realidade: análise da realidade, inserir-se na realidade, conhecer a realidade. Hoje, a palavra é virtualidade. Tudo é virtual. Pode-se fazer sexo virtual pela internet: não se pega aids, não há envolvimento emocional, controla-se no mouse. Trancado em seu quarto, em Brasília, um homem pode ter uma amiga íntima em Tóquio, sem nenhuma preocupação de conhecer o seu vizinho de prédio ou de quadra! Tudo é virtual, entramos na virtualidade de todos os valores, não há compromisso com o real! É muito grave esse processo de abstração da linguagem, de sentimentos: somos místicos virtuais, religiosos virtuais, cidadãos virtuais. Enquanto isso, a realidade vai por outro lado, pois somos também eticamente virtuais…

A cultura começa onde a natureza termina. Cultura é o refinamento do espírito. Televisão, no Brasil - com raras e honrosas exceções -, é um problema: a cada semana que passa, temos a sensação de que ficamos um pouco menos cultos. A palavra hoje é "entretenimento"; domingo, então, é o dia nacional da imbecilização coletiva. Imbecil o apresentador, imbecil quem vai lá e se apresenta no palco, imbecil quem perde a tarde diante da tela.

Como a publicidade não consegue vender felicidade, passa a ilusão de que felicidade é o resultado da soma de prazeres: "Se tomar este refrigerante, calçar este tênis, usar esta camisa, comprar este carro, você chega lá!"O problema é que, em geral, não se chega! Quem cede desenvolve de tal maneira o desejo, que acaba precisando de um analista. Ou de remédios. Quem resiste, aumenta a neurose.

Os psicanalistas tentam descobrir o que fazer com o desejo dos seus pacientes. Colocá-los onde? Eu, que não sou da área, posso me dar o direito de apresentar uma sugestão. Acho que só há uma saída: virar o desejo para dentro. Porque, para fora, ele não tem aonde ir! O grande desafio é virar o desejo para dentro, gostar de si mesmo, começar a ver o quanto é bom ser livre de todo esse condicionamento globalizante, neoliberal, consumista. Assim, pode-se viver melhor.. Aliás, para uma boa saúde mental três requisitos são indispensáveis: amizades, auto-estima, ausência de estresse.

Há uma lógica religiosa no consumismo pós-moderno. Se alguém vai à Europa e visita uma pequena cidade onde há uma catedral, deve procurar saber a história daquela cidade - a catedral é o sinal de que ela tem história. Na Idade Média, as cidades adquiriam status construindo uma catedral; hoje, no Brasil, constrói-se um shopping center. É curioso: a maioria dos shopping centers tem linhas arquitetônicas de catedrais estilizadas; neles não se pode ir de qualquer maneira, é preciso vestir roupa de missa de domingos. E ali dentro sente-se uma sensação paradisíaca: não há mendigos, crianças de rua, sujeira pelas calçadas...

Entra-se naqueles claustros ao som do gregoriano pós-moderno, aquela musiquinha de esperar dentista. Observam-se os vários nichos, todas aquelas capelas com os veneráveis objetos de consumo, acolitados por belas sacerdotisas. Quem pode comprar à vista, sente-se no reino dos céus. Se deve passar cheque pré-datado, pagar a crédito, entrar no cheque especial, sente-se no purgatório. Mas se não pode comprar, certamente vai se sentir no inferno.... Felizmente, terminam todos na eucaristia pós-moderna, irmanados na mesma mesa, com o mesmo suco e o mesmo hambúrguer do McDonald's…

Costumo advertir os balconistas que me cercam à porta das lojas: "Estou apenas fazendo um passeio socrático." Diante de seus olhares espantados, explico: Sócrates, filósofo grego, também gostava de descansar a cabeça percorrendo o centro comercial de Atenas. Quando vendedores como vocês o assediavam, ele respondia: Estou apenas observando quanta coisa existe de que não preciso para ser feliz.

Sobre o Autor

Frei Beto : Carlos Alberto Libânio Christo, o Frei Betto, escritor e assessor de movimentos sociais, é autor de "Típicos Tipos" (A Girafa), prêmio Jabuti 2005, entre outros livros.

Recebido por e-mail da amiga Mariana Radomile
Foto Vera/Grécia-Delfos 2009

LASANHA DE PÃO DE FORMA




Prepare uma deliciosa lasanha com uma massa diferente, o pão de forma. Rápida e fácil, em 30 minutos essa deliciosa lasanha está pronta!


Ingredientes:
1 pacote de pão de forma
1 lata de creme de leite
1 cebola
3 dentes de alho
1/2 kg de queijo mussarela
1/2 kg de apresuntado

Modo de Preparo
Em uma panela refoque a cebola e o alho logo em seguida coloquem a lata de creme de leite, deixe no fogo até levantar a primeira fervura, apague o fogo e reserve.
Em uma travessa coloque a primeira fileira de pão (molhe o pão no leite), depois o molho, o apresuntado e a mussarela. Faça duas camadas, terminando com o queijo.
Leve ao forno, retirando assim que o queijo estiver derretido. 

Foto Grécia 2009

DOR EMOCIONAL É A PRINCIPAL CAUSA DO MAL DE PARKINSON


Doença neurodegenerativa caracterizada por tremores intensos e rigidez dos membros superiores e inferiores, o Mal de Parkinson atinge, em geral, pessoas com idade acima dos 55 anos e tem como causa principal problemas de origem emocional, como ansiedade e angústia.
Para saber mais sobre essa enfermidade clique no título acima.

FELIZ POR NADA?

MARTHA MEDEIROS

Geralmente, quando uma pessoa exclama Estou tão feliz!, é porque engatou um novo amor, conseguiu uma promoção, ganhou uma bolsa de estudos, perdeu os quilos que precisava ou algo do tipo. Há sempre um porquê. Eu costumo torcer para que essa felicidade dure um bom tempo, mas sei que as novidades envelhecem e que não é seguro se sentir feliz apenas por atingimento de metas. Muito melhor é ser feliz por nada.

Digamos: feliz porque maio recém começou e temos longos oito meses para fazer de 2010 um ano memorável. Feliz por estar com as dívidas pagas. Feliz porque alguém o elogiou. Feliz porque existe uma perspectiva de viagem daqui a alguns meses. Feliz porque você não magoou ninguém hoje. Feliz porque daqui a pouco será hora de dormir e não há lugar no mundo mais acolhedor do que sua cama.

Esquece. Mesmo sendo motivos prosaicos, isso ainda é ser feliz por muito.

Feliz por nada, nada mesmo?

Talvez passe pela total despreocupação com essa busca. Essa tal de felicidade inferniza. “Faça isso, faça aquilo”. A troco? Quem garante que todos chegam lá pelo mesmo caminho?

Particularmente, gosto de quem tem compromisso com a alegria, que procura relativizar as chatices diárias e se concentrar no que importa pra valer, e assim alivia o seu cotidiano e não atormenta o dos outros. Mas não estando alegre, é possível ser feliz também. Não estando “realizado”, também. Estando triste, felicíssimo igual. Porque felicidade é calma. Consciência. É ter talento para aturar o inevitável, é tirar algum proveito do imprevisto, é ficar debochadamente assombrado consigo próprio: como é que eu me meti nessa, como é que foi acontecer comigo? Pois é, são os efeitos colaterais de se estar vivo.

Benditos os que conseguem se deixar em paz. Os que não se cobram por não terem cumprido suas resoluções, que não se culpam por terem falhado, não se torturam por terem sido contraditórios, não se punem por não terem sido perfeitos. Apenas fazem o melhor que podem.

Se é para ser mestre em alguma coisa, então que sejamos mestres em nos libertar da patrulha do pensamento. De querer se adequar à sociedade e ao mesmo tempo ser livre. Adequação e liberdade simultaneamente? É uma senhora ambição. Demanda a energia de uma usina. Para que se consumir tanto?

A vida não é um questionário de Proust. Você não precisa ter que responder ao mundo quais são suas qualidades, sua cor preferida, seu prato favorito, que bicho seria. Que mania de se autoconhecer. Chega de se autoconhecer. Você é o que é, um imperfeito bem-intencionado e que muda de opinião sem a menor culpa.

Ser feliz por nada talvez seja isso
.

Foto Vera

quarta-feira, 5 de maio de 2010

PROJETO FICHA LIMPA POR UM FIO!


Caros amigos,

A Ficha Limpa está por um fio! Deputados contra o projeto de lei, estão organizando uma última tentativa acabar com a Ficha Limpa: eles estão propondo destaques (emendas) para desfigurar completamente o texto. Alguns estão tentando esvaziar o Congresso para que não haja votação!

Precisamos bloquear as linhas telefônicas dos líderes dos partidos que estão propondo os destaques. Precisamos deixar clara a nossa mensagem: “Sem boicotes nem alterações – vote na Ficha Limpa!”. Cole no seu navegador o endereço abaixo e veja o telefone dos líderes:

http://www.avaaz.org/po/mobilize_ficha_limpa/?vl

O movimento pela Ficha Limpa já percorreu um longo caminho – a nossa petição com mais de 2 milhões de nomes foi entregue no Congresso Nacional em um ato espetacular que gerou grande atenção da mídia e parlamentares.

Ninguém falou que acabar com a corrupção seria fácil, mas com uma pressão final momentos antes da votação, nós podemos ganhar! Tudo que você precisa falar é “Sem boicotes, nem alterações – vote na Ficha Limpa hoje!” Ligue agora:

http://www.avaaz.org/po/mobilize_ficha_limpa/?vl

Com esperança,

Graziela, Ricken, Alice, Luis, Pascal, Iain, Benjamin, Paul e toda equipe Avaaz

Veja a repercussão do ato no Congresso Nacional:

http://oglobo.globo.com/pais/fotogaleria/2010/11598/default.asp

Jornal Nacional:
http://g1.globo.com/videos/jornal-nacional/v/projeto-ficha-limpa-pode-nao-valer-para-eleicoes-desse-ano/1257774/#/Edi%C3%A7%C3%B5es/20100504/page/1

Manifestantes lavam rampa do Congresso e pedem faxina na política:
http://www.estadao.com.br/noticias/nacional,manifestantes-lavam-rampa-do-congresso-e-pedem-faxina-na-politica,546923,0.htm

O MUSEU QUE FALTAVA EM BRASÍLIA

Clique no título acima e entre no museu... ao clicar nas portas, verá as "obras de arte" nele expostas! A entrada é grátis, pois você já pagou - e caro - a sua parte.

Porém, ainda faltam nesse museu "obras de arte" mais antigas, ou seja, ele está desatualizado. O motivo talvez seja porque nos governos anteriores as "obras de arte" costumavam ser banidas (para baixo do tapete) e atualmente elas estão sendo expostas, o que é uma vantagem, para o público!


Recebido por e-mail

segunda-feira, 3 de maio de 2010

COMO USAR SEU LAPTOP SEM AGREDIR A SUA SAÚDE



· O notebook deve ser colocado numa distância que permita uma leitura confortável e ao mesmo tempo provoque a menor inclinação possível da cabeça para frente.
· Mantenha os dedos alinhados com o punho. O ideal é procurar um encosto confortável, já que a sua coluna e cabeça devem ficar ligeiramente inclinadas para trás. Nessa posição procure mover os olhos e não a cabeça para visualizar o teclado. A tendência é de inclinar a cabeça para frente, o que gera um empurrão no pescoço que tende a girar a cabeça em direção à barriga, forçando a contração da musculatura da nuca.
· A cada meia hora faça uma pausa. Leve as duas mãos à nuca e faça uma rápida massagem nessa musculatura. Alongue a cabeça para trás fazendo movimentos suaves de rotação para um lado e para outro. Faça o mesmo com os dedos das mãos. Use uma mão para alongar os dedos da outra em direção ao dorso e à palma da mão. Os olhos são mantidos focando o monitor e o teclado pela ação de pequenos músculos. Para aliviá-los durante a massagem na nunca, procure olhar para cima.
· Lembre-se: seus dedos precisam saber localizar de forma automática a posição das letras e números no teclado. Caso tenha que olhar para o teclado na hora de digitar cada letra, procure fazer um curso de digitação, pois isso vai exigir uma inclinação menor da cabeça e aumentar o seu rendimento. No teclado do notebook temos a tendência de acompanhar o pequeno espaço entre as teclas, mantendo os dedos mais próximos uns dos outros. Procure mantê-los mais afastados, tente mover um pouquinho o punho para achar as teclas. Para preservar sua visão, trabalhe sempre com fontes grandes ou aumente o zoom de sua tela.
· Os laptops estão cada vez mais leves, mas procure carregá-lo em uma mochila que se pendura nas costas com alças para os dois ombros.
· Caso tenha que usar o laptop durante muito tempo, utilize o mouse e transforme o seu computador portátil num desktop. 

Fonte: Prof. Gil Lúcio Almeida - Fisioterapeuta, mestre pela UFSCar, doutor (PhD) e pós-doutor por importantes instituições norte-americanas

BINGO COM CAFÉ COLONIAL


 


BINGO COM CAFÉ COLONIAL NO SALÃO DE FESTAS DA IGREJA STA. MARGARIDA: SÁBADO DIA 29/05/2010 ÀS 14:00 HORAS.

PARA AJUDAR NAS DESPESAS COM A MAUTENÇÃO DOS ABRIGOS DA ASSOCIAÇÃO DOS AMIGOS DOS ANIMAIS DE CAMPINAS (AAAC).



 

COMPAREÇAM! A COMIDA SERÁ CAPRICHADA COMO SEMPRE E OS PREMIOS MELHORES AINDA.

LEMBREM-SE QUE CONTINUAMOS A ARRECADAR AS DOAÇÕES PARA O BAZAR.

UM GRANDE ABRAÇO E MUITO ESFORÇO!
NOSSO EMPENHO É EM PROL DOS ANIMAIS.
JOAOROXO  19 96123868

DELICIOSO CAPUCCINO

Uma deliciosa receita de capuccino para esquentar o corpo e a alma quando a temperatura baixar. Segue uma receita fácil e muito gostosa:

Capuccino com extrato de soja - Ingredientes: 100g de extrato de soja em pó, 1 lata de leite em pó desnatado, 1 xícara (chá) de café solúvel, ½ xícara de chá de cacau em pó, 100g de açúcar mascavo, ½ colher de chá de canela em pó. Modo de preparo: Bater todos os ingredientes no liquidificador. Guardar em potes bem fechados. Modo de usar: Em uma xícara de chá, adicione uma colher de sobremesa bem cheia do pó. Adicionar aos poucos água fervente mexendo bem até dissolver. Servir em seguida.

Outras deliciosas receitas podem ser conferidas clicando no título acima.

domingo, 2 de maio de 2010

NOVA MODALIDADE DE TOURADA ...



Sem sangue e sem carnificina, esta é a tourada politicamente correta; é a tourada acrobática!

DOE PALAVRAS...



O Hospital Mário Penna em Belo Horizonte, que cuida de doentes de câncer, lançou um projeto sensacional que se chama "DOE PALAVRAS". Fácil, rápido e todos podem doar um pouquinho.
 
Você acessa o site:


http://www.doepalavras.com.br/, 

escreve uma mensagem de otimismo, curta (como twitter) e sua mensagem aparece no telão para os pacientes que estão fazendo o tratamento. É muito linda a reação de esperança dos pacientes.
 
Participem, não apenas hoje, mas, todos os dias, dêem um pouquinho das suas palavras e de seus pensamentos. Doem um pouquinho do seu amor e carinho àqueles que precisam...

 

CLIQUE PARA SALVAR NOSSAS FLORESTAS


O perigo está chegando. Você ainda pode proteger as florestas.

O clique para salvar a floresta começa a dar resultado. O deputado Aldo Rebelo, que prepara neste momento o relatório para a comissão especial que pretende devastar o Código Florestal, sentiu que os brasileiros desejam proteger as matas, não as destruir.

Desde terça-feira, 27 de abril, ele tenta justificar por que alguém que se diz comunista se bandeia para o lado dos ruralistas que querem acabar com as matas do Brasil. Quem participa da nossa ciberação, e pede que Aldo deixe nossas florestas em paz, recebe um e-mail como resposta.

Se você ainda não participou da ciberação, ainda dá tempo. Clique no título acima e assine.

Nesse e-mail, Aldo argumenta que as mudanças pensadas por ele para o Código Florestal – coincidentemente apoiadas pela bancada da motosserra, que domina a comissão especial – são baseadas em muito estudo e investigação. Para dar um ar de transparência, Aldo convida o ciberativista a visitar o site da Câmara Federal, sugerindo que lá você terá acesso ao debate sobre o Código Florestal.

Engraçado é que seu conteúdo prova que os deputados não fazem mesmo seu trabalho a sério. Se hoje você clicar em notícias, por exemplo, não verá nada. Quem navegar pelas outras páginas vai perceber que os deputados, Aldo inclusive, só ouviram e viram que era bom para eles. Por exemplo, das pessoas ouvidas em audiências públicas com registro, ou seja, que é possível saber o que foi dito (o que não se aplica a todas, aliás), 65% eram representantes do agronegócio e políticos locais. Apenas 8% representavam a agricultura familiar e 7% eram ambientalistas.

Aldo Rebelo está para apresentar seu relatório a qualquer momento. Peça a ele que não mexa no Código Florestal no fim do seu mandato. Assine a petição e peça a seus amigos fazerem o mesmo.

A hora é essa. Vamos, juntos, deixar claro que não queremos que o ronco da motosserra continue ameaçando nossas florestas.


Rafael Cruz
Coordenador de campanha
Greenpeace

Greenpeace Brasil
R. Alvarenga 2331
São Paulo - SP
(11) 3035-1155

FALTAM 3 DIAS PARA A VOTAÇÃO DO PROJETO FICHA LIMPA!


Caros amigos,

Faltam 3 dias para a votação da Ficha Limpa. Clique no título acima e vote para acabar com a corrupção!

 A nossa pressão está funcionando! Em uma vitória incrível, centenas de deputados, quase todos que receberam os milhares de emails e telefonemas nossos, assinaram o pedido de urgência para levar a Ficha Limpa para votação nesta terça-feira!

Agora nós só temos 3 dias para garantir um vitória histórica na luta contra a corrupção no Brasil. 3 dias é pouco, mas ainda podemos atingir a nossa meta de 2 milhões de nomes na petição.

Nós temos agora 1.940.007 assinaturas - e estamos organizando um ato no gramado do Congresso Nacional para entregar os 2 milhões na terça - precisamos ter certeza que todos que conhecemos já assinaram! Encaminhe este email, para que terça à noite seja a festa da vitória!

Quando a Ficha Limpa se tornar lei ela irá remover das eleições candidatos que cometeram crimes sérios como corrupção, lavagem de dinheiro, tráfico de drogas e assassinato. Só assim poderemos eliminar uma classe política criminosa responsável por sujar o nosso governo e roubar os recursos do nosso país.

Obrigado por acreditar neste país e se engajar de forma ativa. Juntos nós podemos mudar a política do nosso país.

Com esperança,

Graziela, Ricken, Pascal, Alice, Luis, Iain, Paul e toda a equipe Avaaz

PS. O ato no Congresso Nacional será das 16h às 18h - para maiores informações escreva para portugues@avaaz.org ou entre no site:
http://www.avaaz.org/po/brasil_ficha_limpa/?vl

sábado, 1 de maio de 2010

DITOS POPULARES


Dicas do Prof. Pasquale para famosos "ditos populares" os quais, via de regra, são falados de forma incorreta. Vejam alguns exemplos:



No popular se diz: 

"ESSE MENINO NÃO PÁRA QUIETO, PARECE QUE TEM BICHO CARPINTEIRO!"
- Minha grande dúvida na infância era: 
- Mas que bicho é esse que é carpinteiro, um bicho pode ser carpinteiro???
O correto é: 
"ESSE MENINO NÃO PÁRA QUIETO, PARECE QUE TEM BICHO NO CORPO INTEIRO!"
- Tá aí a resposta para meu dilema de infância!
- Eu não sabia! E você?

"BATATINHA QUANDO NASCE, ESPARRAMA PELO CHÃO."

Enquanto o correto é: "
"BATATINHA QUANDO NASCE, ESPALHA A RAMA PELO CHÃO!" 
- Se a batata é uma raiz, ou seja, nasce enterrada, como ela se esparrama pelo chão se ela está embaixo dele?


"COR DE BURRO QUANDO FOGE."
- Esse foi o pior de todos! Burro muda de cor quando foge?
- Qual cor ele fica? Porque ele muda de cor? 
 O correto é: 
"CORRO DE BURRO QUANDO FOGE!'

Outro que no popular todo mundo erra:
"QUEM TEM BOCA VAI A ROMA."
- Bom, esse eu entendia, de um modo errado, mas entendia! 
- Pensava que quem sabia se comunicar ia a qualquer lugar!
O correto é: 
"QUEM TEM BOCA VAIA ROMA." (isso mesmo, do verbo vaiar).

Outro que todo mundo diz errado:

"CUSPIDO E ESCARRADO."
- Quando alguém quer dizer que é muito parecido com outra pessoa.
O correto é: 
"ESCULPIDO EM CARRARA."  (Carrara é um tipo de mármore).

Mais um famoso:

"QUEM NÃO TEM CÃO, CAÇA COM GATO."
- Entendia também, errado, mas entendia! Se não tem o cão para ajudar na caça o gato ajuda! 
- Tudo bem que o gato só faz o que quer, mas vai que o bicho tá de bom humor!
O correto é:
"QUEM NÃO TEM CÃO, CAÇA COMO GATO!"  Ou seja, sozinho...

Vai dizer que você falava corretamente algum desses?


Enviado pela amiga Sonia Jaboti

Foto Sonia