Translate

quinta-feira, 17 de junho de 2010

O OLHAR...


Esta bela preleção foi feita pela amiga Neusa Teztner e quero compartilhar com vocês! Bom final de semana!




"Todo o olhar desvenda e revela.  Ao pousar sobre outro, -  o olhar tira as máscaras, vê além das aparências. Isso acontece porque os olhos costumam ser a janela da alma. Revelam em geral aquilo que gostaríamos de esconder aos demais. Em muitas ocasiões o olhar desmente os gestos e as palavras ensaiadas. Até mesmo os animais, com seu olhar aparentemente neutro e inexpressivo, muitas vezes parecem trazer à luz sentimentos genuinamente humanos: como tristeza e alegria, saudade e euforia, raiva e humilhação...

Os textos que ouvimos neste domingo nos convidam a refletir sobre o jeito de olhar a vida, o mundo e as pessoas, e a forma como julgamos as pessoas a partir do nosso olhar. O rei Davi ao olhar de seu terraço para a casa do vizinho vê a beleza de Bate-Seba e deseja possuí-la. Para conseguir esse desejo não pensa nas conseqüências. Manda matar Urias, o marido e busca a mulher, objeto de seu desejo. O olhar de Davi não vê nada além do seu próprio interesse. É o olhar de quem tem poder e tudo pode.

No evangelho de Lucas temos de novo a presença de uma mulher, que é objeto de desejo dos homens, mas considerada pecadora por seus atos. Esta mulher rouba a cena na casa do fariseu Simão, pois entra sem ser convidada e realiza em Jesus, os gestos comuns que deveriam ter sido feitos pelo anfitrião quando se recebe alguém. O olhar de Simão é de condenação. “Se soubesse quem é essa mulher” - diz em pensamento. Jesus percebe o olhar dele, e por isso conta a parábola sobre o perdão.

 “Quem mais precisa de amor e perdão, é aquele que mais deve”.
 Perdão foi feito pra perdoar, diz o refrão de uma música.

Na casa de Simão três olhares estão em cena: o da própria mulher que se sente pecadora e impura e vê em Jesus a oportunidade de se redimir;  a dos fariseus – representado por Simão, que  acusa a mulher, mesmo que em pensamento. E o olhar de Jesus que se deixa tocar por ela, que aceita o seu gesto de carinho e ternura, não como homem que tem poder sobre ela, mas de alguém que recebe como gesto de gratidão o perfume e as lágrimas.

O olhar de Jesus não é condenatório como de Simão, ou como os nossos olhares, muitas vezes também. O olhar de Jesus vê o que o coração sente. Essa mulher carrrega a dor de viver na marginalidade. Carrega a dor dos olhares do mundo. Jesus sabe que aquela mulher é vítima do contexto social, que imperava naquele tempo e também ainda hoje, e se apresenta de muitas formas, lançando sobre as mulheres o olhar da culpa e do pecado.

O olhar de Jesus vê mais além do que as aparências. Vê o coração. E por isso anuncia o perdão dos pecados. Livre da culpa e do pecado a mulher pode viver uma vida nova. E Lucas 8.1-4 descreve como viviam as mulheres que foram libertadas. Serviam a Jesus com seus bens. Livres para servir tornam-se discípulas e testemunhas do evangelho. Que o olhar amoroso de Deus continue sobre nós, mulheres e homens, nos libertando dos olhares que geram preconceitos, culpa e medos, e assim possamos servir ao Senhor com alegria."

Pa. Neusa Tetzner
Valinhos/CESEP
13/06/2010

3 comentários:

formaxima.com disse...

Vera seu blog é espetacular, show ,not°10 desejo muito sucesso em sua caminhada e objetivo no seu Hiper blog e que DEUS ilumine seus caminhos e da sua família
Um grande abraço e tudo de bom
Ass:Rodrigo Rocha

Sonia Jaboti disse...

Quando iniciei a leitura dessa preleção eu pensei que Neusa fosse falar sobre o olhar físico mesmo. Eu acredito que o olhar é um instrumento límpido, muito transparente mesmo, de nossos sentimentos. Eu particularmente me comunico muito intensamente com o olhar. As vezes ele até me trai de tão real que é. Mas ela falou sobre um olhar envolvente em ações e reações. Então estou lhe enviando um anexo que se chama "o real tamanho das pessoas". Ele traduz bem esse olhar. É muito bonito. Tenho de certa maneira me vigiado muito, pois a gente vai ficando velha, e o que não era tão importante passa a ser e o contrário também, As pessoas com quem vamos convivendo mais intensamente passam a fazer parte do mais estreito convivio humano.Devemos a elas nosso carinho. E para isso temos que ter um olhar muito cuidadoso.Um Bjo. Leia o email " o real tamanho das pessoas." Sonia.

Ziza disse...

Muito bom o artigo. Fala de um modo cativante sobre a libertação da mulher por Jesus. Parabéns, Vera, seu blog é belo!